Bordões que marcaram época #1

bazinga

A definição para a palavra “bordão” segundo o dicionário é: “1. Pau que serve para apoio de quem caminha. 2. Palavra ou frase que se repete inconscientemente, falando ou escrevendo. 3. Mús. Corda grossa de certos instrumentos. 4. Mús. O tom invariável que serve de baixo na gaita-de-foles, sanfona, etc. 5. Mús. O mesmo que roncão. 6. Corda de arco de atirar. 7. Fig. Arrimo, auxílio. 8. Bot. Espécie de palmeira de que se faz o maluvo”.

Contudo, nesse post recordaremos as clássicas “falinhas” de memoráveis personagens de filmes, séries, desenhos que marcaram época.

Muitas vezes um bom bordão é o responsável pela ascensão de um ator ou personagem que ele encena (principalmente no meio humorístico), pois existem momentos em que nós mesmos passamos a utilizá-los em nosso cotidiano por exemplo, é só dizer “Tô certo ou tô errado” que Lima Duarte vem à mente como o inesquecível Sinhozinho Malta de Roque Santeiro, outro exemplo no programa Pânico pouco tempo atrás, ô Adriano tá me ouvindo? (cansei de ouvir isso)




Sem mais enrolação confira:




Pernalonga - "O que que há velhinho?"




Baby - "Não é a mamãe!"




Caco Antibes - "Eu tenho horror a pobre!"

Chaves - “Aí que burro, dá zero pra ele!”, “Teria sido melhor ir ver o Pelé”, “Ninguém tem paciência comigo” entre outras

Dick Vigarista - “Mutley faça alguma coisa!”

Lion (Thundercats) – “Thunder, thunder, thundercats oh…, ” “Espada justiceira dê me a visão além do alcance!”

Star Wars – “Que a força esteja com você!”

Fred Flinstone - “Yabadabadoo”

Michael Kyle - “Euh nan”

Chapolin – “Oh! e agora quem poderá me defender?”, “Não contavam com minha astúcia!”

Como o assunto é vasto deixe sua sugestão para um próximo post!

Reaja! Comente!
    Topo