Início Curiosidades

Descubra como surgiu a tatuagem

Hoje em dia, fazer tatuagem é considerado algo normal e uma parte fundamental no estilo de alguém. Mas nem sempre foi assim, ter tattoos era sinônimo de algo ruim e preconceito. Para ter ideia, ter alguma imagem desenhada no corpo poderia impedir uma pessoa de conseguir emprego e até mesmo de ser servidor público em alguns órgãos do Estado.

Com o passar dos anos, as tatuagens foram garantindo seu espaço na sociedade como algo comum. Simultaneamente os modelos e técnicas para fazer o desenho na pele foram modificados. Mas já parou para pensar como surgiu a ideia de eternizar uma mensagem no corpo?

Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja os principais assuntos que vai encontrar neste artigo:

  • Quando surgiram as primeiras tatuagens;
  • Costumes dos povos antigos;
  • Por que o Cristianismo condenava a prática;
  • Coisas que você precisa saber antes de tatuar o corpo.

Primeiras tatuagens no mundo 

De acordo com alguns historiadores, as tatuagens surgiram entre 4000 a.C e 2000 a.C no Egito. Provas arqueológicas também apontam registros entre os povos nativos da Indonésia, Polinésia, Nova Zelândia e Polinésia. Um povo indígena do Japão conhecido como Os Ainu costumavam ter tatuagens faciais, bem como povos do Norte da África.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Durante a Idade Medieval, na Europa, a tatuagem era utilizada pelos gregos e romanos para penalizar prisioneiros, criminosos e escravos. Embora a criação da tatuagem nos tempos antigos tenha sido com objetivo de identificar um povo, no continente europeu o sentido foi distorcido. No Velho Continente, a tatuagem estava longe de ser algo religioso ou decorativo.

Um detalhe interessante é que as tribos celtas e germânicas costumavam fazer tatuagens na era pré-cristã. Entretanto, durante o processo de cristianização na Europa, os desenhos permanentes na pele foram atrelados aos costumes pagãos, chegando a serem proibidas por lei. A Igreja Católica da Idade Média proibiu a tatuagem no continente europeu.

Tattoos usadas como tratamento médico 

Em 1991, foi encontrado em um cadáver congelado da Idade do Cobre, no corpo do homem que parecia ter o registro mais antigo de uma tatuagem. O cadáver foi apelidado de “Ötzi”, que segundo os registros vivem 3.300 a.C. Após uma avaliação dos restos mortais, foram encontradas linhas nos tornozelos, joelhos, punhos, pés e costas. 

A suposição é de que os desenhos foram feitos na pele de “Ötzi” através de fricção de um carvão em cortes verticais. Depois de uma análise mais profunda com exames de raio X, os especialistas identificaram degenerações nos ossos ao lado de um dos desenhos. Com isso, os cientistas chegaram à conclusão de que alguns ancestrais europeus usavam tattoos.

Todavia, o intuito era muito além de decoração ou forma de identificação. As tatuagens eram utilizadas como um tratamento médico para reduzir a dor. No decorrer dos anos, os desenhos começaram a ter outros significados. Segundo o National Geographic, cerca de 2000 a.C, mulheres egípcias dançavam em funerais com desenhos abstratos no corpo. 

Relação com o Cristianismo 

Como foi dito no tópico anterior, a cristianização da Europa tornou a tatuagem como algo negativo. Isso fez com que a utilização das tatuagens declinassem e caíssem em desuso. Ainda assim, alguns cristãos chamados de Cavaleiros de São João de Malta mantiveram o hábito de fazer desenhos no corpo dos membros de seu grupo.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Os costumes dos povos aborígenes que foram diretamente afetados, já que líderes religiosos alegavam que fazer tatuagem era algo pagão. Entre os indígenas, a tatuagem tinha a simbologia de representar a passagem da infância para a fase adulta. Para ter noção do radicalismo, as tatuagens foram banidas da Europa como determinação do Papa. 

A prática ficou conhecida como demoníaca, significando um vandalismo contra o corpo humano. No Cristianismo, o corpo é tido como o templo do Espírito Santo, logo ao fazer uma tatuagem estaria ofendendo a trindade. A posição radical da igreja surgiu com base em uma interpretação do livro da Bíblia chamado Levítico.  

Como é hoje em dia 

Os cristão modernos não têm mais a ideia de que a tatuagem é uma prática demoníaca. Ainda existe quem acredita na interpretação do livro de Levítico. No Novo Testamento, não há qualquer proibição sobre o uso de desenhos no corpo. Inclusive, alguns líderes religiosos da atualidade mencionam a passagem bíblica que diz que o próprio Jesus tinha uma tatuagem.

A revelação está em Apocalipse, capítulo 19, versículo 16, que diz que na coxa de Jesus está escrito “Rei dos Reis e Senhor dos Senhores”. Com base nesse texto, muitos evangélicos têm se sentido livres para tatuar sua pele. Por outro lado, alguns teólogos acreditam que a passagem foi traduzida do grego para a língua portuguesa de forma errônea. 

Na verdade, o que a passagem queria dizer era que a frase estava escrita no manto que Jesus usava e não em sua pele. Bom, a discussão sobre o assunto ainda perdura. Entretanto, hoje em dia as igrejas católicas e evangélicas, em sua maioria, são mais flexíveis em relação a tatuagens e piercings. 

Tatuagem nos tempos modernos 

Após anos de tradição em determinados povos, a tatuagem só foi patenteada em 1981. O norte-americano Samuel O’Reilly criou o primeiro equipamento elétrico de tatuagem, deixando para trás as ferramentas tradicionais usadas pela cultura ocidental. Anos depois, a tatuagem se tornou uma marca registrada dos grupos de veteranos da Segunda Guerra Mundial. 

Fonte: (Reprodução/Internet)

Com o passar dos anos, usar a tatuagem como forma de identificar um grupo não é tão utilizado. Agora, as pessoas fazem porque gostam e se identificam com esse estilo de vida. Tem muito mais a ver com a expressão individual, do que com a coletividade. Pode se dizer que o preconceito diminuiu bastante, mas ainda existe.

É um reflexo da época em que as tradições da sociedade ainda eram muito fortes. Atos como expor o corpo e ter desenhos na pele era considerado errado. Sem contar que as pessoas que passaram a aderir às tatuagens entre 1920 e 1940 eram consideradas rebeldes, piradas e errantes. Geralmente, as tattoos eram atreladas às pessoas baderneiras e marginais.

Remoção de tatuagem 

A principal característica da tatuagem é o fato de ser permanente. Por mais interessante que seja, isso assustava muita gente na hora de pensar em fazer um desenho no corpo. Através da evolução da tecnologia passou a ser possível fazer a remoção total ou parcial com o tratamento a laser. Assim, a pigmentação preta e algumas tinturas coloridas podem ser retiradas. 

Outra técnica utilizada é fazer uma nova tatuagem em cima do desenho que não gostou. Para quem tem a pele mais sensível pode ser uma boa opção, já que a remoção dói muito mais do que fazer a própria tatuagem. Além do custo ser altíssimo. Antigamente, a remoção de tattos era feita com sal esfregado na pele. Mas calma que essa técnica está fora de moda.

Então, a dica é pensar bem sobre qual tatuagem fazer para evitar dores futuras. Evite colocar nomes de namorados ou cônjuges. Já pensou o relacionamento acabar e ficar com o nome do ex para sempre no corpo? Por incrível que pareça, existem pessoas que gostam de fazer esse tipo de declaração de amor. 

Coisas que precisa saber antes de fazer uma tattoo

Quem pensa em fazer qualquer tatuagem precisa saber de algumas coisas que muita gente não conta. A primeira delas é que o procedimento é doloroso sim, não se iluda! Claro que algumas pessoas possuem mais tolerância à dor e outras são mais sensíveis. De qualquer forma dói. Então, se for a primeira tattoo, opte por uma região menos sensível.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Evitar áreas como costela, pés, mãos, peito, pescoço e lábios já ajuda bastante. Ainda, tenha cuidado com desenhos que estão na moda. Antes de fazer a tattoo, pense como estará daqui 20 anos. Pode ser um desenho atemporal ou com data de validade? Considere que a arte envelhece junto com seu corpo e que eventualmente precisará fazer retoques.

Não faça o desenho com qualquer tatuador, pesquise bastante antes. De preferência, vá a um profissional especializado no estilo de arte que você deseja. Por exemplo, existem tatuadores experts em pontilhismo, se esse for o seu estilo opte por profissionais que tenham experiência. Mesmo que saia mais caro, pode valer a pena pois é um investimento para a vida toda.

Curiosidades impressionantes

O motivo pelo qual fazer uma tatuagem dói pode estar relacionado à quantidade de agulhadas na pele. Durante o procedimento, você pode levar entre 50 a 3 mil agulhadas. Vai depender do tamanho da tatuagem e do desenho também. Outra curiosidade é que a pigmentação vermelha costuma dar alergia na pele.

Se tiver intolerância a essa cor, a alergia pode causar até mesmo feridas e deixar o desenho desbotado e distorcido. Outras reações podem acontecer como vermelhidão excessiva, inchaço, coceira, pele descamada e pequenas bolhas. Caso seja uma pessoa sensível, é importante ter cautela e se informar com o tatuador.

Você sabia que as tatuagens podem vibrar e brilhar? Pois é. Com a tecnologia, já existem desenhos que brilham no escuro e tomam uma coloração diferente com a luz negra. Outras técnicas fazem com que as tatuagens vibrem. A empresa Nokia lançou a tendência para avisar quando o celular está tocando.

Não beba antes de fazer tatuagem 

Acredite ou não, mas tem gente que costuma beber antes de fazer tatuagem. Seja para ter mais coragem ou sentir menos dores. No entanto, os tatuadores não recomendam essa prática porque o álcool pode afinar o sangue e atrapalhar na hora do procedimento. Assim, o profissional vai ter mais trabalho para entregar o trabalho desejado ao cliente.

Consequentemente, também prejudica a cicatrização da tatuagem podendo causar até inflamações. A depender do caso pode causar mais sangramentos. Se estiver com muito medo de sentir dor, procure um médico e veja se tem algum medicamento que possa ajudar. Ou simplesmente encare a dor e faça uma tattoo estilosa.