Minilua

Contos Minilua: O livro de John Stone III #58

Pois é, e desde já, eu agradeço a cada um dos participantes. Mais do que isso, por cada um dos contos enviados. O meu muito obrigado, galera!

O Livro de John Stone

Por: Anônima envergonhada

Resumo pt.II

Depois de meses de tormenta, John decide reabrir o livro, de volta ao mundo dos pesadelos relembrou uma lembrança feliz e triste de sua vida. E uma surpresa o aguardava…

Parte III – Final

John (pensativo):- Sara tão linda…

Por que me deixou? (uma lágrima escorre de seu olho esquerdo)

Aos poucos a doce lembrança foi se distorcendo, sua bela esposa se transformara em uma criatura irreconhecível.

John:- N-não, não pode ser…

Não pode ser ela, por quê?

Por quê?

Sim, sua esposa era a criatura que o perseguira aos poucos a doçura de Sara, se transformou em algo tão horrível, que John mal conseguia olhar.

John:- Sara meu amor…

O que aconteceu? Por que você está fazendo isso?

E- eu Te Amo.

Sara (com a voz distorcida, como se estivesse possuída por demônios):- Me ama?

-Se me amasse não me deixaria morrer, você preferiu os livros a mim, você fez isso comigo. E agora você pagará com a sua vida…

John arregalou seus olhos, ficou ofegante, seu coração disparou.

Com uma velocidade sobre-humana, Sara alcançou John e a tortura começou, mais uma vez ter sua pele arrancada, aquilo já tinha deixado de ser um pesadelo, a dor era insuportável, mas nada comparado ao que estava por vir.

Sara estava com sede de sangue, então começou a desmembrar o seu próprio marido…

Começou a arrancar seus dedos, depois às mãos e os pés, em seguida braços e pernas, Sara estava banhada com sangue…

John ainda num último suspiro de vida, naquele pesadelo, sorriu, pois sabia que finalmente iria acordar.

Sara:- Você não pode ir, eu preciso…

O pesadelo acabou, mas algo havia mudado.

John levanta gemendo de dor, todo seu corpo estava com hematomas, além da dor atordoante.

Com a mão sobre a testa, John direciona seu olhar para a cama. Ela estava coberta de sangue, e o livro também.

Agora o pesadelo se tornara mais real, e ele precisava encontrar uma saída.

“Sophie entra no quarto”

Sophie:- Papai? Você tá dodói?

John:- Um pouco meu anjo, mas vou melhorar… (um sorriso)

-Vá tomar o seu café com a Elisabeth. Papai vai se arrumar…

(Sophie sai saltitante)

Elisabeth, uma babá exemplar, está trabalhando com John desde o dia…

O dia que Sophie nasceu.

(Após um longo banho, John desce até a cozinha.)

Enquanto toma seu café, John mergulha em pensamentos…

John:- “Não tenho escapatória, não há outra maneira… Terei que deixá-la, mas sei que ela ficará bem”.

(John vai para o escritório, tira um livro empoeirado de uma gaveta trancada com três chaves…)

 John:- Tenho certeza que com isso tudo se acabará.

(A Noite cai, e ele põe Sophie para dormir).

John:- Minha princesinha…

(Sophie dorme).

John:- Não importa o que aconteça, sempre estarei com você.

(Com lágrimas nos olhos, John se despede de Sophie).

Sophie (murmura): – Te amo papai…

John vai para seu quarto, senta em uma cadeira, e reabre o livro…

Uma luz invade o quarto.

Neblina por toda parte, sons de passos, gemidos, gritos, era o que se ouvia naquele mundo perdido.

Sara surge entre a neblina, com um olhar diabólico… Ela ia terminar o trabalho.

Sara:- Que bom que voltou, agora posso destruí-lo.

John:- Desculpe-me por não ter sido um bom marido, eu falhei, não prestei atenção em você…

Sara:- Cale-se, suas desculpas não salvarão a sua vida.

John: – Agora tudo vai ser diferente meu amor, ficaremos juntos para sempre, vou me redimir com você, seremos felizes… (Lágrimas escorrem de seus olhos) tudo vai mudar a partir de agora… Eu não queria deixar a Sophie, mas será melhor assim.

Sara:- O que você pretende?

John:- “Duas almas atormentadas, dois mundos distintos. Agora se unirão em um só, para o sacrifício. Deus leve a minha alma,e dessa criatura que me atormenta,entrego-lhe meu corpo agora para este sacrifício.”

Uma forte luz surge, uma espécie de espada aponta para os dois corpos, atingindo-os, uma explosão se forma, luzes de diferentes cores iluminam aquele mundo, e antes de partir John diz sua última frase.

John: – Me perdoe Sophie…

(Passos)

Sophie:- Papai? Tive um pesadelo…

Papai?

(algo surge das sombras)

…:- Papai se foi…

Sophie:- Quem é você?

..: – Não está me reconhecendo?

Sophie:- Não…

…:- É a mamãe….

Fim.

Agradeço a todos que aguardaram pacientemente pelo conto, espero que tenham gostado, comentem sobre ele, e qualquer dúvida, estarei aqui para esclarecer.

Para as demais partes, clique aqui:

Parte 1

Parte 2

<-- /home/minilua/public_html/wp-content/cache/static/https/minilua.com/contos-minilua-o-livro-de-john-stone-iii-58/amp/index.html //-->