Minilua

Formas que a religião levou aos maus tratos aos animais #2

Maus tratos aos animais é considerado uma das mais baixas e mais cruéis coisas que qualquer ser humano pode fazer. Em alguns casos, a religião e a superstição têm desempenhado um papel central em conduzir a humanidade para causar um grande dano a criaturas indefesas grandes e pequenas.

Aviso: Esta postagem contém fotos que podem ser perturbadoras para alguns leitores.

 

 Matar corujas por superstição

 

Existem muitas crenças supersticiosas associadas a corujas. Romanos acreditavam que as corujas eram “suspeitas”, devido às suas atividades noturnas, e eles sentiram que as criaturas preveem a morte, como nos casos de Júlio César, Augusto César e Marco Agripa. Corujas foram realmente queimadas durante os festivais e suas cinzas espalhadas no Rio Tibre.

Com o passar dos séculos, crenças antigas deram lugar a novas, por exemplo, um pio da coruja ou guinchos significa a morte de um recém-nascido. Corujas também foram associadas com bruxas e fantasmas. Da mesma forma, o sonho de uma coruja significaria que você iria encontrar em breve um acidente, enquanto grande infortúnio se abaterá sobre você, se você encontrar uma coruja durante o dia. Tais crenças levaram aos sacrifícios (como na Índia Diwali festival, por exemplo), caça e comércio ilegal dessas criaturas infelizes.

 

Síndrome do Cachorro Preto

 

Durante séculos, vários religiosos e superstições têm perseguido os animais de cor escura. Por exemplo, durante os primeiros dias do cristianismo, um grande cão preto chamado Sombrio se acreditava frequentar os cemitérios. Sombrio foi visto indo para perto da janela de pessoas doentes, indicando que elas estavam prestes a morrer.

Também acreditavam que os vampiros tomavam a forma de cães pretos. Pessoas do Leste Europeu, falavam que estes animais foram vistos circulando o campo logo após o gado ter sido atacado. Isso levou muitas pessoas a acreditar que estes cães eram uma força malévola e estavam por trás dos ataques. Estes contos também viram-se enraizados na cultura norte-americana, muitas vezes chamados de “cães do inferno”. Mais recentemente, os contos dos presságios maus trazidos pelo Sombrio tornou-se famoso, em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

Tudo isso resulta em que os trabalhadores de abrigos e ativistas chamam de “Síndrome do Cachorro Preto”. Centenas de anos de condicionamento comportamental levaram os seres humanos a ver cachorros de pelo escuro como menos adotáveis, menos amigável, e mais intimidante. Em comparação aos animais de estimação de cor clara, você tem mais dificuldade de encontrar cães pretos para vender. Em abrigos de animais, são muitas vezes os últimos a encontrar uma casa, o que significa que a maioria vive sua vida inteira em um canil ou eles são primeiro a ser sacrificados.