Cientistas desenvolvem uma maneira mais precisa de calcular a idade do seu cão

ANÚNCIO
ANÚNCIO

A maioria dos donos de animais pensa que seus cães são muito mais jovens do que são, de acordo com cientistas que desenvolveram uma nova fórmula para determinar a idade de um animal em anos humanos.

Um cão de um ano tem na verdade cerca de 30 na escala, não os sete que são comumente assumidos.

A ideia de que você só precisa multiplicá-lo por sete é um mito – pois é muito mais complicado, de acordo com uma nova pesquisa.

Cientistas desenvolvem uma maneira mais precisa de calcular a idade do seu cão

Sua técnica mais precisa é baseada na taxa na qual substâncias químicas são adicionadas aos genes – conhecido como ‘relógio’ do DNA.

Ele funciona entre raças – e também pode ser usado para avaliar cremes antienvelhecimento, de acordo com uma nova pesquisa.

O autor sênior, Professor Trey Ideker, da Universidade da Califórnia, em San Diego, explicou: “Existem muitos produtos antienvelhecimento por aí hoje em dia – com graus bastante variados de apoio científico.

“Mas como você sabe se um produto realmente prolongará sua vida sem esperar 40 anos ou mais?

“E se você pudesse medir seus padrões de metilação associados à idade antes, durante e após a intervenção para ver se está fazendo alguma coisa?”

Cientistas desenvolvem uma maneira mais precisa de calcular a idade do seu cão

O estudo analisou como os cães envelheciam concentrando-se na metilação do DNA – marcas que mudam ao longo do tempo à medida que a célula amadurece.

Envolveu amostras de sangue de 105 labradores. À medida que crescem, genes de cães mais velhos capturam moléculas conhecidas como grupos metil – conhecidas como mudanças ‘epigenéticas’.

O método descrito em Cell Systems baseia-se nas alterações dos padrões de grupos metil nos genomas de cães e humanos à medida que envelhecem.

Como as duas espécies não envelhecem na mesma proporção durante a vida útil, verifica-se que não é uma comparação perfeitamente linear, como sugeriria a regra geral de 1: 7 anos.

A fórmula fornece um novo ‘relógio epigenético’ – um método para determinar a idade de uma célula, tecido ou organismo com base no qual os genes estão “desligados” ou “ativados”.

As mudanças epigenéticas fornecem aos cientistas pistas sobre a idade de um genoma – assim como rugas no rosto de uma pessoa, disse o professor Ideker.

Sua equipe e outros pesquisadores publicaram anteriormente relógios epigenéticos para humanos que não se traduzem em outras espécies.

Foi a geneticista Dra. Tina Wang quem lhe trouxe a ideia enquanto trabalhava como estudante em seu laboratório.

Cientistas desenvolvem uma maneira mais precisa de calcular a idade do seu cão

A professora Ideker disse: “Sempre olhamos para os seres humanos, mas eles são meio chatos. Então ela me convenceu de que deveríamos estudar o envelhecimento de cães de forma comparativa”.

Os cães são um animal interessante para estudar, disse ele. As exposições ambientais e químicas do melhor amigo do homem são muito semelhantes – e elas recebem quase os mesmos níveis de assistência médica.

Também é importante entendermos melhor o processo de envelhecimento, pois os veterinários costumam usar a proporção de 1: 7 anos para determinar a idade de um cão.

Eles usam essas informações para orientar as decisões de diagnóstico e tratamento, disse o professor Ideker.

O que surgiu é um gráfico que pode ser usado para combinar a idade do seu cão com a idade humana comparável. Essa não é uma proporção de 1: 7 ao longo do tempo.

Especialmente quando os cães são jovens, eles envelhecem rapidamente em comparação aos seres humanos. Um cachorro de um ano é semelhante a um humano de 30 anos.

Um cão de quatro anos é semelhante a um humano de 52 anos. Aos sete anos de idade, o envelhecimento do cão diminui.

O professor Ideker disse: “Isso faz sentido quando você pensa sobre isso – afinal, um cachorro de nove meses pode ter filhotes, então já sabíamos que a proporção de 1: 7 não era uma medida exata da idade”.

Como é preciso para humanos e camundongos, assim como para os labradores, ele prevê que o relógio será aplicado a todas as raças de cães.

Em seguida, os pesquisadores planejam testar outras raças de cães usando amostras de saliva.

Eles também querem ver o que acontece com os marcadores epigenéticos dos ratos quando você tenta prolongar suas vidas com uma variedade de intervenções.

Enquanto isso, o professor Ideker, como muitos outros donos de cães, está olhando para seu companheiro canino um pouco diferente agora.

Ele disse: “Eu tenho um cachorro de seis anos – ela ainda corre comigo, mas agora percebo que ela não é tão ‘jovem’ quanto eu pensava.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Mirror