Os casos mais assustadores e reais de bonecos amaldiçoados #3

Um objeto enfeitiçado é geralmente qualquer coisa que apresente uma atividade paranormal ou que acreditem possuir uma energia negativa de um espírito ou fantasma.

Porém ao falarmos de bonecos assombrados podemos despertar diferentes emoções nas pessoas, dependendo das suas experiências pessoais. Enquanto alguns acreditam que nada de assustador possa existir em um objeto inanimado, outros acreditam em bonecos diabólicos ou brinquedos enfeitiçados que poderiam matar uma pessoa.

Nesta série vamos apresentar para vocês os casos considerados como os mais assombrados de toda a história dos bonecos amaldiçoados. Você tem coragem de ler?




A Barbie de Pulau Ubin

A Barbie é a boneca mais popular do mundo. Tão popular que até mesmo uma garota morta pediu para comprarem uma boneca para ela. No início da Primeira Guerra Mundial, os britânicos desconfiavam de muitos estrangeiros em suas colônias e o exército britânico investigava um casal alemão em Singapura, em 1914, como potenciais espiões.

O casal foi preso, mas sua filha acabou caindo de um penhasco e morreu. Um santuário foi erguido em sua memória pelos moradores em Pulau Ubin, um altar de porcelana supostamente contendo uma mecha de seu cabelo e seu crucifixo estão no local.

A boneca Barbie foi lá apenas uma vez por volta de 2007. Neste momento um homem da cidade teve o mesmo sonho três noites seguidas, nele uma menina branca estava o levando para uma loja de brinquedos e tinha uma Barbie no local. Depois da terceira noite, o homem foi até a loja durante o dia, e encontrou a boneca que ele tinha visto em seu sonho.

Ele comprou e colocou ela no santuário, substituindo uma urna que estava lá. O local virou um ponto turístico de quem visita a região, estrangeiros trazem oferendas para ela, tais como batom e perfume, esperando que o espírito da menina traga boa sorte para eles.




Elmo

Desde 1996, o boneco Elmo era famoso e estava nas mãos das crianças do mundo todo. Nada de assustador até aqui, exceto se um dos bonecos tentasse matá-lo. Esse foi o caso da família de Bowman.

Em 2008, James Bowman, de dois anos de idade, tinha um boneco do Elmo que sabia o seu nome. O boneco foi programado para recitar o nome de seu proprietário, juntamente com várias outras frases personalizadas.

Este boneco em particular, não só sabia o nome de James, como também tinha incluído já na sua programação a palavra “matar”.  O boneco sem motivo algum começou a repetir várias vezes a frase “Eu vou matar James”. Assustada com a situação, a mãe de James decidiu colocá-lo longe da criança, mas pensou se tratar de algum problema com a bateria do boneco, porém ele continuou fazendo ameaças de morte a James mesmo após suas baterias terem sido trocadas.

A Fisher-Price, o fabricante, ofereceu para os Bowmans uma coleção nova para substituição como um pedido de desculpas. Desconhece-se se a família aceitou a oferta.

Receba mais em seu e-mail
Topo