Diretor-geral do Google Brasil é preso em São Paulo (atualizado)

00




Atualização

São Paulo – O juiz Flávio Saad Peron, da 35ª Zona Eleitoral de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, recuou no pedido de prisão de Fabio José Silva Coelho, diretor-geral do Google Brasil – que, nesta tarde, foi detido na capital São Paulo pela Polícia Federal.

Peron expediu alvará de soltura para Coelho no começo da noite desta quarta-feira e já encaminhou para a PF.

Coelho tinha sido detido por desrespeitar um pedido judicial que solicitava a exclusão de dois vídeos do YouTube, um serviço controlado pelo Google. E, por isso, estava sendo procurado pela justiça por ter praticado crime de desobediência ao não apagar os vídeos.

Os vídeos, publicados por um terceiro no YouTube, continham ataques ao candidato a prefeito de Campo Grande pelo PP, Alcides Bernal. O conteúdo ainda acusava o político de, supostamente, estimular uma ex-namorada a abortar, de agredir um menor e enriquecimento ilícito.

Para soltar Coelho, o juiz argumentou que o diretor-geral do Google se comprometeu com a justiça ao assumir que responderá ao processo. Além disso, Peron entendeu que o crime não necessita de detenção, por se tratar de um crime menor.

Suspensão – O juiz, no entanto, determinou a suspensão do Google e do YouTube em Mato Grosso do Sul por 24 horas. Nesse período, os dois serviços ficarão indisponíveis para os moradores do estado.

 ———————————————————————————————————————————-

São Paulo - O diretor-geral do Google no Brasil, Fábio José Silva Coelho, foi preso na tarde desta quarta-feira (26) em São Paulo.

Segundo nota divulgada pela Polícia Federal (PF), Coelho foi detido pois o Google se recusou a cumprir uma ordem do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul (TRE-MS).

A ordem determinava que a empresa retirasse do YouTube um vídeo que ataca o candidato à prefeitura de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

O executivo deve ser liberado ainda nesta quarta-feira.  “Por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo, apesar de trazido para a Polícia Federal, ele não permanecerá preso. Será lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência, com a oitiva do conduzido e sua liberação após a assinatura do compromisso de comparecer perante a Justiça”, informou a nota.




Entenda o caso

Na semana passada, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) determinou a prisão do diretor do Google no Brasil, Fabio José Silva Coelho, e a suspensão do YouTube no Estado por 24 horas.

A Justiça Eleitoral entendeu que o Google cometeu crime de desobediência por não tirar do ar dois vídeos contra o candidato a prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

A decisão já havia sido tomada pelo juiz Flávio Saad Peren, da 35ª Zona Eleitoral, na semana passada. O Google recorreu, mas o pedido foi negado durante o fim de semana.

Na segunda-feira, a ordem de prisão foi encaminhada à Polícia Federal de São Paulo.




“Reincidente”

Essa é a segunda vez nestas eleições que a Justiça eleitoral determina a prisão de um executivo do Google por não cumprimento de ordem.

Na semana passada, o juiz Ruy Jander Teixeira, da 17ª Zona Eleitoral de Campina Grande (PB), havia mandado prender o diretor geral da empresa, Edmundo Luiz Pinto Balthazar, pelo mesmo motivo.

O juiz alegou que a empresa desobedeceu a uma ordem judicial ao não retirar do YouTube um vídeo que atacava o candidato à prefeitura da cidade Romero Rodrigues (PSDB).

O Google recorreu e o juiz Miguel de Britto Lyra decidiu que o executivo não poderia ser responsabilizado pela veiculação do vídeo. A prisão foi suspensa.

O Google deve liberar uma nota oficial sobre o caso nas próximas horas.

Fonte: Info

Não deixe de recomendar e espalhar este post para seus amigos!

Para me adicionar no Facebook, só clicar abaixo!




Aline Santos

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo