Minilua

Cidades brasileiras: Rio Branco #5

E poucos sabem, mas Rio Branco é hoje, uma das capitais mais interessantes de nosso país. Envolvente e sedutora, é também uma das que mais se destacam, assumindo ainda, um notável crescimento na região norte.

Um pouquinho mais sobre ela

E diferente do que muitos imaginam a capital do Acre, não é nenhum pouco recente. Longe disso. Sua fundação, aliás, datada de 1882.

Entre seus pontos turísticos, inúmeras atrações. De palácios e parques, a mercados e museus.

Em comum, evidentemente, a felicidade de seus habitantes. Estes, no caso, na faixa dos 340.000 mil.

Os seus principais pontos

1- O Palácio Rio Branco: E dentro do estado, um dos espaços mais interessantes. Visitado, inclusive, tanto pelos moradores, como pelos turistas, no geral.

Em sua arquitetura, um dos estilos mais importantes da arte: o neoclássico. Já a fundação, originada em 1930.

Amplamente divulgado, ainda está situado bem no centro da capital. Seu funcionamento, de terça a domingo, a partir das 10h00.

Endereço: Avenida Getulio Vargas S/N

2- O Museu da Borracha: Fundado em 78, abriga uma série de exposições. Mais do que isso, diversos documentos históricos e de preservação ambiental.

Horário de funcionamento: De terça a sexta, das 08h00 às 18h00. Sábados e domingos: Das 16h00 às 21h00.

3- O Mercado Velho: E sem dúvida alguma, um dos símbolos centrais de Rio Branco. Revitalizado, por sinal, a partir de 2006.

Endereço: Praça da Bandeira s/n Horário de funcionamento: a definir.

4- O Parque da Maternidade: Extenso, atravessa boa parte da cidade. Sua localização privilegiada, em uma das avenidas mais importantes de Rio Branco: A Ceará.

Horário de funcionamento: De segunda a domingo, das 09h00 às 21h00.

5- A Passarela Joaquim Macedo: Ainda hoje, uma das principais obras do estado. Relacionado, aliás, a um dos expoentes da política local: Joaquim Macedo.

Outros pontos

6- A Biblioteca da Floresta

7- A Catedral de Nossa Senhora de Nazaré

8- O Via Verde Shopping

9- A Igrejinha de Ferro

10- A Praça da Revolução