Essas epidemias podem acabar com a humanidade: e não há vacina para elas

A comida, de acordo com o relatório, é vendida àqueles que têm os meios para adquiri-la; Além disso, eles tendem a consumir em excesso o que leva à obesidade; Enquanto isso, aqueles que não têm meios permanecem fora dessa cadeia e não obtêm os nutrientes de que precisam.

Isso sem contar os danos colaterais nas populações que vivem perto de fábricas, comunidades que antes podiam produzir seus próprios alimentos; e aqueles que foram deslocados por alguma fábrica, cujo solo e água foram contaminados pelos resíduos.

mudança climática

O sistema de energia industrial atual, de acordo com o estudo, tornou-se insustentável e prejudicial, tanto para aqueles que têm os meios para sobreconsumir e aqueles que não o fazem, e em grande escala afetam diretamente as mudanças climáticas.

Segundo o estudo, publicado em 27 de janeiro de 2019:

Essas três pandemias – obesidade, desnutrição e mudança climática – representam um sindicato global que afeta muitas pessoas em todos os países e regiões do mundo. Eles constituem uma sinergia sydemic ou epidêmica porque eles ocorrem no mesmo tempo e espaço, interagem uns com os outros para produzir uma sequela complexa e compartilhar comportamentos sociais subjacentes comuns.

desnutrição

E nós que pensamos que o fim do mundo seria muito semelhante a um apocalipse zumbi, um meteoro caindo no planeta ou uma guerra nuclear. Na verdade, o que mais magoa o planeta é o que comemos todos os dias.

gordura