Civilizações alienígenas inteligentes: Existem pelo menos 36 em nossa galáxia, dizem os cientistas

ANÚNCIO

É a mais antiga e a maior questão cósmica de todas: há alguém aí?

Por anos, tudo o que tivemos foi a Equação de Drake para nos ajudar a entender a pergunta, mas nenhuma indicação de uma resposta. Agora, um grupo de cientistas da Universidade de Nottingham acha que surgiu com um novo cálculo baseado na “evolução cósmica” – ou, melhor, uma estimativa – que sugere que é provável que haja pelo menos 36 civilizações inteligentes em nossa Galáxia Via Láctea.

ANÚNCIO

Estima-se que a Via Láctea, lar de nosso Sistema Solar, tenha de 100 bilhões a 400 bilhões de estrelas e cerca de um exoplaneta por estrela em nossa galáxia.

Publicado no The Astrophysical Journal, o novo artigo examina o número provável de civilizações Comunicantes Extra-Terrestres Inteligentes (CETI) na Via Láctea. Ele pressupõe que a vida inteligente venha a ocorrer em outros planetas da mesma forma que aconteceu em nosso próprio planeta.

Na verdade, faz muitas suposições. Na verdade, suposições demais para alguns que duvidam de suas conclusões generosas.

ANÚNCIO

Uma suposição fundamental é que leva cerca de cinco bilhões de anos para a vida inteligente se formar em outros planetas, como ocorre na Terra, mas que a vida é provável. Essa é uma grande suposição, com certeza. Outra é que uma civilização tecnológica vai durar pelo menos 100 anos – como a nossa tem, até agora. Afinal, foram necessários 4,5 bilhões de anos de evolução antes que uma civilização tecnológica surgisse na Terra e fosse capaz de se comunicar.

O número de civilizações depende fortemente de quanto tempo elas enviam ativamente sinais de sua existência para o espaço – como transmissões de rádio de satélites e TV.

O cálculo – que diz que pode haver 36 civilizações inteligentes comunicantes ativas em nossa galáxia em planetas semelhantes à Terra de 4,5 bilhões de anos (ou mais) ao redor de estrelas semelhantes ao Sol – é chamado de “Limite Copernicano Astrobiológico” pelos pesquisadores. Leva em consideração:

  • histórias de formação de estrelas.
  • quão comuns são as estrelas ricas em metal (como o Sol).
  • a probabilidade de estrelas hospedando planetas semelhantes à Terra em suas zonas habitáveis.

“O método clássico para estimar o número de civilizações inteligentes baseia-se em fazer suposições de valores relacionados à vida, mas as opiniões sobre esses assuntos variam substancialmente”, disse Tom Westby, professor assistente da Faculdade de Engenharia da Universidade de Nottingham, e autor principal na publicação. “Nosso novo estudo simplifica essas suposições usando novos dados, dando-nos uma estimativa sólida do número de civilizações em nossa galáxia.”

A estimativa de pelo menos 36 civilizações é baseada em uma perspectiva muito positiva de como, onde e por que a vida passa a existir, e também há uma ampla barra de erros. Pode ser que existam muitas, muitas outras civilizações alienígenas. Também pode ser que nenhum exista.

No entanto, os autores observam que a distância média até uma dessas 36 civilizações é de cerca de 17.000 anos-luz, de modo que a detecção e a comunicação são atualmente impossíveis.

Há também a espinhosa questão de por quanto tempo civilizações inteligentes tendem a sobreviver.

“Pesquisas por civilizações extraterrestres inteligentes não apenas revelam a existência de como a própria vida se forma, mas também nos dão pistas sobre quanto tempo nossa própria civilização vai durar”, disse Christopher Conselice, professor de astrofísica da Universidade de Nottingham, que liderou a pesquisa. “Se descobrirmos que a vida inteligente é comum, isso revelaria que nossa civilização poderia existir por muito mais do que algumas centenas de anos.”

“Alternativamente, se descobrirmos que não há civilizações ativas em nossa galáxia, é um mau sinal para nossa própria existência de longo prazo.”

Traduzido e adaptado por Minilua.

Fonte: Forbes

ANÚNCIO