Cientistas produzem uma das fotografias mais claras de Júpiter

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Usando uma técnica chamada ‘imagem de sorte’, os pesquisadores compilaram centenas de fotos tiradas pelo Telescópio Norte de Gemini, no Havaí, para produzir a captura por infravermelho. O infravermelho é um comprimento de onda mais longo e é usado para ver além das nuvens e neblina da atmosfera de Júpiter.

O processo de ‘imagem de sorte’ envolve tirar um grande número de fotos do planeta em várias exposições, mas mantendo apenas as mais nítidas.

Ao tirar tantas fotos em diferentes exposições ao longo de uma noite (29 de maio de 2019), significava que uma pequena porcentagem delas não foi afetada pelo efeito de desfoque causado pela atmosfera da Terra.

Cientistas produzem uma das fotografias mais claras de Júpiter

O projeto foi realizado com apoio visual e por rádio do telescópio Hubble e da sonda espacial Juno, que atualmente orbita Júpiter.

Uma declaração divulgada pelo observatório disse: “A partir de um conjunto de 38 exposições de imagens feitas em cada ponto, a equipe de pesquisa selecionou os 10% mais nítidos, combinando-os para criar um nono disco de Júpiter.”

“Pilhas de exposições nos nove pontos foram então combinadas para criar uma visão clara e global do planeta”.

Os cientistas pensavam anteriormente que as manchas escuras de Júpiter eram variações de cores, agora sabem que são apenas lacunas na cobertura de nuvens.

Michael Wong, da UC Berkeley, liderou a equipe de pesquisa no projeto e disse: “Essas imagens rivalizam com a visão do espaço.

Cientistas produzem uma das fotografias mais claras de Júpiter Cientistas produzem uma das fotografias mais claras de Júpiter

“Você vê luz infravermelha brilhante proveniente de áreas livres de nuvens, mas onde há nuvens, é realmente escuro no infravermelho”.

No início deste mês, um fotógrafo criou uma imagem da lua nunca vista antes.

Usando milhares de fotografias tiradas ao longo de algumas semanas, o astrofotógrafo Andrew McCarthy construiu uma imagem composta, mostrando a incrível profundidade da superfície da Lua.

O snapper da Califórnia postou a foto super clara em sua conta do Instagram. Intitulado ‘All Terminator’, Andrew o descreveu como uma ‘cena impossível’.

Ele escreveu: “Esta lua pode parecer um pouco engraçada para você, e isso é porque é uma cena impossível.

“A partir de duas semanas de imagens da lua crescente, tirei a seção da imagem que tem mais contraste (logo antes do terminador lunar onde as sombras são mais longas), alinhei e as misturei para mostrar a rica textura em toda a superfície.

“Isso foi cansativo para dizer o mínimo, ou seja, porque a lua não se alinha dia após dia, então cada imagem tinha que ser mapeada para uma esfera 3D e ajustada para garantir que cada imagem estivesse alinhada”.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible