Início Utilidade Pública

Golpes no cadastro do PIX já se torna comum no país – aprenda como se proteger

O PIX é uma ferramenta que acabou de ser lançada no país todo e já tem mostrado uma enorme vantagem para o cidadão. No entanto, também estamos sofrendo com os golpes no cadastro do PIX. Por isso, seguir algumas recomendações de segurança é importante.

O lado obscuro, que é praticado por hackers, acontece quando eles usam o PIX como isca para dar golpes online. Sendo assim, a Kapersky, que é uma das empresas mais conhecidas na área de segurança tecnológica, listou alguns cuidados que devem ser tomados para evitar o golpe.

Curiosamente, saiba que o golpe praticado é o de phishing. Assim, os “ladrões” roubam os dados bancários e pessoais das pessoas. Entre eles, as senhas do banco, o número do CPF e do celular. Depois, usam tais informações para fraudar documentos, compras e muito mais.

O que é o PIX

Antes de darmos as dicas, vamos entender, de forma rápida, o que é e para que serve o PIX. Em resumo, podemos dizer que é uma forma de fazer pagamentos e transferências de forma instantânea. É como uma TED (transferência eletrônica), só que a qualquer hora do dia.

Além de permitir transferências entre contas de qualquer banco, também permite que se faça o pagamento de contas, como boletos. Tudo acontece em tempo real e por 24 horas por dia, todos os dias da semana e todos os dias do ano.

Portanto, se torna uma opção mais vantajosa do que a TED. Além do mais, é um serviço gratuito, que é disponibilizado pelos bancos e com o aval e criação do Banco Central do Brasil. A transferência acontece de forma direta, sem a intercessão de terceiros.

O que é mais importante de saber, também, é que a única dificuldade está em usar as chaves para a identificação da conta. Nesse caso, a chave deve contar alguns dados, como o número do telefone celular, o CPF ou o CNPJ, além do e-mail.

Quem quiser saber mais do PIX pode entrar no site do Banco Central, que lá tem informações.

Entendendo o golpe

Agora que você sabe o que é o PIX, vamos entender como acontecem os golpes no cadastro do PIX. Para isso, saiba que o pré-cadastro do programa, que será lançado oficialmente e estará disponível a partir de novembro, acontece através dos bancos.

Assim, são os bancos que vão criar e fornecer as chaves identificadoras do PIX. Obviamente, essas chaves vão servir como se fosse informações do cliente, como número da agência ou conta, por exemplo. Mas, no caso, os dados podem ser número de telefone e e-mail.

Dessa forma, os bancos estão autorizados a fazerem o pré-cadastro no PIX até o dia 5 de outubro. As fintechs também possuem essa permissão. Logo, a partir do PIX o cliente poderá receber dinheiro, transferências, pagamentos, etc.

Com isso, o que acontece é que quem tem conta em vários bancos poderá cadastrar uma chave do PIX diferente para cada uma das contas bancárias. O que vai mudar é que para cada chave ele deve anunciar um dado diferente.

Como o golpe acontece

Agora vai ficar muito mais fácil entender os golpes no cadastro do PIX porque a gente sabe como a ferramenta vai funcionar e como o cadastro acontece. Então, saiba que os golpistas aproveitam desse momento para agir.

Os ataques cibernéticos acontecem a partir de quando os golpistas criam campanhas muito parecidas com as dos bancos. Assim, o cliente acaba registrando lá o seu cadastro. Ainda não se sabe como eles usarão os dados, mas possivelmente para alguma fraude.

Por exemplo, quando o PIX estiver no ar, funcionando, os golpistas que possuem os dados vão poder usar as informações no sistema de pagamentos para “atacar”. Assim, poderá aprovar débitos ou interceptar transações.

Como se proteger dos golpes no cadastro do PIX

Para se proteger dessa ação dos criminosos, o que as empresas de segurança recomendam é se atentar ao pré-cadastro do PIX. É claro que os bancos usam todas as artimanhas para anunciar o programa, como na internet ou na TV.

Assim, a dica é sempre suspeitar de informações que não estejam ligadas aos canais oficiais dos bancos ou da fintechs. Por exemplo, uma boa dica é sempre usar os aplicativos originais ou o site correto. Por outro lado, deve-se evitar a abertura de links enviados por e-mail ou Whatsapp.

“Na internet, é preciso ter cuidado redobrado antes de fornecer qualquer dado”, dizem. Além do mais, mesmo que ainda não há vítimas do golpe do PIX, eles garantem que já viram muitas ações dos golpistas por e-mail, que servem como isca.

Outra dica essencial das empresas é aproveitar alguns recursos do celular para se proteger. Por exemplo, dá para usar senhas ou a biometria para “bloquear” alguns aplicativos financeiros, como de bancos. “E jamais esquecer de se deslogar quando sair dele”.

Os cuidados para os comerciantes

Outra coisa é tomar cuidado no caso de você ser empreendedor de um negócio, um comerciante, por exemplo. Isso porque agora muitos estabelecimentos vão aceitar o pagamento por QR Code, que também é usado no PIX.

Assim, a dica é sempre se certificar de que o código exibido ao cliente é real e não fraudado. Se houver alguma dúvida ou desconfiança, o ideal é não continuar com a operação. Porque se não o dinheiro vai para a conta do criminoso.

Descubra como parcelar boletos no Picpay em até 12X

Como fazer isso? Nessa situação, a melhor dica é sobre revisar os códigos de QR no site do Banco Central.