Curiosas criaturas lendárias #5

O que você diria se um amigo seu jurasse de pé junto que viu um chupa-cabra ou um yeti? Diria que ele está maluco e que esses bichos não existem, não é mesmo? Eu já diria que ele poderia contribuir com a criptozoologia, um ramo da ciência responsável por estudar animais lendários, míticos ou que podem ter sido vistos por alguém, além de animais que podem estar extintos. Por incrível que pareça, há uma enorme lista deles e, mais surpreendente ainda é que vários animais já saíram dela por terem sido realmente descobertos, como o dragão-de-komodo e a lula-colossal.

O post de hoje tem uma peculiaridade: falaremos de criaturas lendárias que já existiram de verdade! Confira:




Sapo de ninhada gástrica

sapo

Um nome um tanto quanto diferente, mas que diz tudo sobre esse anfíbio que foi extinto em 1983. Este sapo cria seus filhotes em seu próprio estômago, ao contrário dos outros de sua espécie que os criam fora do corpo. Ele transforma seu estômago em um útero e quando os filhotes nascem, ele apenas os vomita. Mas o mais interessante é que quando ele faz isso ele para de se alimentar – afinal, não tem mais estômago -  e, depois que seus ovos atingem certo tamanho, seu pulmão acaba ficando esmagado e não funciona apropriadamente, e a partir daí ele  passa a contar somente com a respiração que faz pela pele.

Por incrível que pareça, um grupo de zoólogos estão tentando trazer a espécie de volta à vida, e estão conseguindo. Isso porque eles já conseguiram reproduzir as células do sapo, entretanto, para que elas se desenvolvam, elas precisam da ajuda de uma outra espécie de sapo que se reproduz apenas duas vezes por ano, por conta disso, o progresso é lento, ainda mais quando eles perdem a época de reprodução dessa segunda espécie.




Thylacine

thylacine

É conhecido como tigre da Tasmânia, foi declarado extinto em 1986, entretanto, há muito mais ele já não era avistado. Sua extinção ocorreu por causa da caça: como eles caçavam muito as ovelhas, foi oferecida uma recompensa para quem apresentasse um espécime morto. Como já era de se esperar, a espécie acabou sendo extinta. Mas alguns dos tigres que foram mortos acabaram sendo preservados em álcool e, recentemente, a Universidade de Melbourne conseguiu restaurar boa parte  do DNA do animal para injeta-lo em embriões de ratos. Depois de alguns experimentos, os filhotes acabaram apresentando traços que antes pertenciam ao extinto tigre.




Alce Irlandês

alce

Um bicho pré-histórico que tinha uma altura de dois metros – sem contar os chifres. O DNA do Alce já está sendo mapeado, entretanto, a maior dificuldade está em encontrar algum animal compatível e que pudesse carregar no útero um filhote do alce irlandês. A solução foi encontrada em uma espécie muito comum nas ilhas britânicas, a corça.




Mamute com pelos

mamute

Embora este animal tenha sido extinto há mais de 200000, ele é o que mais tem chance de ser trazido de volta à vida, tanto que, em 2011, um time de Tokyo afirmou que eles teriam um espécime vivo dentro de cinco anos. O problema é que, pelo método normal – de extrair o núcleo e injeta-lo em um embrião de outra espécie -  a reprodução não ocorre conforme o planejado e o embrião acaba morrendo, felizmente, foi descoberto outro método: o de regredir várias células especializadas ao seu estágio natural de células tronco, e com isso é possível produzir até células reprodutoras, como o esperma e o óvulo, tornando as chances ainda melhores de o embrião sobreviver.

Será que alguns desses animais algum dia voltará à vida? E se voltarem? Será  que eles conseguiriam sobreviver no mundo atual?

Me adicione no Facebook: Nandy Martins

E faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/

Reaja! Comente!
Topo