Início Utilidade Pública

Descubra como evitar sujar o nome da empresa

Antes de começar esse conteúdo, nos responda algumas perguntas simples: você sabe quais os tributos que a sua empresa precisa pagar? E os impostos? Se você não sabe as respostas, considere ler esse conteúdo para aprender como evitar sujar o nome da empresa.

Afinal de contas, o pesadelo de todo empreendedor que está começando no mundo dos negócios tem a ver com os tributos, impostos e todo sistema que vai dizer o que ele deve pagar para o governo.

Com base no lucro da empresa, considere que você vai ter uma melhor opção de tributo. No Brasil, você deve estar enquadrando entre os seguintes regimes tributários: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional.

E se você não sabe nada disso, não se preocupe. Nos próximos tópicos, vamos trazer informações bem objetivas sobre isso. Confira!

Os regimes no Brasil

As informações abaixo foram adaptas pelo diretor da STavares Consultoria Financeira, Sérgio Tavares. Assim sendo, ele explica, de forma muitos simples, cada um dos tipos que existem – o que lá na frente vai ser importante para evitar sujar o nome da empresa.

LUCRO REAL – nesse caso, o imposto de renda e a contribuição social são determinados a partir do lucro contábil. Enquanto isso, o PIS e o COFINS são determinados pelo regime não cumulativo. Eles são calculados com base no faturamento da empresa.

LUCRO PRESUMIDO – nessa opção, ocorre a tributação simplificada do IRPJ e CSLL. No entanto, o limite da receita bruta é de até R$ 78 milhões. Além disso, nessa alternativa, as empresas não podem aproveitar os créditos de PIS e COFINS. Assim, as contribuições possuem alíquotas mais baixas do que no Lucro Real.

SIMPLES NACIONAL – no Simples existem normas simplificadas para todos os tributos (IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI, ICMS, ISS). Porém, é uma opção restrita às empresas, que devem seguir valores máximos para o faturamento.

Quais as vantagens dos regimes

O próximo passo é pensar nas vantagens dos regimes tributários opcionais. Assim sendo, a escolha deve ser definida no primeiro pagamento do imposto.

No caso do Simples Nacional, considere a possibilidade de economia no pagamento dos vários tributos de uma só vez. “Mas, há restrições legais para opção além do limite de receita bruta anual”, diz o especialista.

Geralmente, os prestadores de serviços estão enquadrados nesse tipo de regime tributário.

Do lado do Lucro Presumido, considere que nem todas as empresas podem optar por ele – devido ao limite do faturamento. Com isso, a modalidade de tributação pode ser vantajosa para empresas com lucros maiores do que o Lucro Presumido.

E sobre o Lucro Real Anual, o ideal é levantar balanços ou balancetes mensais, reduzindo ou suspendendo o recolhimento do IRPJ e da CSLL. Com relação ao Lucro Real Trimestral, pode ser uma boa opção para empresas com lucros lineares – dizem os especialistas.

Como evitar sujar o nome da empresa

Agora que você conhece um pouco mais dos regimes que existem no país e sabe sobre as vantagens de cada um deles, considere que a dica é você saber qual é a melhor para a sua empresa. E o melhor: honrar com esse compromisso.

Na maioria das vezes, o empresário não sabe quanto deve pagar em tributos. Os especialistas dizem que a base do cálculo do imposto de renda é referente ao Lucro. Ao passo que quanto maior for o lucro da empresa, maior será o valor a ser pago dos tributos.

Por isso, existe uma grande importância de fazer a contabilidade de ter todos os registros em dia. Dependendo do faturamento da empresa ou do montante de lucro gerado por ela. Isso explica o trabalho do contador: fazer simulações sobre qual é o regime mais lucrativo.

Os vencimentos

E os especialistas ainda dão mais dicas sobre como evitar sujar o nome da empresa. Por exemplo, ao considerar os vencimentos. Eles dizem que “além de saber o valor correto a ser pago, é muito importante ter conhecimento sobre os vencimentos de cada um”.

Isso porque somente com essa apuração haverá a possibilidade de conferência antes do pagamento. Logo, se a empresa deixar de pagar algum tributo, ela ficará com pendências na Receita Federal, no Estado ou no Município.

Sérgio Tavares é um desses especialistas e diz que isso pode impossibilitar a empresa de contratar produtos junto com as instituições financeiras. Pensando assim em empréstimos, captação de recursos e isso pode até gerar uma desconfiança no mercado.

E quando pagar os tributos?

Geralmente, isso é recolhido em fevereiro de cada ano.

O importante é saber que independentemente do tipo, saiba que a entrega dos pagamentos é essencial. “Quando uma empresa faz escolha é obrigada a entregar um documento mensal chamado de DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários”, diz Rubens Dias da Silva.

Bônus – saiba tudo sobre os tributos!

Como já anunciamos acima, atualmente no Brasil existem 4 tipos de tributos para as empresas. O Lucro Presumido, o Lucro Real, o Simples Nacional e o Lucro Arbitrado. Só que a gente não explicou todos os detalhes deles – falamos apenas das vantagens, de forma resumida.

Sendo assim, se você quiser saber tudo sobre isso, considere que temos uma matéria mais antiga, que fala sobre cada uma delas, citando não apenas as vantagens, mas também os faturamentos e muito mais. Você pode ler quando quiser.