Minilua

Os mais bizarros rituais religiosos do mundo

O que mais tem no mundo são religiões diferentes, cada uma acreditando em algo e muitas vezes essas crenças são para lá de malucas:

Religião asteca

Os astecas acreditavam que os deuses gostam de tributos de sangue, por isso eles criaram uma tática de guerra para poderem, em vez de matar os inimigos, capturá-los.

As pessoas capturadas por eles eram obrigadas a subir as enormes escadas dos templos e lá em cima, eram cortadas, da garganta até a barriga, e tinham o coração tirado e despedaçado. Depois o corpo era jogado lá de cima. Quando chegava ao chão, aberto no meio e com todos os ossos quebrados, os membros eram cortados.

Contudo os astecas não sacrificavam qualquer um. Para eles, só eram bons sacrifícios os inimigos ou escravos, que só podiam ser mortos caso fossem preguiçosos ou tivessem sido vendidos mais de três vezes.

Religião dos Matausas

Um povo, que vive nas florestas de Papua Nova Guiné, acredita que a influência das mulheres nos homens é algo ruim, por isso eles praticam rituais religiosos para “limparem” os homens.

O primeiro passo diz que o futuro guerreiro precisa enfiar algumas varas na boca para vomitar tudo que tiver no estômago. Depois algumas agulhas são enfiadas no nariz dele, para que os espíritos femininos deixem o corpo. E finalmente vem a pior parte de todas, onde o iniciado tem que aguentar a dor de diversas flechadas na língua. Só assim ele estará livre da influência feminina e poderá ser um guerreiro de verdade.

Religião católica

Na Espanha, todos os anos, na festa de Corpus Christi, um ritual envolvendo os bebês nascidos nos últimos doze meses ocorre.

Nesse ritual, essas crianças, todas com menos de um ano de idade, ficam deitadas em um colchão no meio da praça. Um homem vestido de diabo, chamado de Colacho por lá, vem correndo e pula sobre os bebês. Ninguém sabe onde essa ideia estranha de ficar pulando por cima de crianças surgiu, mas isso supostamente faz as elas ficarem livres do pecados, de doenças e dos espíritos ruins.

Siga Diego Martins no Google+: gplus/diegomartins

Ou adicione no Facebook: http://www.facebook.com/diegominilua

Faça parte de nosso grupo: http://www.facebook.com/groups/188760724584263/