Aprenda a fazer o cadastro do auxílio emergencial nos Correios

ANÚNCIO

Recentemente, o Governo Federal anunciou que vai permitir o cadastro do auxílio emergencial nos Correios. A notícia foi boa para muitos trabalhadores que estavam com dificuldade de fazer o pedido pelo aplicativo gratuito ou pela Caixa Econômica Federal.

Com essa iniciativa, o Governo amplia as possibilidades da população que tem direito ao benefício. Aliás, o auxílio emergencial, chamado muitas vezes de coronavoucher, foi criado para os brasileiros em situação mais vulnerável na pandemia do Covid-19.

Nas próximas linhas você vai ver como é o passo a passo para se cadastrar de graça para receber o benefício nas agências dos Correios. Mas, antes disso, veja um trecho do que foi dito durante a divulgação da notícia.

Inclusive, lembre-se que para todo caso (cadastro no site da Caixa, no aplicativo da Caixa ou nas agências dos Correios), o prazo final para o cadastramento no auxílio emergencial vai até 2 de julho, conforme a lei que foi criada.

O anúncio do cadastro nos Correios

A inicia do Ministério da Cidadania foi divulgada pela imprensa no começo de maio. Sendo assim, o secretário executivo do Ministério, Antônio José Barreto, foi quem se pronunciou.

ANÚNCIO

“Não descansamos quando sabemos que algumas pessoas correm o risco de não receber o recurso. Temos que encontrar uma solução para isso. E, nesse caso, fomos fazer uma parceria com os Correios”, disse o executivo.

E completou: “A solução é para aqueles que não tem alguém para ajudar no cadastro, ou seja, os ultras vulneráveis. É para que consigam acessar uma rede complementar a Caixa. Isso vai permitir que a pessoa possa acessar igual a todos que pediram pelos meios digitais”.

Até a data do anúncio, a Caixa tinha contabilizado o pagamento de R$ 35,5 bilhões de auxílio emergencial para mais de 50 milhões de brasileiros. Para o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o número deverá chegar a 100 milhões de pessoas o mais breve”.

O passo a passo para fazer o cadastro do auxílio emergencial nos Correios

É importante saber que esse serviço disponibilizado pelos Correios é focado em pessoas com dificuldades em acessar a internet ou ler as normas sobre o benefício. Se esse não for o seu caso, a dica é baixar o aplicativo da Caixa, que é mais rápido e evita que você tenha que sair de casa para fazer o cadastramento no auxílio.

O direito

A primeira coisa é saber se você tem o direito ao programa para fazer o cadastro do auxílio emergencial nos Correios. Assim sendo, de forma simples, você tem que se enquadrar nos requisitos exigidos pelo governo. Sendo:

  • Ter mais de 18 anos,
  • Ter um CPF ativo,
  • Não ter emprego formal,
  • Não receber programas sociais (exceto Bolsa Família),
  • Ter renda familiar de até R$ 522,50 por pessoa ou R$ 3.135 por família.

Em qualquer um dos casos que não respondam a esses requisitos, o solicitante será desclassificado. Além do mais, entra na lista de possíveis benefícios aqueles que são MEIs (microempreendedores individuais), trabalhadores informais ou contribuintes individuais.

Além do mais, lembre-se que as mulheres que são chefe de família e estiverem dentro dos requisitos citados vão poder receber duas cotas mensais, o que equivale a R$ 1.200 em cada mês em que o auxílio será pago.

O pagamento

O segundo ponto é saber quando os pagamentos serão feitos. Então, considere que o pedido feito pelos Correios pode sim ter demora um pouco maior. E essa lentidão se explica pelo fato de que há uma demora maior na análise de resultados dos pedidos.

Porém, o Governo diz o contrário. Ele acredita que com o auxílio dos Correios haverá uma melhoria – ainda mais com relação ao pagamento dos benefícios. Logo, com os cadastros das agências a gente teria um número menor de erros, o que agiliza no pagamento.

O resultado disso é que o Governo avalia que até 9 milhões de pessoas vão ter o cadastro aprovado para receber a 1ª parcela do benefício, que é de R$ 600. Assim, o prazo médio estipulado é de 1 semana.

Os documentos

O último dos passos para quem quer se cadastrar para receber o benefício pelos Correios é considerar quais são os documentos necessários que são exigidos pelo Governo. Então, anote aí: Documento de Identidade com Foto (RG) e o Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Além do mais, os atendentes das agências dos Correios vão solicitar também um número de celular. Ele vai servir para quando o cadastro estiver completo e será usado para o envio de uma mensagem de texto com um código de confirmação. O código vale por 24 horas.

Além dos documentos e do número do celular, você terá que informar uma conta bancária. Lembrando que caso isso não seja feito ou o seu banco não esteja no cadastro do sistema dos Correios, a alternativa é criar uma conta poupança digital na Caixa, que não tem taxas.

Sabendo disso, se você não conseguiu ou não tem condições de baixar o app, a próxima dica é que você vá em uma agência dos Correios, portando os documentos selecionados, para que você possa fazer o seu pedido oficial do auxílio emergencial.

Sobre o auxílio emergencial, leia também:

Leia Também – Quem está sendo analisado pode pedir o cadastro nos Correios?

Agora sim, para terminar o conteúdo, trouxemos esse tópico extra, que na verdade é uma dúvida muito comum que muita gente tem. “Será que quem tem o pedido sendo analisado pode fazer um novo pedido pelos Correios”?

cadastro do auxílio emergencial nos Correios

A verdade é que refazer um pedido não é a melhor opção para quem está tendo um pedido analisado. Isso porque o sistema da Caixa só permite um único pedido por vez para cada CPF. Logo, faz o bloqueio de uma nova tentativa de solicitação do auxílio.

ANÚNCIO