Cientistas acreditam que resolveram o mistério da cidade maia antiga abandonada

ANÚNCIO

Os cientistas acreditam que finalmente chegaram ao fundo de um mistério que se estende por centenas de anos e explica por que uma das maiores cidades do poderoso império maia foi abandonada.

A antiga cidade Maia de Tikal ficou orgulhosamente no centro de um dos grandes reinos do mundo por mil anos.

ANÚNCIO

Como um dos maiores e mais importantes centros urbanos do mundo antigo, pareceria estranho se simplesmente desaparecesse e fosse esquecido até a redescoberta, séculos mais tarde, mas foi exatamente o que aconteceu.

Cientistas acreditam que resolveram o mistério da cidade maia antiga abandonada

Em 1853, um homem na Guatemala estava preocupado com seus negócios quando desenterrou a cidade de Tikal, que permaneceu inativa por mil anos.

ANÚNCIO

Por qualquer motivo, os Maias a abandonaram, e muitas outras cidades florescentes, no século IX dC.

Agora, pesquisadores da Universidade de Cincinnati acreditam que descobriram isso. É porque os reservatórios no centro da cidade contêm água tóxica e completamente não potável.

Assim, as águas que outrora sustentavam a civilização antiga – conhecida pelos maias como Mutul – são tão cheias de mercúrio e algas que deixariam qualquer um que a consumisse muito doente.

Isso significa que, apesar de a cidade estar naquele local desde o século III, ela teve que ser abandonada em algum lugar com água potável.

O estudo constatou: “A conversão dos reservatórios centrais de Tikal de locais que sustentam a vida e induzem à doença teria ajudado praticamente e simbolicamente a provocar o abandono desta cidade magnífica”.

Cientistas acreditam que resolveram o mistério da cidade maia antiga abandonada

 

Como a parte da Guatemala em que Tikal está situada é propensa a secas, ter um reservatório limpo de água da chuva teria sido vital para a sobrevivência das pessoas que moram lá.

No entanto, um pigmento usado pelos maias para colorir edifícios e produtos de argila – entre outras coisas – parece ter penetrado nos reservatórios ao longo dos anos, criando uma camada perigosa de sedimentos ricos em mercúrio.

O estudo, publicado na revista Scientific Reports, afirma que essa poderia ter sido a gota d’água para os Maias que moram na cidade.

David Lentz, principal autor do estudo, disse: “Arqueólogos e antropólogos tentam descobrir o que aconteceu com os maias por 100 anos.

Cientistas acreditam que resolveram o mistério da cidade maia antiga abandonada

“Encontramos dois tipos de algas azul-esverdeadas que produzem produtos químicos tóxicos. O ruim disso é que são resistentes à fervura. Tornou a água desses reservatórios tóxica para beber”.

O colega de Lentz, professor Kenneth Tankersley, acrescentou: “A água teria parecido desagradável. Teria um gosto desagradável.

“Teria havido grandes flores de algas verde-azuladas. Ninguém gostaria de beber essa água”.

Aí está, pessoal.

Nem todos os dias você aprende o segredo – ou pelo menos uma teoria convincente – por trás de um antigo mistério Maia, não é?

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible

ANÚNCIO