Contos Minilua: Fantasmas de uma noite amarga #16

E no “contos” de hoje, uma das histórias mais divertidas que já recebi. Seus personagens então, um mais engraçado que o outro. Confira: 

                                                            Fantasmas de uma noite amarga

By: Gabriel Vieira

 Existem coisas que não possuem explicações, esses fatos podem não ser comprovados pela ciência, mas eu creio neles, pois tudo que aconteceu comigo nesses últimos três meses, não esquecerei jamais.

Sou um jovem de 15 anos, sou bem humorado e adoro contar piadas com meus amigos e fazer palhaçadas durante as aulas. Não sou o como se dizem um exemplo de beleza, porém sei conversar, isso que importa.

Tudo começou no inicio desse ano, como eu moro em uma pequena cidade, existe apenas uma escola com ensino médio, como é de se imaginar esse ano veio cheio de pessoas novas, quer dizer, meninas bonitas novas. Uma me tocou, ela é bem extrovertida, ela me chamou bastante à atenção não só por sua beleza, mas por tudo em si.

Com cerca de um mês de aula, todos já se conheciam e eu já conversava bastante com essa menina, que se chamava Fernanda. Conversávamos praticamente todos os dias, tínhamos uma boa relação.

Até que um dia minha professora de artes passou um trabalho sobre fotografia. Como tinham poucas câmeras na escola, ela resolveu fazer o trabalho em dupla, porém quem escolheria a dupla seria ela, pois ela via que sempre eram os mesmos grupos de alunos e queria que eles soubessem trabalhar com outras pessoas, que não fossem seus amigos.

Eu estava cruzando os dedos para ser o parceiro de Fernanda, mas como eu sou um cara sortudo, fiquei sem dupla, pois sobrei, um amigo meu foi o parceiro de Fernanda.

No outro dia recebo uma notícia boa: meu amigo que seria o parceiro de Fernanda havia sido atropelado por um ônibus vindo do noroeste da África. Ele falecera no hospital, graças a Deus e minha professora me colocara como parceiro de Fernand. Parecia, enfim, que o destino estava nos dando um empurrãozinho.

Marquei para tirar algumas fotos em um sábado a tarde, como eu tenho irmão mais novo e ele é hiperativo, retardado, cego, mudo, tem AIDS, anão, gay, anda de cadeira de rodas e tem três orelhas, fiquei de ir a casa dela. Quando cheguei lá conversamos bastante, resolvemos tirar as fotos em um vulcão ativo que fica próximo a casa dela.

Tiramos várias fotos, todas ficaram muito bonitas, porém uma me chamou a atenção quando fui passar para o computador, a foto é essa que verá logo abaixo:

A foto parece normal, mas se você der um zoom, você verá isso:

Eu fiquei completamente assustado após ver essa foto, logo que Fernanda entrou no Orkut eu mandei para ela.

Ela ficou completamente assustada, tudo indicava que um fantasma de uma capivara albina havia mostrado sua cara nas fotos.

Resolvi dar uma olhada nas outras fotos. Quando percebi, eu fiquei completamente abalado, as fotos a seguir foram às outras tiradas no mesmo dia:




Pedi para Fernanda vir a minha casa, pois meu irmão mais cedo havia caído do 5º andar do meu prédio e estava no hospital com minha mãe.

Quando ela chegou começamos a procurar arquivos na Internet, descobrimos que essa capivara da foto, havia morado em minha casa com sua família a cerca de 110 anos.

Já era cerca de 0h00, Fernanda acabara de ir embora, eu continuei procurando sobre essa família, descobri que ela foi brutamente assassina na 3ª guerra mundial.

Já bastava de terror por aquela noite, então resolvi ir dormir. No outro dia resolvi ir falar com meu pai, se ele sabia de algo sobre aquela pobre família de capivaras que foi assassinada há muito tempo naquela casa. Meu pai com espanto respondeu:

- O que você quer saber sobre eles?

Eu disse:

- Bem, fui tirar uma foto com uma amiga e nelas saíram à foto de uma capivara albina muito assustadora.

Então ele disse:

- Até que enfim você ta pegando alguém, já estava pensando que você era “viado”.

Mas mudando de assunto, essa família são suas bisavós, que moraram há muito tempo aqui, deixa eu lhe mostrar uma foto!

Foi então que ele me surpreendeu com essa foto:

Com uma cara de espanto falei:

- Nossa como eles eram feios!

Meu pai respondeu:

- Igual você, seu cachorro, só não tem rabo porque eles cortaram quando você nasceu.

Estava na hora de ir para a escola e eu contar as novidades para a Fernanda. Quando chego à sala, todos com uma cara de tristeza, não consigo encontrar Fernanda, então pergunto para um amigo o que aconteceu, ele fala:

- A Fernanda morreu essa noite!

Eu completamente apavorado, pergunto:

- Como?

Ele fala:

- Ninguém sabe ainda, mas pelo o que ouvi a encontraram no chão do quarto com uma mordida do que parecia ser de uma capivara albina no pulso.

Sai da sala correndo que nem uma zebra africana no cio e decidi que naquela noite eu iria me vingar.

Quando chegou meia-noite, fui até uma encruzilhada, fiz todos os rituais do tinhoso, foi quando o espírito da capivara apareceu.

Começamos uma grande luta, a capivara era bem forte, mas isso não bastava, eu era muito mais, com apenas uma voadora de saci, consegui destruir esse espírito maligno, foi quando o espírito de Fernanda apareceu e me abraçou. Foi à última oportunidade de apertar naquela bunda gostosa dela, foi então que ela se foi, entrou em uma espécie de portal e nunca mais a vi.

 Depois disso várias coisas melhoraram, meu irmão conseguiu se curar de todas as doenças graças a um pacto com o tinhoso e minha vida está cada dia melhor.

Receba mais em seu e-mail
Topo