Contos Minilua: O anjo vingador (parte II) #157

E sim, além de contos, você pode mandar a sua matéria também. O e-mail de contato: equipe@minilua.com! A todos, um excelente fim de semana!




O anjo vingador 

Por: Lucas Rodrigues

Alguns tentam correr se escondendo em carros e ônibus, outros pulam em carros, as ruas estão repletas deles, não há passagem para andar livremente pelas ruas, porém, a fera consegue comer as pessoas que tentam fugir, indo atrás delas com uma velocidade impressionante, até mesmo quem está escondido não consegue escapar da fome insaciável do monstro, a criatura usa a boca e joga os carros para longe e devora suas últimas vítimas, que são duas lindas crianças.

O monstro, após fazer sua refeição, lambe os lábios com sua língua enorme e vai em direção ao seu dono, que é Zelbor. Acariciando seu “animalzinho de estimação”, Zelbor afirma:
- Fez um bom trabalho, espero que a estupidez que estava contida nestes reles humanos que você acabou de comer não lhe dê uma indigestão.

Ramek, um dos mentores, afirma com urgência para o comandante:

- Senhor devemos ser breves, temos que avisar à Hy que já estamos aqui, já perdemos tempo demais.

- Você tem razão Ramek. Precisamos fazer um contato de escala mundial para que todos saibam que um de nossos membros está aqui. - diz Zelbor, ordenando.

Zelbor olha para a sua esquerda e avista uma torre com uma antena de TV em uma emissora local da cidade. Ele ordena que um de seus membros vá até ela para roubar o sinal de transmissão:

- Hildren, roube o sinal daquela antena, precisamos dela para fazermos o contato.
Hildren é o membro mais forte em termos físicos, sua pele tem a cor vermelha e seus músculos pesam toneladas. Sua arma é uma maça (uma arma que consiste em um cabo com uma bola de metal com espinhos). Ele rouba o sinal da antena quebrando alguns cabos e transferindo a energia para uma tela que Zelbor colocou com seus poderes psíquicos.

A transmissão da mensagem de Zelbor é mostrada para o mundo todo, inclusive para a base do exército na qual está Hy, que se encontra detido. Na base, os monitoradores tem seus computadores apagados, mas o funcionamento deles volta, só que com Zelbor falando.
A transmissão, em baixa qualidade, chama a atenção do general Robert e do Dr. Alfred pelo som que ela emite. Os dois vão até a sala de monitoramento e percebem algo estranho. Robert pergunta ao doutor:

- Mas, que diabos é isso?
- A conversa que acabamos de ouvir… - fala Alfred.
- O que é que tem?
- Hy falou de seus mentores… talvez eles já estejam aqui. E estão tentando se comunicar conosco através dos sinais de TV.

- Eu não acredito, esses monstros podem nos destruir. Você ouviu o que ele disse!? Esses tais mentores vão assumir a missão que era dele, ou seja, vão nos matar de alguma forma.

- Creio que neste momento, só podemos que o pior aconteça… - diz Alfred, bastante pessimista.
Um dos soldados entra na sala onde está Hy e Megan, e diz que o general está chamando-os. Os dois saem da sala, Megan vai na frente segurando Hy pela mão, com um semblante de preocupação, já deduzindo que os chefes de Hy chegaram à Terra.

O general abre a porta de vidro da sala de monitoramento para que os dois entrem. Os soldados assistem à mensagem de Zelbor, Hy olha para a tela principal e logo reconhece que é Zelbor que se prepara para se pronunciar:

- É ele.
- Ele quem? - pergunta Megan.
- O meu mentor principal. O nome dele é Zelbor, ele é um dos governantes do meu planeta, mas não passa de um ditador que quer controlar a todos, só almeja objetivos sórdidos, como conquistar e destruir planetas.

- E ele pode fazer o mesmo com a Terra? - pergunta o Dr. Alfred.
- Eu não tenho dúvidas de que ele tenha algum plano em mente, que consista na destruição imediata da raça humana. É melhor se prepararem para o pior.
Zelbor finalmente se pronuncia:

- Humanos… quero dizer esta breve mensagem por um motivo importante. Um ser oriundo de meu planeta veio até aqui com uma missão que lhe foi dada, que consistia em destruí-los, mas ele falhou miseravelmente.

Portanto, devido a incompetência de meu soldado, todos vocês irão sofrer… lentamente, com muita dor, até o ápice do caos, sem sobreviventes e sem misericórdia. Hy, se estiver me ouvindo ou assistindo à esta transmissão, venha até a mim para que conversemos sobre como este planeta e seus habitantes merecem tal condenação. Estou aguardando pacientemente.

Os computadores, de imediato, desligam num piscar de olhos, acompanhando uma pane elétrica que ocorre após o final da mensagem de Zelbor, mas tudo volta ao normal em segundos. Megan pergunta à Hy sobre como irá lidar com o autoritarismo de Zelbor:

- Hy, como vai ser sua postura diante destes cretinos?

- Eu não sei… mas farei o possível para mante-la protegida, se caso chegar muito perto deles. - afirma Hy, dando a entender que quer proteger Megan da ameaça. Ela dá um sorriso discreto.

O Dr. Alfred fica pasmo com a mensagem e com o ar de superioridade de Zelbor:

- Esse monstro não tem um pingo de compaixão… talvez estejamos realmente condenados à extinção, ele não disse meias palavras, foi claro e sucinto. 

- Não sei o que ele realmente pretende mas já não fui com a cara dele. - diz o general Robert, que logo de cara se antipatizou com Zelbor. Um soldado chega para o general e fala para irem logo de encontro com Zelbor, e já sabem a localização da espaçonave.

Zelbor e os outros mentores esperam ansiosamente pela chegada de Hy. Groon avista de longe o avião do exército chegando e vindo em direção à eles. Zelbor esboça um sorriso malévolo, um sorriso que dava mais destaque para a sua face robusta.

- Lá vem eles hahahaha - avisa Groon.

O avião pousa imediatamente sobre o solo, Hy logo sai da aeronave sem as algemas indo até seus mentores. Hy fica com uma sensação estranha ao vê-los, sentindo-se intimidado, quase com medo de receber uma punição severa.

Atrás dele, vão indo o general Robert, Megan e sete soldados armados, o Dr. Alfred preferiu ficar na base observando tudo pela tela de um computador.

O sol já está se pondo, as ruas já estão parcialmente desertas devido à correria e histeria coletiva das pessoas com medo dos Aliens. Os soldados juntamente com Hy ficam frente a frente com os mentores, que os vêem como soldados inferiores, observando o armamento deles como um elemento de julgamento precipitado. Megan fica apreensiva ao ver aqueles rostos alienígenas e fala no ouvido de Hy segurando a sua mão:

pic 2

- Por favor, não reaja de forma brusca, procure ser natural, sei que está nervoso.
Hy entende a mensagem dada por Megan e olha para Zelbor com um olhar sério e focado, os dois se olham seriamente por alguns segundos, até que o general Robert decide quebrar o silêncio se incomodando com a demora da conversa entre os dois.

- Vão ficar trocando olhares é!? Comecem logo a falar… - diz o general visivelmente impaciente.
- Cale-se, não nos dê ordens, reles humano! - interrompe Zelbor.
- Preciso que deem alguns passos para trás, por favor, é necessário. - aconselha Hy aos soldados e Megan, já alertando um possível combate.

- Tudo bem… - diz Megan preocupada.
Zelbor começa seu discurso já destacando a incompetência de Hy:
- Muito bem… durante nossa conversa precedente ao cumprimento de sua missão, falamos sobre responsabilidade, que é um elemento primordial para…

- Por favor, seja mais direto, se quiser me convencer com seus discursos tolos. - responde Hy, sendo ousado afrontando seu tutor.

- Como ousa falar assim comigo!? Acha que pode me desafiar? Ah, já sei, se sente encorajado perto destes humanos porque criou um vínculo com eles, estou certo? - diz Zelbor, se aproximado de Hy.

- Não é nada disso Zelbor, não concluí minha missão porque me atrasaram, eles me colocaram numa sala, uma prisão.

- Colocamos por um bom motivo! - esbraveja o general Robert.
- Mas se entregou por puro medo… você teve medo de morrer nas mãos de seres inferiores tecnologicamente e intelectualmente. Eu lhe dei uma missão e missão dada é missão cumprida, e você falhou, nos traiu, traiu o seu povo, o povo do planeta que você nasceu e viveu a vida toda.
Não sabe do ódio que eu sinto nesse momento, este planeta não merece ter habitantes como esses, que destroem tudo o que verem pela frente.

- Não seja hipócrita Zelbor. Eu já percebi o seu joguinho e não vou cair nele. Sei muito bem que você e os outros roubavam recursos naturais importantes de planetas distantes e depois os destruíam usando uma máquina planetária.

Agora você vem e me diz que só deveria matar os humanos e deixar o planeta sobreviver, foi essa a ordem que você me mandou cumprir. Eu sempre achava que você era contra a destruição de planetas, mas eu estava errado, agora percebo que o verdadeiro monstro não sou eu… é você.

- Chega! Não vou tolerar um insulto a mais! Agora a sua missão é nossa missão, vamos utilizar o máximo da nossa tecnologia para destruir estes humanos miseráveis, e não adianta dizer que eles tem um senso de moralidade, porque o cinismo estampado nos rostos deles é revoltante.

- Os humanos são pessoas boas, eu pude me dar conta disso há pouco tempo… eu estava errado sobre eles. Eles podem mudar seus conceitos, eles tem capacidade de se arrependerem de seus atos e é essa capacidade que faz deles seres incríveis… e essa capacidade você não tem. - afirma Hy, deixando Zelbor perplexo com tamanha heresia.

Hildren propõe uma punição à Hy, os outros três - Ramek, Groon e Volltrax - concordam com a ideia. Zelbor coloca algemas em Hy e o manda para a sua nave. Megan corre para tentar ajudá-lo mas é impedida por Zelbor que coloca o seu braço na frente da garota impedindo sua passagem. Megan tenta argumentar com Zelbor:

- Por favor, não prenda ele, deixe-o livre… sei que está aborrecido com ele, mas você precisa entendê-lo.

- Eu já entendi o suficiente, ele não passa de um traidor atrevido. Merece um castigo muito pior do que vocês merece. Hy é levado por Hildren e Volltrax algemado, ele olha para trás e vê Megan triste por vê-lo indo preso e faz um sinal com cabeça dizendo “não”, dando a entender que ela não deve se envolver no problema.

Megan se ajoelha e seus olhos ficam marejados, prestes a chorar, vendo que a única esperança para deter aqueles aniquiladores está prestes a morrer.
A porta da nave se fecha, Zelbor é o último a entrar. Assumindo a pilotagem ele dá a partida e a nave se desloca em altíssima velocidade. O general Robert tenta consolá-la colocando sua mão sobre o ombro esquerdo dela:

- Sei como se sente… acha que ele pode nos salvar não é mesmo!?
- Ele vai nos salvar, porque nós… nós vamos resgata-lo. Parece loucura, mas nós vamos. O destino da humanidade só depende dele. - diz Megan confiante.

Dentro da nave, Hy é jogado violentamente em uma cela. As grades se fecham automaticamente, Zelbor aparece para dar uma palavra final:
- E então, está confortável?

- Você está louco Zelbor, nunca vai se dar conta da verdadeira essência dos humanos, eles são bons por natureza, mas eles se corrompem entre si, mas não são todos, você generaliza demais. - diz Hy, caído no chão e algemado.

- Suas tentativas de me convencer são falhas. Você se negou a ajudar seus conterrâneos e agora vai pagar pela sua negligência justamente. Você irá permanecer algemado para que não use seus poderes na tentativa de sair da cela.

- Como vai aniquilar a humanidade? Qual maneira vocês vão usar para isso?
- Vamos utilizar a nossa última invenção… a máquina de destruição mais poderosa do universo: o Ômegalipse. Está surpreso em saber desta novidade? - pergunta Zelbor, zombando da capacidade compreensiva de Hy.

- Não posso acreditar, o Ômegalipse nem foi testado, eu só havia visto o projeto inicial, apenas os esboços. 

- Não o construímos sozinhos, precisávamos de ajuda e conseguimos um resultado impressionante. A melhor máquina que já construímos.

- Mas como ele funciona? - pergunta Hy.
- Não irei revelar o funcionamento de nossa arma secreta. Este planeta já não pode mais suportar os habitantes que o maltratam, portanto, seguimos uma linha de raciocínio: mesmo que acabemos com os humanos este planeta permanecerá o mesmo, então o planeta também precisa ser destruído… porque já não há mais salvação para ele, varre-lo do universo é a melhor forma.

- Não, não faça isso Zelbor, está equivocado, você está louco!
Zelbor vai embora sem dizer uma palavra, deixando Hy ainda mais preocupado. O Ômegalipse está nos planos finais dos mentores, e sua chegada abalará todas as estruturas, fazendo a humanidade refém de um processo de destruição incontrolável.

Continua…

Receba mais em seu e-mail
Topo