Conheça esse curso de conceitos básicos da educação financeira da Caixa

Se você não tiver um bom controle financeiro dos gastos, independente do quanto recebe de salário, saiba que vai chegar um momento em que seu salário não vai dar para pagar todas as contas. Aqui está a importância de entender os conceitos básicos da educação financeira.

Sem esse controle das finanças, todo o seu sacrifício para acumular bens e buscar uma situação financeira confortável para o futuro vai por água abaixo. E não é isso que você quer, é? Por isso, é importante ter uma educação financeira.

E é justamente essa a ideia do curso de finanças oferecido pela Caixa. Ele foi criado para você que quer conseguir se organizar e principalmente valorizar todo o árduo trabalho que teve durante o mês, honrando as contas e acumulando patrimônio.

Afinal, organizar suas finanças não é apenas saber quanto gasta, mas também saber como e onde vai usar seu dinheiro. Logo, um curso que fala desses conceitos básicos pode ser o seu passo inicial para criar essa organização das contas e do salário.

O conteúdo do curso

Para ensinar sobre educação financeira, a Caixa criou esse curso de conceitos básicos. No conteúdo programático, você vai aprender sobre: juros, inflação, crédito, investimentos, prazos e imposto de renda. Agora, vamos falar um pouco sobre cada tema. Confira.

ANÚNCIO

1 – Juros

O primeiro assunto dos conceitos básicos da educação financeira que a Caixa traz tem a ver com os juros. Assim, a definição de juros diz que é uma quantia que você pode receber ao fazer um investimento ou pagar ao fazer um empréstimo/financiamento.

Isso quer dizer que no momento que pegar um valor emprestado, você precisará retornar à totalidade junto com um acréscimo, como forma de pagamento.

Só que isso também acontece quando seu dinheiro é aplicado em um investimento. Assim, a intuição poderá usar o seu dinheiro. Mas, no vencimento faz a devolução dele acrescida de juros. Geralmente, a taxa de juros é definida antes do contrato – em ambos os casos.

E esse primeiro tópico já vai te mostrar qual é a principal diferença entre investir dinheiro e fazer um empréstimo. Obviamente, em um você ganha dinheiro e em outro, você perde dinheiro. Simples assim. Mas, tem mais coisas para aprender. Continue leno.

2 – Inflação

A Inflação se baseia no crescimento dos valores de produtos e serviços afetando diretamente no poder compra dos consumidores. E também tem importância nas operações financeiras. Dessa forma, é uma espécie de termômetro sobre a condição econômica de um país.

Os valores da inflação são identificados por pesquisas de diversas instituições. A principal delas é o IBGE. Mas, também há dados ligados à FGV e à FIPE.

Assim, o governo brasileiro costuma usar o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA), oferecido pelo IBGE, para dar o número da inflação do período. O resultado dessas pesquisas é feita, na maior parte das vezes, nas maiores capitais do país.

3 – Crédito

O crédito se baseia em confiança. Por isso, muita gente tem dificuldade em conseguir a aprovação de um cartão de crédito. De modo geral, ele funciona quando se oferece um recurso a uma pessoa contando com que ela vá devolver o mesmo no futuro.

Claramente, isso vai acontecer com o acréscimo de juros. Portanto, o valor do crédito oferecido é o resultado dos riscos daquela operação se concretizar, quanto maiores as temeridades, mais caros serão.

Por exemplo, ao fazer o pedido de um empréstimo, você deve considerar o que o banco vai te oferecer como crédito, que é a quantia emprestada. Ela vai variar conforme muitas coisas. Entre elas: o seu objetivo, o seu score financeiro, a sua relação com o banco.

As modalidades de crédito mais comuns hoje em dia são: cartão de crédito, cheque especial, compra parcelada, empréstimo, crédito consignado, penhor, financiamento e leasing.

4 – Investimento

Outro tema que é abordado no curso de conceitos básicos da educação financeira é sobre os investimentos. Logo, fazer um Investimento é aplicar dinheiro em ativos com a intenção de receber juros em troca.

As formas mais comuns de investir dinheiro de maneira segura hoje em dia são: poupança, previdência privada, fundos de investimento, Tesouro Direto e outras opções da renda fixa.

Cada ativo possui as suas próprias condições. Assim sendo, para definir a melhor opção para você é preciso estudar e entender os valores mínimos, o rendimento, o imposto e o valor de taxas, entre outras condições.

Outra coisa que precisa ser analisada é o prazo dos investimentos. Eles podem ser de curto, médio ou longo vencimento. O curto prazo significa que seus investimentos para alcançar metas serão de até 2 anos. Ou seja, algo como trocar de carro, computador ou celular.

Já o investimento de médio prazo já abrange uma espera de até 5 anos para realizar objetivos maiores, como reformar a casa. O longo prazo é acima dos 5 anos e são ideias para projetos como a compra de um apartamento, abrir um negócio ou a aposentadoria particular.

5 – Imposto de Renda

O último dos conceitos básicos da educação financeira trabalhado neste curso é o Imposto de Renda. Ele é uma contribuição de um trabalhador ao governo quando ele acumula mais de R$ 28.559,70 em um ano. Esse valor se atualiza de tempos em tempos.

Também vale para quem ganhou mais de R$ 40 mil em ganhos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano. Por exemplo, lucro da poupança ou indenizações trabalhistas.

Esse valor vai variar dependendo de qual for a sua quantia até o final de ano e será definido por uma tabela oferecida pela Receita Federal.

Entender melhor sobre esse conceito é fundamental para manter a sua situação financeira em dia e não ser pega de surpresa com cobranças sobre os seus rendimentos no fim do ano sem estar preparado para isso.

conceitos básicos da educação financeira

Como fazer o curso da Caixa?

Todo interessado em estudar finanças com a Caixa deve se inscrever de forma gratuita e online no site do banco. Lá estão todas as informações sobre esse curso e os outros.

ANÚNCIO