Início Curiosidades

Enrolar a língua é mesmo uma capacidade genética?

Se você consegue enrolar a língua, parabéns, a maioria das pessoas pode.

De fato, até 86% das pessoas podem. Você pode ter ouvido falar que um gene especial é responsável pelos 14% restantes do mundo que não conseguem realizar esse feito de torção de língua, mas muitos estudos sugerem que ele pode não ter nada a ver com genes.

O mito da rolagem da língua remonta à década de 1940, quando o geneticista Alfred Sturtevant afirmou que a habilidade acrobática da língua era o resultado de um gene dominante. Embora ele tenha sido refutado 12 anos depois, esse pequeno “fato” continua a aparecer nas aulas de ciências.

A herança proposta do gene inexistente de Sturtevant

Philip Matlock primeiro desmentiu o mito da língua enquanto estudava gêmeos idênticos. Ele descobriu que 20% dos irmãos tinham um gêmeo que podia rolar e outro que não. Possuindo genes idênticos, isso significava que não poderia ser uma hereditariedade simples.

Da mesma forma, muitos pais que não sabem mexer a língua têm filhos que podem, provando que não é um traço genético ou que muitos pais não são quem eles dizem que são.

Prática, prática e prática

Um estudo realizado na Universidade de Delaware levou dez alunos aparentemente incapazes de rolar a língua e os fez tentar rolar todos os dias durante uma semana.

Ao final do estudo, um aluno poderia rolar a língua com sucesso. Se você se vê impedido pela comunidade de enrolar a língua por sua falta de destreza, isso significa que você pode ingressar no clube apenas praticando.

Se você é jovem, pode ter ainda menos motivos para se preocupar. Um estudo com crianças japonesas descobriu que, à medida que cresciam, mais e mais pessoas podiam rolar a língua. Eles acreditavam que o desenvolvimento e a coordenação muscular eram responsáveis.

Embora os cientistas tenham certeza de que não há um gene de rolagem na língua mágica, eles alertam que a genética pode ter algum papel.

Se os genes de uma pessoa afetam sua coordenação ou desenvolvimento muscular, a genética pode ser responsabilizada pela falta de rolagem da língua. Distúrbios genéticos como a distrofia muscular de Duchenne podem ser tecnicamente responsáveis ​​por impedir alguém de rolar a língua, mas isso está longe de ser um marcador universal.

De acordo com o professor de ciências biológicas John H. McDonald, também existe a possibilidade de que outros fatores externos possam ser responsáveis ​​- como a posição no útero -, mas ecoa que não há como ser totalmente genético.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys