Cobra voadora? Veja como elas deslizam no ar

[nextpage]

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

A cobra voadora realmente existe. Na linguagem mais técnica, ela é chamada de Chrysopelea paradisi. E, apesar de ser muito rara em países como o Brasil, saiba que elas são comuns de serem encontradas na Ásia, como em Cingapura, Birmânia e Tailândia. Ela tem um veneno considerado fraco, mas que servem para imobilizar as presas, que geralmente são lagartos. A dinâmica dela é simples: corpo esguio e cauda longa. Quase sempre, com escamas amarelas e bordas escuras. Há um padrão vermelho também. Ficou curioso? Clique em “próximo” para conhecer a cobra voadora em fotografias reais e descubra porque ela não voa de verdade.

[/nextpage][nextpage]

As características da cobra voadora

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

A cobra voadora vive em selvas, florestas, bosques, parques e jardins. São mais comuns no sul asiático e, geralmente, tem idade de vida de 10 anos. O peso delas quase nunca chega à 1 quilo. Podem medir até 1,2 metros.

A cor principal é verde, mas dá para variar com preto, vermelho e amarelo. A alimentação dessa cobra se dá por lagartos ou outros animais que vivem em árvores, como pássaros, morcegos, roedores. Elas são diurnas, carnívoras e raramente são encontradas no solo.

[/nextpage][nextpage]

A cobra voadora não voa

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

O nome de cobra voadora vem do fato de que a sua atividade parece com um voo. Mas, na explicação dos cientistas não é isso o que acontece. Para eles, elas usam as escamas da barriga para escalar verticalmente uma árvore. Depois, se penduram em forma de J. Então, escolhem um lugar para aterrissar e se lançam. Esse movimento todo parece com um voo. Além do mais, enquanto está nos ares, elas achatam o corpo para ajudar a planar.

[/nextpage][nextpage]

O processo do voo das cobras

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

A velocidade da cobra voadora, na média, durante o tempo que está no ar, é de 8 a 10 metros por segundo. Ou seja, é rápido. Além disso, elas só podem deslizar para cima e depois fazem o processo de planar para a terra, seguindo a gravidade.

Para isso, usa a cabeça durante o voo. A ideia é simples: elas balançam a cabeça para frente e para trás, logo, o corpo todo fica ondulado. E, o que acontece: isso permite que ela tenha um pequeno controle de voo.

[/nextpage][nextpage]

As cobras menores voam mais longe

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

Uma curiosidade é que essas cobras voadoras podem viajar por mais de 100 metros em um único voo. E isso quer dizer que acabam sendo melhores do que outros animais voadores, como é o caso dos esquilos voadores.

Assim, o que um estudo da Universidade de Chicago descobriu é que há uma relação entre o tamanho da cobra e a habilidade de planar. Logo, quanto menor é a cobra, mais longe ela pode chegar durante esse processo de saltar e planar.

Cobra de duas cabeças rara e mortal encontrada na Índia

Por exemplo, uma das espécies é a Golden Tree Skane (na foto). Ela é a maior cobra entre as voadoras. Por isso, devido ao tamanho e peso, ela é uma das que não planam tão bem.

[/nextpage][nextpage]

Existem 2 cobras voadoras “desconhecidas”

Cobra voadora
Foto: (reprodução/internet)

Entre as de Chrysopelea paradisi, saiba que existem 2 espécies que são totalmente desconhecidas pelos cientistas. Elas são: Moluccan Flying Snake (Indonésia) e Sri Lanka Flying Snake (Sri Lanka).

[/nextpage]