Caçadores matam duas girafas brancas extremamente raras no Quênia

ANÚNCIO
ANÚNCIO

Caçadores furtivos mataram duas girafas brancas super raras no Quênia, informou um grupo conservacionista.

Os guardas florestais da Ishaqbini Hirola Community Conservancy disseram ter descoberto as carcaças de uma girafa branca e seu filhote em uma vila no condado de Garissa, no Quênia.

Caçadores matam duas girafas brancas extremamente raras no Quênia

Os conservacionistas disseram que apenas uma girafa branca permanece e é considerada a única que resta no mundo.

Os caçadores não foram identificados e seu motivo para matar o par ainda não é conhecido.

Segundo a CGTN, as carcaças foram encontradas em um ‘estado esquelético’, o que significa que poderiam estar mortas por um longo tempo antes de serem encontradas.

A Sociedade da Vida Selvagem do Quênia disse que está investigando o incidente.

O gerente da Conservação Comunitária Ishaqbini Hirola Mohammed Ahmednoor disse em um comunicado: “Este é um dia muito triste para a comunidade de Ijara e do Quênia como um todo. Somos a única comunidade no mundo que é guardiã da girafa branca.

“A matança é um golpe para os tremendos passos dados pela comunidade para conservar espécies raras e únicas e um alerta para o apoio contínuo aos esforços de conservação”.

Ele acrescentou: “Esta é uma perda a longo prazo, uma vez que os estudos e pesquisas em genética, que foram um investimento significativo na área pelos pesquisadores, foram agora para o ralo.

Além disso, a girafa branca foi um grande impulso ao turismo na região”.

Comentando a girafa branca sobrevivente, Ahmednoor disse: “Após esse incidente, apenas uma girafa solitária permanece”.

As girafas brancas puras chegaram às manchetes em 2018, quando as fotos foram compartilhadas online.

Um post do Programa de Conservação de Hirola na época comentava que os animais “estavam tão próximos e extremamente calmos e não pareciam perturbados por nossa presença”.

E continuou: “A mãe continuou andando de um lado para o outro alguns metros à nossa frente enquanto sinalizava a girafa bebê para se esconder atrás dos arbustos”.

Sua coloração incomum foi causada por uma condição genética chamada leucismo, que interrompe a pigmentação em algumas células; é semelhante, mas diferente do albinismo, no qual nenhuma melanina é produzida.

Ao contrário dos animais albinos, aqueles com leucismo têm olhos escuros.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Ladbible