Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?

[nextpage title=”Próximo”]

Seja antes de um longo dia no escritório, de um treino intenso ou de uma sessão de estudo a noite toda, muitos de nós recorremos a bebidas energéticas quando precisamos de um pequeno impulso. As bebidas energéticas são uma indústria multibilionária. Se sua popularidade é uma indicação de sua eficácia, elas parecem estar funcionando. Mas essas bebidas estão fazendo mais mal do que bem?

Apesar de quão populares são as bebidas energéticas, o termo “bebida energética saudável” ainda é uma dúvida. De acordo com a Administração de Serviços de Abuso de Substâncias e Saúde Mental (SAMHSA), mais de 20.000 atendimentos de emergência nos Estados Unidos em 2011 envolveram bebidas energéticas. Mais da metade dessas visitas foram devidas apenas a bebidas energéticas.

Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?

Os outros casos envolveram pessoas misturando álcool ou outros estimulantes com bebidas energéticas. De acordo com o Centro de Ciência de Interesse Público, as bebidas energéticas estão ligadas a 34 mortes desde 2004. A maioria delas é de pessoas que consomem por 5 horas bebidas energéticas. A maioria das bebidas energéticas traz um sério efeito de cafeína. A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. Dá energia e deixa você mais alerta.

A xícara média de café de 200 ml contém cerca de 95 a 200 miligramas de cafeína, de acordo com a Clínica Mayo. Em comparação, uma quantidade de 60 ml de bebida energética contém aproximadamente a mesma quantidade de cafeína (200–207 mg). A cafeína é relativamente segura em pequenas doses, como em uma xícara de café ou chá. Mas pode ser perigoso em grandes doses (acima de 400 mg), de acordo com uma publicação da Universidade da Califórnia, Davis.

Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?

Uma overdose de cafeína pode causar sintomas como: batimento cardíaco irregular ou rápido, problemas respiratórios, diarreia, febre. convulsões.
O consumo excessivo de cafeína pode causar problemas de saúde para: pessoas que desconhecem a sensibilidade à cafeína, pessoas que têm problemas com pressão arterial ou regulação da frequência cardíaca e
mulheres grávidas. As bebidas energéticas podem ser atraentes para crianças e adolescentes porque estão disponíveis em lojas locais e são legais para todas as idades.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.

[/nextpage][nextpage title=”Próximo”]

De acordo com Centros de Controle e Prevenção de Doenças 50% dos adolescentes dizem consumir bebidas energéticas. Em geral, a regulamentação de bebidas energéticas em muitos países não é controlada. No entanto, existe um movimento exigindo regulamentação mais rigorosa e rotulagem de conteúdo, bem como a adição de avisos de saúde. Crianças e adolescentes são particularmente vulneráveis ​​a bebidas energéticas, pois seus corpos geralmente não estão acostumados à cafeína.

Estudos descobriram que a intoxicação por cafeína, ou beber muita cafeína, leva ao vício em cafeína e a uma possível dependência. Geralmente existem outros estimulantes além da cafeína em bebidas energéticas. Aditivos como guaraná e ginseng são comuns. Estes podem amplificar o aumento de energia da bebida e também os efeitos adversos da cafeína. As bebidas energéticas geralmente contêm grandes quantidades de açúcar para ajudar seus efeitos de aumento de energia.

Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?

Uma única porção de uma bebida energética pode ter mais de 30 gramas de açúcar, de acordo com cientistas da UC Davis. Bebidas açucaradas têm sido associadas à obesidade, pressão alta e colesterol alto, de acordo com a American Heart Association. Este estudo também mostra que o consumo de açúcar adicionado aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares. A folha de informações da UC Davis lista vários ingredientes que podem não lhe ser familiares. Muitos desses ingredientes são novos nos produtos comerciais; portanto, não há muita pesquisa sobre eles.

Apesar das alegações feitas pelos produtores, seus efeitos são desconhecidos. Atualmente, não há dados suficientes para estabelecer a segurança desses ingredientes: carnitina, glucuronolactona, inositol, panax ginseng, super citrimax, taurina. Em 2010, a Food and Drug Administration proibiu a venda de bebidas energéticas que contêm álcool. Declarou que elas não eram seguras. Estudos mostram como a mistura de álcool e bebidas energéticas pode levar ao consumo excessivo de álcool.

Bebidas energéticas mantêm as pessoas acordadas por mais tempo. Isso pode aumentar a quantidade de álcool que as pessoas bebem. O alto consumo de álcool está ligado a diversos problemas como direção sob influência e outros comportamentos de risco. Embora as bebidas energéticas possam parecer uma solução rápida para a fadiga, os efeitos a curto e longo prazo de consumi-las superam os benefícios.

Bebidas energéticas saudáveis: existe algo assim?

Bebidas energéticas têm sido associadas à obesidade, pressão alta e problemas cardiovasculares. Uma única bebida energética pode conter mais açúcar e cafeína do que deveria em um dia. Além disso, muitas bebidas energéticas têm outros ingredientes que não foram testados o suficiente para conhecer seus efeitos no corpo. Existem muitas alternativas para bebidas energéticas que oferecem um impulso energético saudável e não fazem mal à sua saúde.

[/nextpage]