Início Utilidade Pública

Leia as 5 melhores dicas simples para categorizar os gastos pessoais

Um erro muito comum que a gente comete na hora de cuidar das finanças pessoais é não separar os gastos por categorias. Na maioria das vezes, pensamos que subtrair os gastos da renda é suficiente, mas não é. Então, aprenda como categorizar os gastos pessoais de forma simples.

Até mesmo porque fazer essa categorização do seu dinheiro deve ser um hábito de todo brasileiro – ou, pelo menos, de todos que querem ter uma vida financeira melhor e mais equilibrada. Logo, essa é uma atividade crucial e imprescindível entre os mais ricos do mundo.

Se você nunca pensou sobre isso ou ainda não entendeu quais são as vantagens para separar as suas despesas em categorias, vamos lhe mostrar as respostas nos próximos tópicos. Ao todo, são 5 deles e cada um tem uma dica valiosa para você começar a se organizar.

1 – Organize as finanças

Além de não categorizar as despesas, ainda tem muita gente que nem sabe na verdade o tamanho das dívidas. Por isso, a primeira atitude que deverá tomar é organizar as suas finanças pessoais.

Para fazer isso, você deverá anotar todos os seus gastos e ganhos em uma planilha de computador (como do Excel) ou em algum aplicativo gratuito de celular, que já “nasceu” pronto para isso.

Para finalizar esse tópico, você deve anotar tudo nos campos. Pois só assim conseguirá ver onde está indo todo seu dinheiro e descobrir exatamente o tamanho da sua dívida. Anote os gastos, ganhos, contas, receitas, pagamentos, parcelas, etc.

2 – Identifique os gastos

A próxima dica é sobre saber identificar para onde está indo o seu dinheiro. Inclusive, isso não é importante somente para conseguir descobrir quanto gasta e ainda tem de saldo no banco. Mas, principalmente para descobrir como você está situado hoje em dia com as finanças.

Vamos fazer uma simulação para você entender isso rapidamente: os seus gastos mensais são de R$ 3 mil e suas rendas são de apenas R$ 2,5 mil. Ou seja, ao identificar quais são os seus gastos, você vai ver que o seu salário está abaixo – o que é um problema.

Aliás, essa é uma situação muito corriqueira no Brasil, se repetindo em milhares de casas, famílias e pessoas. No entanto, acompanhando esse quadro de perto, será possível agir evitando se chegar até uma situação que seja insustentável.

3 – Avalie as despesas

Com a sua planilha pronta, você será capaz de conseguir analisar todas as suas despesas e quanto dinheiro recebeu durante aquele período. Foi isso que falamos acima. Mas, essa próxima das dicas para categorizar os gastos pessoais é diferente.

Aqui, você vai realmente avaliar onde está gastando o seu dinheiro. Será que não está comprando roupas, sapatos e bolsas demais? Ou será que não está gastando muito em bebidas e jogos de video game?

Pode ser que demore mais de um mês para que tenha uma noção melhor de como está gastando seu dinheiro – principalmente se esquecer de anotar alguns gastos. No entanto, aos poucos, vai ver que dá para reduzir vários gastos mensalmente.

4 – Categorize as contas

Agora, vamos de fato à categorização das contas. Certamente, você já entendeu a importância de organizar as finanças. Porém, ainda não falamos sobre como fazer essa categorização, né? Onde será que ela entra? Calma, estamos chegando lá.

Voltamos aquele caso que identificamos que os gastos são superiores aos seus ganhos. A primeira coisa que pensamos em fazer é cortar gastos, óbvio. Só que no momento que toda sua dívida é calculada de uma forma geral, como saber exatamente de onde retirar?

No nosso exemplo, você deverá fazer um corte de R$ 500 para se adequar a sua realidade. Só que o importante mesmo é notar que se você não classificar os gastos não vai saber de onde pode tirar o dinheiro, onde dá para reduzir e onde dá para cortar.

É aqui que entra a importância de categorizar os gastos pessoais. E para fazer isso, a primeira coisa é pensar nas prioridades que você tem. Esse é o próximo tópico.

5 – Pense nas prioridades

Falamos tanto sobre categorizar despesas, como se fosse algo bem difícil de fazer. E realmente é. O mais legal é que você pode categorizar conforme a sua realidade. Basicamente, tem que pensar em gastos fixos e mensais. Depois em categorias, como habitação, transporte, educação.

Dessa forma, você terá uma ideia muito melhor de onde cortar gastos. Por exemplo, sabendo quanto está gastando no mercado, no próximo mês poderá diminuir um pouco com essa despesa mensal. Já se estiver gastando demais com lazer, busque as alternativas para isso.

Agora, jamais se esqueça que todo mundo tem as suas próprias prioridades na vida. E você também tem. Portanto, você deve dar atenção à ela. As prioridades devem ser vistas como aqueles gastos essenciais. O que não é essencial pode ser cortado ou, pelo menos, reduzido.

Bônus – Use a tecnologia

Caso tenha ficado preocupado acreditando que são muitas informações e não dará conta de fazer tudo isso sozinho, saiba que a tecnologia está aí prontinha para lhe ajudar. São inúmeros aplicativos que pode lhe ajudar a catalogar e separar todas as suas contas.

Um bom exemplo é o Organizze. Com ele você conseguirá manter organizada toda a sua finança, a partir do gerenciamento inteligente das suas contas, definindo novas metas, utilizando relatórios e avaliando onde estão todos os seus maiores gastos, etc.

O app está disponível gratuitamente para o iOS e para o Androi, nas plataformas de cada celular. Ou você também pode criar a sua própria planilha de gastos no Google Drive.