Grãos: Eles são bons ou ruins para a saúde?

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Os grãos de cereais são a maior fonte de energia alimentar do mundo. Os três tipos mais consumidos são trigo, arroz e milho. Apesar do consumo generalizado, os efeitos na saúde dos grãos são bastante controversos. Alguns acham que são um componente essencial de uma dieta saudável, enquanto outros acham que causam danos. Nos EUA, as autoridades de saúde recomendam que as mulheres comam 5-6 porções de grãos por dia, e os homens comam 6-8.

No entanto, alguns especialistas em saúde acreditam que devemos evitar o máximo possível de grãos. Com a crescente popularidade da dieta paleo, que elimina grãos, pessoas de todo o mundo estão evitando grãos porque acreditam que não são saudáveis. Como é frequentemente o caso da nutrição, há bons argumentos de ambos os lados. Esta postagem analisa detalhadamente os grãos e seus efeitos à saúde, examinando tanto as coisas boas quanto as ruins.

Grãos: Eles são bons ou ruins para a saúde?

Grãos de cereais (ou simplesmente grãos) são pequenas, secas e comestíveis sementes secas que crescem em plantas semelhantes a gramíneas chamadas cereais. Eles são um alimento básico na maioria dos países e fornecem mais energia alimentar em todo o mundo do que qualquer outro grupo alimentar, de longe. Os grãos tiveram um papel importante na história da humanidade, e a agricultura de grãos é um dos principais avanços que alimentaram o desenvolvimento da civilização. Eles são consumidos por seres humanos e também são usados ​​para alimentar e engordar animais. Os grãos podem ser processados ​​em vários produtos alimentares diferentes

Hoje, os grãos mais produzidos e consumidos são milho, arroz e trigo. Outros grãos que são consumidos em quantidades menores incluem cevada, aveia, soja, centeio e vários outros. Depois, há também alimentos chamados pseudo-cereais, que tecnicamente não são grãos, mas são preparados e consumidos como grãos. Estes incluem quinoa e trigo sarraceno. Os alimentos feitos a partir de grãos incluem pães, massas, cereais matinais, aveia, tortilhas, além de junk food, como doces e biscoitos. Os produtos à base de grãos também são usados ​​para fazer ingredientes que são adicionados a todos os tipos de alimentos processados.

Por exemplo, o xarope de milho com alto teor de frutose, um adoçante importante, é feito de milho. Assim como a maioria dos outros alimentos, nem todos os grãos são criados iguais. É importante fazer uma distinção entre grãos integrais e refinados. Um grão refinado teve o farelo e o germe removidos, deixando apenas o endosperma. Alguns grãos (como aveia) são geralmente consumidos inteiros, enquanto outros são geralmente consumidos refinados. Muitos grãos são consumidos principalmente após serem pulverizados em farinha muito fina e processados ​​em uma forma diferente. Isso inclui trigo.

Grãos: Eles são bons ou ruins para a saúde?

Importante: Lembre-se de que o rótulo de grãos inteiros nas embalagens de alimentos pode ser altamente enganador. Esses grãos costumam ser pulverizados em farinha muito fina e devem ter efeitos metabólicos semelhantes aos de seus refinados. Os exemplos incluem cereais processados, como “Froot Loops” e grãos de cacau. Esses alimentos NÃO são saudáveis, embora possam conter pequenas quantidades de grãos integrais (pulverizados). Enquanto os grãos refinados são pobres em nutrientes (calorias vazias ), isso não se aplica aos grãos integrais.

Os grãos integrais tendem a ser ricos em muitos nutrientes, incluindo fibras, vitaminas B, magnésio, ferro, fósforo, manganês e selênio. Isso também depende do tipo de grão. Alguns grãos (como aveia e trigo integral) são carregados com nutrientes, enquanto outros (como arroz e milho) não são muito nutritivos, mesmo em toda a sua forma. Lembre-se de que os grãos refinados geralmente são enriquecidos com nutrientes como ferro, folato e vitaminas do complexo B, para substituir alguns dos nutrientes perdidos durante o processamento.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.