Descubra a rentabilidade de uma carteira de investimentos moderada

Quando o assunto é sobre falar de investimentos, a gente logo considera o perfil da pessoa que vai aplicar o dinheiro. Isso é totalmente recomendável. Afinal, ele pode ser de conservador a agressivo. Logo, vamos falar do rendimento de uma carteira de investimentos moderada.

Mas, também vamos aproveitar o texto para citar exemplos de rendimentos de carteiras mais agressivas e até mesmo mais conservadoras. Afinal de contas, se você é novo investidor ou experiente já deve ter se perguntando se a sua carteira está rendendo como poderia, né.

Por exemplo, nos últimos anos, a gente viu que a renda fixa teve um rendimento mais baixo. Mas, será que uma carteira rendendo 10% ao ano é bom? E a renda variável, que é mais agressiva, será que dá para ter rendimento acima dos 30%. É isso que vamos descobrir.

As diferenças entre os perfis de investimentos

Esse tópico será mais breve. É apenas para conseguir situar você no texto. A ideia é que você entenda que temos, basicamente, 3 tipos de investimentos: os conservadores, os moderados e os agressivos. Obviamente, o primeiro evita a perda e o último pode correr riscos.

Sendo assim, uma carteira conservadora deve conter ativos da renda fixa. Por exemplo, CDBs, LCIs, LCAs, Tesouro Direto e fundos. Enquanto isso, um perfil mais agressivo está sujeito ao risco e, portanto, tem uma parte da carteira voltada para ações, na renda variável.

ANÚNCIO

E no meio-termo entre esses dois perfis, nós temos a carteira moderada. Como é de se imaginar, ela tem um pouco de cada perfil (agressivo e conservador). Então, faz uma mistura entre renda fixa e renda variável.

Além de tudo, o que temos que saber é que dentro de cada perfil também pode haver subdivisões. Por exemplo, você pode ser alguém agressivo, mas que deixe metade da carteira na renda fixa, para se manter seguro. Ou pode aplicar mais de 70% em ações também.

A média da rentabilidade de uma carteira recomendada

Seria impossível a gente trazer exemplos de carteira de investimentos moderada se não citássemos alguém que faça isso. Por isso, vamos usar as carteiras da XP Investimento, que é uma das maiores corretoras do país.

A corretora tem uma página onde lista todas as suas recomendações, que são mensais. E elas são divididas nos 3 tipos de perfis que já mencionamos aqui. Além disso, na mesma página dá para ler notícias e comentários e análises sobre a escolha dos ativos das carteiras.

Sendo assim, nesse nosso estudo estamos considerando uma média do ano passado (2019). O motivo é bem simples. O ano representa uma realidade nossa, onde a renda fixa já não tem toda força. E mais!

O ano foge de 2020, que foi um ano totalmente atípico para o mercado financeiro, já que com a história e a pandemia do coronavírus, todo tipo de aplicação teve perda significativa – especialmente na renda variável, mas também na fixa.

As carteiras de investimentos recomendadas pela XP

Para facilitar a leitura e compreensão do nosso leitor, optamos por separar esse tópico em 3 minitópicos. Assim sendo, vamos falar aqui da carteira de investimentos moderada da XP, mas também da conservadora e da agressiva. Até mesmo porque isso permite uma espécie de comparação entre todas.

A carteira de investimentos conservadora

Essa carteira começou a ser indicada em março de 2018. No entanto, como já foi dito, vamos usar apenas os números de 2019 como base para esse estudo. Inclusive, é um estudo totalmente livre, sem indicações ou recomendações. É para ter uma média de rentabilidades.

Assim sendo, o ano representou uma alta máxima de 0,65% em maio e uma mínima de 0,17% em novembro. No fim das contas, literalmente, a média ficou em 6,5% ao ano. O valor está acima do CDI, obviamente. Sendo que ultrapassou esse índice em 108,5%.

A carteira de investimentos moderada

Já a próxima dica, que é o grande foco deste conteúdo, é para falar da carteira de investimentos moderada. Então, o que temos é um rendimento que teve máxima de 2,15% em dezembro e mínima de 0,32% em fevereiro. O resultado foi a média de 12,4% ao ano.

O valor também fica acima do CDI, em mais de 179%.

A carteira de investimentos agressiva

Por último, nós temos a carteira agressiva, que tem boa parte dos ativos alocados na renda variável. Nesse caso, a maior alta foi em dezembro, com 3,34% e a mínima ficou em abri, com 0,77%. A média foi de 18,1% ao ano.

Então, também tivemos um valor bem acima do CDI, sendo que isso representou mais de 300% do índice.

Qual é a melhor carteira de investimentos?

E para fechar esse texto, como não poderia ser diferente, vamos considerar aqui uma reflexão. Sendo assim e analisando todos os rendimentos, será que fica claro que a carteira agressiva é melhor? Obviamente, ela teve melhor resultado. Veja os números de 2019, de novo:

  • Carteira Conservadora – 6,5%
  • Carteira Moderada – 12,4%
  • Carteira Agressiva – 18,1%

Por outro lado, saiba que ela também pode representar grandes perdas. Somente em 2020, por exemplo, a perda está acima dos 13% ao ano. E isso porque estamos no meio do ano, praticamente. Então, de fato, não é um tipo de carteira para qualquer investidor.

Da mesma forma, a renda fixa, que preencher o perfil conservador, tem um bom rendimento, que fica acima do CDI. E isso costuma se manter até mesmo em épocas de crise. Em 2020, por exemplo, houve uma queda mínima, de menos de 0,50%.

carteira de investimentos moderada

Logo, o ideal é sempre conhecer o próprio perfil para saber qual é a melhor carteira de investimentos, que pode ser conservadora, moderada ou agressiva.

Assim sendo, se você tem uma carteira de investimentos moderada e quer saber qual é uma média boa, considere que na XP, a recomendação de 2019 gerou resultado acima dos 12%. E essa é uma média. Mas, esqueça isso para 2020, que é um ano atípico para o mercado.

ANÚNCIO