Humorista dá 2 dicas aos jovens que querem enriquecer na profissão

Todo mundo tem um amigo que é um “piadista”. Mas, você já considerou o humorista enquanto profissional? Se já pensou nisso, provavelmente, é porque sabe como fazer um stand up, né? Abaixo, temos 2 dicas para os que querem enriquecer na profissão.

Afinal, seja no ambiente de trabalho, na faculdade, na família ou até mesmo durante o churrasco da firma… Se você tem o “dom” para contar piadas e fazer as outras pessoas rirem pode ser que tenha boas chances de ganhar dinheiro com isso também.

Mas, será que dá para levar isso a sério o humor como carreira? É isso que vamos responder abaixo. E, para que o conteúdo ficasse completo e realista, a gente foi atrás de Roberto Edson, um humorista do interior de São Paulo (no último tópico, a gente fala mais sobre ele).

O que é fazer humor

Antes de entender o humor como negócio é muito importante a gente conseguir considerar o que é, de fato, fazer humor. Roberto dá a opinião: “Fazer humor vem da observação. É preciso estar atento o tempo todo”.

E esse olhar pode vir da natureza e das habilidades da pessoa – assim como pode vir, também, do estudo e do aprendizado de gente que fez isso em algum tempo. Por exemplo, Chico Anysio, Ronald Golias, Jô Soares, Ary Toledo, entre outros.

“Sou um apaixonado por Jerry Lewis, a ponto de ter assistido quase todos os seus filmes, tantas vezes, que até decorei suas falas”, garante. “É preciso beber muito em todas estas fontes se você quer fazer um humor bem feito”, completa Roberto.

Por outro lado, Roberto lembra que o Brasil sempre participa do campeonato mundial do humor. O que quer dizer, na visão dele, que é bastante concorrência por aqui.

Além do mais, ele ainda cita como fundamento importante do estudo os filmes de humor, assim como as séries. Na lista de preferência dele, temos: “O Auto da Compadecida” e “O Meninão”, além de “Chaves” e “Eu, a Patroa e as Crianças”. Ou ainda canais: “Porta dos Fundos” e “UTC – Ultimate Trocadilhos Championship”.

Mas, e as dicas?

As 2 dicas para humoristas iniciantes

Aos jovens que querem enriquecer na profissão de humorista, Roberto diz que dá para trazer 2 dicas a tona, que fazem parte da própria história dele. Uma é sobre os quadrinhos e outra sobre a TV – mesmo que estejamos na época da internet, ele avalia.

1 – Os quadrinhos

Curiosamente, nos últimos anos, Roberto Edson se tornou um personagem de gibi. Um dos seus personagens mais famosos, o Chico Lorota, foi parar nas HQs. Chico é um caipira que fala caipirês. “cêis num imagina a satisfação que eu fiquei!”.

Os roteiros são de Gérson Teixeira, que já escreveu clássicos da editora Abril, Disney, Senninha, Bolinha e Luluzinha. Atualmente, Teixeira é responsável por pastas de Maurício de Sousa Produções.

No caso de Roberto Edson, as suas aparições estão n a RPHQ 4 “Causos do Chico Lorota”. Ela reúne trabalhos de mais de 20 artistas. “A seleção dos trabalhos mescla artistas experientes e novos talentos”, explica o organizador do projeto, Cordeiro de Sá.

A revista tem 44 páginas coloridas, com 14 histórias, 2 causos ilustrados e entrevistas. A publicação pode ser encontrada por meio das redes sociais @ribeiraopretoemquadrinhos.

Nova visão!

Para Roberto Edson, essa nova experiência também trouxe uma nova visão. “Eu fiquei surpreso com as artes, em perceber como cada um vê o Chico Lorota de uma maneira, com um traço diferente”.

2 – A TV

A outra oportunidade profissional que ascendeu a carreira de Chico e Edson foi na TV. Em 2001, com a participação no programa “Caminhos da Roça”, da EPTV Ribeirão, ele fez mais sucesso na carreira.

Assim, foram 7 anos contando causos do personagem caipira. O Chico Lorota aparecia aos sábados de manhã, na Rede Globo.

“Aprendi muita coisa na televisão, a equipe de lá me ensinava muito, como posicionamento de câmeras, questões de roteiro, a importância da luz e isso tudo eu procuro utilizar em meus espetáculos mais tarde”, afirma Roberto.

O personagem!

Além disso, Roberto conta que o personagem foi criado especialmente para o programa na TV. Assim, Chico Lorota é uma nova versão para outro personagem caipira de Roberto Edson, o Oripinho Marvadeza.

Bônus – os eventos corporativos

E se você acha que o humorista só tem espaço nas HQs, na TV ou na internet, considere que Roberto fala sobre os eventos corporativos, que hoje representa uma boa parte da renda do ator e humorista.

Atualmente, 80% das apresentações são voltadas ao mercado corporativo. Logo, são festas de funcionários, workshops, lançamentos de produtos. E sem falar ainda das “Palestras com Humor”.

“São recados sérios, mas com momentos necessários de descontração”, resume o humorista.

Mas, quem é Roberto Edson?

Se você não leu a nossa última matéria, saiba que nela explicamos não apenas quem é Roberto Edson, mas como foi uma boa parte da história dele – passando por um momento de crise, onde pensou em desistir da carreira, até o sucesso, com a ideia de lançar livros, palestras e vídeos.

A profissão de humorista – a história sobre ganhar dinheiro fazendo piadas

Atualmente, Roberto atua em várias frentes, sempre fazendo piadas. Agora, engaa-se quem acha que a vida dele sempre foi só de sorrisos. Leia na íntegra e saiba mais sobre o ator e humorista Roberto Edson.