Minilua

Bandas que marcaram época: Engenheiros do Hawaii (cont) #13

– Pouco tempo após o lançamento de “A Revolta dos Dândis”, o grupo passa a se apresentar em grandes festivais. Um dos mais importantes, diga-se de passagem, foi o chamado “Alternativa Nativa”, realizado de 14 a 17 de junho de 1987.

– Paralelamente ao sucesso conquistado, a banda passa a ser taxada por parte da mídia, como elitista e fascista. O fato, aliás, se intensificaria a partir de alguns shows realizados, nos quais seus membros apareceriam com camisetas estampadas com imagens da suástica e da Estrela de David.

– No ano seguinte, os Engenheiros do Hawaii entram em estúdio, e meses depois, lançam seu terceiro álbum “Ouça o Que Eu Digo: Não Ouça Ninguém”. Deste trabalho, merece destaque a canção “Somos Quem Podemos Ser”.

– Um ano mais tarde, é a vez de “Alívio Imediato” chegar ao mercado. O trabalho em si, gravado no Canecão, no Rio de Janeiro, teria entre as faixas principais, “Nau a Deriva” e “Alívio Imediato”.

– Foi a partir do começo dos anos 90, como o lançamento de “O Papa é Pop”, que a banda passaria a ser conhecida pelo grande público. Deste trabalho, destacamos as faixas “Pra Ser Sincero”, “O Exército de Um Homem Só” e “Era Um Garoto Que, Como Eu, Amava os Beatles e os Rolling Stones”.

– “Era Um Garoto”, foi na verdade, a terceira versão de uma série. A primeira, aliás, chamada de “C’era un ragazzo che come me amava i Beatles e i Rolling Stones”.

– Gaúcho da Fronteira, conhecido compositor brasileiro, participaria, no ano de 1991, de uma das faixas do novo trabalho dos Engenheiros do Hawaii, “Várias Variáveis”.

– “GLM”, foi com esta sigla, que a banda batizaria seu sétimo trabalho de estúdio. Produzido em 1992, ele trouxe como grande destaque, a música “Parabólica”. Ainda sobre a canção, ela foi uma espécie de homenagem a filha do vocalista Humberto Gessinger, Clara, nascida naquele ano.

-No ano de 1993, o grupo é convidado para se apresentar no festival Hollywood Rock. No mesmo ano, a banda passa a realizar shows no Japão e Estados Unidos.

– Rixas internas afastariam o guitarrista Augusto Licks da banda. Em seu lugar, é escalado o nome de Ricardo Horn.

– Nos anos seguintes, são lançados novos álbuns, entre eles, “Simples de Coração” e “Minuano”.

– No final da década, mais precisamente em 1999, o grupo assina contrato com a Universal Music. Entre os hits lançados, merecem destaque as faixas: “Eu Que Não Amo Você” e “Negro Amor”.

– “Negro Amor”, aliás, foi uma regravação de um dos maiores sucessos do cantor Bob Dylan, “It’s All Over Now Baby Blue”.

– No ano de 2001, os Engenheiros se apresentam no festival Rock n Rio. Na mesma época, é lançado o décimo segundo álbum da carreira da banda, “10.000 Destinos”.

– 03 anos mais tarde, após uma série de encontros e desencontros, o grupo decide, enfim, participar do projeto “Acústico MTV”. O evento, realizado no Espaço Locall, de São Paulo, contaria com 20 faixas ao todo, e participações especiais.

– Atualmente, o grupo se encontra afastado dos holofotes. A expectativa, segundo Humberto Gessinger, é que a banda se reuna apenas em 2012, diante da comemoração dos 25 anos do álbum “A Revolta dos Dândis”.

Discografia

Longe Demais das Capitais– 1986

A Revolta dos Dândis- 1987

Ouça o Que Eu Digo: Não Ouça Ninguém– 1988

Alívio Imediato- 1989

O Papa é Pop– 1990

Várias Variáveis: 1991

Gessinger, Licks e Maltz– 1992

Filmes de Guerra, Canções de Amor– 1993

Simples de Coração– 1995

Humberto Gessinger Trio– 1996

Minuano– 1997

Tchau Radar- 1999

10.000 Destinos (Ao Vivo)- 2000

10.001 Destinos (Ao Vivo)- 2001

Surfando Karmas & DNA- (2002)

Dançando no Campo Minado– 2003

Acústico MTVEngenheiros do Hawaii– 2004

Novos Horizontes– 2007

<-- /home/edenilson/web/minilua.com/public_html/wp-content/cache/static/https/minilua.com/bandas-que-marcaram-epoca-engenheiros-hawaii-cont-13/amp/index.html //-->