Saiba como ter desconto no imposto de renda

A declaração do imposto de renda de pessoa física (IRPF) à Receita Federal de acontecer entre março e abril desse ano. Logo, quem consegue somar mais despesas a deduzir consegue pagar menos também. Porém, nem todo mundo sabe como ter esse desconto no imposto de renda.

A ideia vale a pena para quem faz o modelo completo da declaração do imposto. Isso porque no modelo mais simples só se considera a cobrança padrão de 20% sobre a base de cálculo. A gente vai falar mais sobre as alíquotas nos próximos tópicos.

Na parte debaixo do artigo, nós separamos os principais itens que podem ser deduzidos da cobrança de impostos pela Receita. Eles vão além da saúde e educação, que são os mais conhecidos. Veja mais sobre eles, que as vezes passam despercebidos.

Entendendo o imposto de renda

Você não precisa de muito para entender as cobranças do imposto de renda. Atualmente, o governo usa uma tabela para padronizar a cobrança, que é feita anualmente, através do envio dos documentos e da comprovação dos gastos.

A conta é simples: o contribuinte faz o relatório das suas despesas e do que pagou de imposto. Se o governo julgar que ele pagou menos do que deveria, o consumidor deve fazer um pagamento a mais. Se julgar o contrário, o contribuinte recebe a restituição.

ANÚNCIO

Mas, o que é importante é considerar que para ter esse desconto no imposto de renda, todo contribuinte deve agregar valor à sua arrecadação. Como assim? Existem certos tipos de gastos que dão direito à restituição, como educação e saúde.

Mais do que isso, você precisa entender como é feita a cobrança da Receita Federal sobre os contribuintes. Então, vamos falar disso no próximo tópico, acompanhe.

A cobrança das alíquotas

Todos os anos, saiba que quanto maior é o seu salário (a sua renda), maior será a alíquota que será cobrada de você. Por isso, a tabela é bem simples. Para quem recebe até R$ 22.847 não se cobra nenhuma taxa. Mas, para quem recebe mais de R$ 55.976, a cobrança é de 27,5%.

E tem os valores nos intervalos também: entre R$ 22.847 e R$ 33.919 a alíquota é de 7,5%, entre R$ 33. 919 e R$ 45.012 a cobrança é de 15% e de R$ 45.012 até R$ 55.976 cobra-se 22,5% do trabalhador. Esses valores são anuais, obviamente.

Hoje em dia, muito se fala em nova tabela de cobrança do imposto de renda. Mas, ela ainda não foi aprovada e ainda não está valendo.

O desconto no imposto de renda

Desse modo, o que é inteligente de ser feito é que quem declara todas as informações sobre as movimentações financeiras possui mais chance de ter esse famoso desconto no imposto de renda. Isso porque eles podem ser passíveis de deduções.

Não entendeu? Basicamente, se você declarar os seus gastos com saúde e educação vai ver que pode aumentar a parcela dedutível que será descontada do valor a ser pago à Receita Federal. E eles podem mudar os cálculos do imposto.

desconto no imposto de renda

Pensando nisso, a gente separou aqui os principais gastos que dão direito à dedução e podem ser abatidos no imposto. Continue lendo para descobrir quais são eles.

Saúde e Educação

Os mais conhecidos são aqueles das áreas de saúde e educação. No caso da saúde, inclusive, não há limite de gastos que podem ser lançados. Então, some aí: exames, consultas médicas, planos de saúde, internações. Tudo precisa estar com nota fiscal.

No caso da educação, sim, tem um limite. Nesse caso, você deve considerar os gastos com creches, escolas, universidades, cursos, etc. No entanto, não vale inserir aqui a compra de material escolar, uniformes, transporte e nem alimentação.

Dependentes

Se você é responsável por outras pessoas deve considerar isso como opção para ter um desconto no imposto de renda. Obviamente, esses dependentes precisam ser declarados de forma financeira e comprovada.

Vale citar: esposas ou maridos e filhos de até 21 anos. Para quem estuda, vale também os filhos de 24 anos ou de qualquer idade se for considerado incapaz.

Previdência Privada

Outro detalhe que pode valer a pena para você dar aquela descontada no Imposto de Renda é sobre o pagamento das parcelas da previdência privada. Desse modo, considere também o fundo de pensão ou o plano previdenciário do tipo Vida Gerador de Benefícios Livres.

Você também pode se interessar por ler: Descubra como pagar contas com os pontos de fidelidade do cartão

Empregados Domésticos

Além disso, temos a questão dos empregados. Como assim? Saiba que até o último ano podiam estar na lista de itens a serem deduzidos o recolhimento do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) dos empregados domésticos.

No entanto, essa medida não foi renovada para os próximos. O que quer dizer que não está valendo mais. Para os mais otimistas, o governo estuda essa possibilidade para o próximo ano.

Pensão Alimentícia

Quem recebe a pensão alimentícia judicial ou por decisão de acordos também deve considerar essa opção. O nome dado na Receita é alimentando. Assim sendo, o responsável por fazer o pagamento ad pensão pode lançar os alimentandos na sua lista de deduções.

Aqui, vale comentar sobre o caso de pais separados. Nesses casos, é preciso ter oficializado quem é o responsável pela guarda do filho e, obviamente, pela pensão alimentação também. Inclusive, o abatimento indevido da pensão pode gerar multa de 75%. Por isso, atente-se!

Livro-Caixa

Por fim, temos aqui a questão do livro-caixa, que é para profissionais autônomos, como os MEIs (Microempreendedores Individuais). Nesses casos, eles podem descontar algumas despesas do livro-caixa, como assim?

Entra na lista os encargos trabalhistas, salários de empregados e serviços prestados a terceiros. Além das atividades essenciais ao negócio, como contas de água, de luz, de telefone, de aluguel, de materiais, etc. Mas, é preciso diferenciar o gasto pessoal do profissional.

Uma dúvida que muita gente tem é sobre os custos com transporte, combustível e manutenção do veículo. Saiba que se for comprovado o uso do carro para o trabalho, ele também pode entrar no livro-caixa.

ANÚNCIO