Essas 5 curiosidades sobre a praia de Copacabana vão te surpreender mesmo

ANÚNCIO

A praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, é um dos lugares mais visitados e mais procurados pelos turistas de todo o mundo. Mas, você sabia que tem acontecimentos de lá que pouco brasileiro conhece?

Por exemplo, o nome nem sempre foi Copacabana, o calçadão de mosaicos não é original dessa praia e nem foi o primeiro do país, além do mais, a areia não é totalmente artificial e o Hotel principal da praia tem um andar totalmente privativo.

ANÚNCIO

Quer saber mais e entender tudo sobre essas curiosidades? Continue lendo.

1 – O nome era Sacopenapã

O nome de praia de Copacabana não foi o primeiro, apesar de ser o mais atual. Sendo assim, quando os colonizadores chegaram por aqui, mais especificamente no Rio de Janeiro, onde hoje é Copacabana, ali eles só viram um lugar onde pescadores passavam a tarde.

Logo, o nome da região era Sacopenapã, que tem origem Tupi. A tradução para o nosso português é algo como “o barulho e o bater de asas dos socós”.

ANÚNCIO

Bem, após a chegada deles, então, foi instalada uma pequena capela no extremo sul da praia, com a imagem de Nossa Senhora de Copacabana. Ela foi trazida pelos mercadores de prata da Bolívia. Logo, você já imagina da onde veio o nome, certo?

Curiosamente, saiba que a palavra Copacabana vem do idioma Inca Quichua e significa “Mirante do Azul”. Esse é o mesmo nome de uma cidade boliviana, que fica no Lago Ticaca. Mais tarde, a capela virou igreja, que depois deu lugar ao Forte de Copacabana.

2 – O calçadão em mosaicos

Quando a gente fala sobre o Rio de Janeiro, aliás, sobre Copacabana, o que você lembra? Provavelmente, vem à sua mente o calçadão, que é em mosaicos, não é mesmo? Agora, a curiosidade é que ele foi inspirado em mosaicos de Lisboa, em Portugal.

Esse padrão de pedras é assimétrico e cobre mais de 4 quilômetros de extensão. A ideia veio da Praça do Rocio, em Lisboa. Lá há uma praça que foi palco de feiras e mercados, desde a Idade Média. Ele passou por terremotos e foi reconstruído para seguir as ondas do mar.

Lá na Europa, ele significa o encontro das águas doces do Rio Tejo com o Oceano Atlântico. Atualmente, se você for viajar para Portugal, considere que temos por lá a Praça, que é sede do Teatro Dona Maria II, além de uma estátua de Dom Pedro II.

Voltando para o Brasil, esse tipo de calçada não foi o primeiro a ser construído. Isso porque em 1901, no Largo de São Sebastião (Manaus), para comemorar a abertura de portos, essa mesma ideia foi implantada. Em Copacabana, isso aconteceu em 1910.

3 – A areia artificial

E se é para falar sobre as curiosidades sobre a praia de Copacabana, então, vamos falar da areia artificial também. Como assim? A faixa de areia que fica a margem da praia não é um processo natural, como muita gente acha.

Aliás, apenas algumas cidades do litoral possuem esse processo feito naturalmente, que vem do desgaste das areias que surgem de diversos fatores climáticos. Em Copacabana, para que a faixa fosse usada melhor pelos banhistas, houve um processo de dragagens.

Assim sendo, na década de 1970 foi feito um primeiro aterramento hidráulico na orla e isso aumentou consideravelmente a faixa. Atualmente, a areia é composta de uma plataforma interna com materiais (granulométricos) idênticos aos da praia.

4 – O frescobol proibido

Uma das atividades esportivas mais praticadas na praia de Copacabana é o frescobol. Ele foi criado por Lian Pontes de Carvalho, que era dono de uma fábrica de pranchas e móveis na cidade. Assim, a ideia dele era simples.

Como ele havia dificuldade em usar as sobras de madeira, durante a década de 1940, Lian começou a fazer raquetes com elas. E as vendas deram certa. No entanto, 10 anos mais tarde, o esporte se tornou proibido. Por que? Motivos de perturbação aos banhistas.

Saiba quais são as 7 praias mais perigosas do mundo – 2 são brasileiras

Mas, essa ação levou a outra: o esporte começou a ser explorado em outras praias também. No ano de 1971, tornou-se prática esportiva oficial e passou a ser liberada em todas as praias do Rio – desde que afastadas da beira d’água e até as 14 horas.

Em 2014, houve nova proibição pela prefeitura local entre as 8 horas e as 17 horas. O alto trânsito de turistas e moradores foi o motivo. No entanto, desde 2015, ele se tornou patrimônio imaterial do Rio e tem até dia comemorativo: 10 de julho.

5 – O andar privado no Hotel Copacabana Palace

Para quem não sabe, esse hotel é muito famoso – tanto quanto as águas da praia. Por lá passaram celebridades como a Princesa Diana e o Príncipe Charles, Nelson Mandela, Walt Disney, Santos Dumento, Mick Jagger e por aí vai.

O hotel está no livro de ouro também. Porém, há uma curiosidade sobre ele. Essas celebridades que passaram por lá ficaram em um andar privado, que pouca gente sabia que existia. Ela fica no 6º pavimento, tem 100 metros quadrados, varanda privativa, etc.

E para chegar lá existe até uma chave diferenciada, especial, que é entregue no check-in. Na baixa temporada, o valor da diária passada dos R$ 4,5 mil, incluindo as taxas de serviço.

ANÚNCIO