Conheça os leões mais temidos do mundo

ANÚNCIO

A leste do famoso pico do Kilimanjaro, no implacável deserto do Tsavo, um par de leões comeu 135 pessoas!

Os leões Tsavo há muito são conhecidos como devoradores de homens.

ANÚNCIO

Mais pequenos que seus irmãos Serengeti, a oeste da montanha, os leões Tsavo têm juba menor ou nenhuma juba, graças ao seu ambiente mais severo.

Enquanto a maioria dos orgulhos de leões terá um grande número de fêmeas com um par de machos, os grupos de leões de Tsavo são menores, com apenas um macho reivindicando direitos de reprodução.

tsavo lion

ANÚNCIO

À medida que as estradas de comércio de pomadas se desenvolviam em Tsavo, muitos comerciantes pressionavam seus cativos com força pelo deserto árido.

Quando um escravo morreu, eles foram simplesmente deixados para trás, tornando-se uma refeição ampla para predadores.

Muitos acreditavam que isso deu aos leões Tsavo um gosto precoce pela carne humana, que seria aguçada pelos britânicos que chegavam no final do século XIX.

 

O FANTASMA E A ESCURIDÃO

Logo depois que o tenente-coronel John Henry Patterson chegou para liderar a construção de uma ponte ferroviária em 1898, ataques de leão devastaram o campo de seus trabalhadores.

Surpreendente na noite, um par de leões com um apetite aparentemente insaciável perseguiu os construtores.

Gritos podiam ser ouvidos na calada da noite, quando esses predadores ferozes puxavam homens de suas tendas para o deserto.

Algumas contas afirmam que 135 pessoas foram comidas pelos dois leões naquele ano, mas os relatórios da empresa colocam o número oficial mais próximo de cerca de 40.

Esse número, no entanto, não foi responsável por nenhum povoado próximo que possa ter sido morto pelos leões, tornando o verdadeiro número é um mistério.

 

PATTERSON, O FAMOSO CAÇADOR

O tenente Patterson, que havia caçado tigres na Índia, foi encarregado de interromper o massacre do leão.

Ele ergueu barreiras espinhosas, acendeu fogueiras à noite e decretou toque de recolher, mas os ataques pareciam piorar.

Os trabalhadores cresceram cada vez mais supersticiosos e amotinados.

Patterson levou meses para matar os leões e, após a morte, descobriram que ambos eram machos sem homem, bandidos sem orgulho.

Com mais de um metro e oitenta de comprimento cada, eles também eram anormalmente maiores que outros leões da época, provavelmente devido à sua ampla e nova fonte de alimento.

patterson

Patterson foi imediatamente proclamado um herói, restaurando a fé em seus trabalhadores e elogios em todo o mundo.

Os leões estavam empalhados, chegando finalmente ao Museu de História Natural de Chicago.

tsavo man-eaters

ESTUDO MODERNO

Na época, muito romance e superstição eram usados para explicar o comportamento dos homens-comedores de Tsavo.

Um apetite ou gosto incorrigível pelo sangue humano era o principal entre os próprios relatos de Patterson sobre o raciocínio dos animais.

Ele supôs que as práticas de enterro descuidado na região significavam que os leões frequentemente vasculhavam restos humanos, seduzindo-os a comer em humanos.

Desde que os restos mortais dos leões foram preservados, os cientistas puderam examinar suas bocas e descobriram que mandíbulas danificadas podem ter sido responsáveis por seu comportamento.

Com evidências de um dente abscesso, eles acreditam que um dos leões pode ter tido problemas para caçar presas maiores e ter sido forçado a invadir os campos em busca de comida.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ripleys

ANÚNCIO