O icônico Ford Mustang fez 55 anos ontem! Parabéns a esta lenda de 4 rodas

[nextpage title=”Próximo”]

Há carros icônicos na história, sem dúvida, o Mustang tem um lugar especial por causa de seu poder e estética única, o que fez dele um sucesso desde que chegou ao mercado dos EUA, agora em 150 países e milhões de carros vendidos.

Além do triunfo comercial, tornou-se uma referência cultural, especialmente nos Estados Unidos, até se tornar o cupê esportivo mais vendido em todo o planeta, e sua história, hoje com 55 anos, é tão fresca quanto no primeiro dia.

O crescimento nas vendas de carros compactos europeus provocou uma queda nos lucros de um dos principais modelos de Ford Thunderbird, que era enorme, por isso, Lee Iacocca, vice-presidente da marca pediu a Gene Bordinat para projetar um novo conceito que fosse compacto e esportivo, e assim surgiu este modelo que foi denominado como “carro de pônei”.

O primeiro protótipo foi de dois lugares, com uma aparência futurista (para os anos 60), e apesar de ser um veículo leve e fácil de dirigir, tinha grande poder. Então, algumas modificações foram feitas para fazer com que parecesse um carro mais esportivo, com mais espaço, que não parece simplesmente ter sido retirado de quadrinhos ou de um filme.

Joe Oros foi contratado para criar um segundo protótipo e teve as idéias para gerar o design que foi apresentado em 17 de abril de 1964 no New York Motor Show, que começou o galope deste potro forte, que também poderia levar o nome de Cougar ou Puma (que depois usou a Ford em outros modelos). Também se pensou em chamá-lo Torino, por ser a capital do motor na Itália, e foi aí que uma campanha publicitária que estava sendo pensada dizia algo como:

“Novo modelo de importação … de Detroit … inspirado pelas maiores estradas italianas, mas trazido diretamente de Detroit.”

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem. [/nextpage][nextpage title=”Próximo”]

Como naquele tempo Henry Ford II estava se divorciando e os jornais o ligavam a uma garota italiana (com quem ele finalmente se casou), ele não queria que isso desse má publicidade, então foi decidido não usar nenhuma referência italiana e eles ficaram com o nome de Mustang. O Ford Torino foi lançado 3 anos depois, com essa ideia de publicidade, mas não teve o sucesso do Mustang, que em seu primeiro dia vendeu 20 mil unidades.

Em 1965, eles contrataram a Carrol Shelby para dar mais potência a esses carros e criaram os modelos GT 350 e GT 500, com motores V8 que incluíam uma cobra como parte do logotipo, o que chamou a atenção dos compradores. Este emblema foi aplicado de 1965 a 1970.

Para 1969 como um sinal de sucesso, já havia 11 diferentes modelos do Mustang, como o Boss GT e Mach 1, e desde 1966 havia atingido um milhão de unidades vendidas, o que fez marcas como Dodge, Chevrolet e AMC lançarem carros para competir com ele, e foi assim que surgiu o Challenger, o Camaro e o Javelin.

Devido a complicações com algumas regulamentações governamentais e uma crise de energia nos Estados Unidos, a produção foi reduzida consideravelmente, oferecendo apenas Mach 1, que sobreviveu de 1970 a 1973 como o único Mustang disponível.

Em 1974, surgiu uma segunda geração, baseada no Ford Pinto, e mais focada no conforto e menor consumo de combustível, embora ainda tivessem motores V8. Seu sucesso foi regular e esta linha durou apenas até 1978.

Em 1979 a terceira geração foi lançada, mais próxima dos carros europeus, com tração dianteira e mais leve. Esta linha durou até 1993 e um ano mais tarde veio a quarta geração, com mudanças profundas na sua forma, o que era mais redondo, pneus diferentes, um redesenho na grelha e saias e o retorno do logotipo do cavalo selvagem.

Até 2004 a quarta geração foi comercializada, e um ano depois foi feito um veículo inspirado na primeira geração, obviamente, com todos os avanços do momento, e versões do Shelby, de grande potência, aproximando-se dos supercarros.

A sexta geração chegou em 2015, com a saída do teto na parte traseira, retoques na dianteira e tecnologia mais ecologicamente correta, o que o confirmou como o esportivo mais vendido do mundo.

Desenhos especiais também foram lançados ao longo do tempo, com cores criadas exclusivamente para eles e uma série de detalhes para colecionadores que amam este veículo histórico.

Parabéns a este clássico!

[/nextpage]