PROPAGANDA
PROPAGANDA

Backstreet Boys: Eles vem ao Brasil para show em 2020!

PROPAGANDA

PROPAGANDA

Saudade de escutar “Everybody ” ou “I Want it That Way”, entre outros hits dos Backstreet Boys? Pois essa vontade de ouvir essas músicas ao vivo está com os dias contados! O grupo vem ao Brasil em 2020 com a nova turnê chamada DNA. O que se sabe é que eles chegam em março, mas as datas e locais dos shows ainda não foram definidos.

Depois de 6 anos esta é o novo disco do grupo, contendo músicas e nova e, é claro, muitas canções antigas. A última vez que os Backstreet Boys estiveram no Brasil foi em 2015, quando fizeram apresentações em 5 cidades: Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Backstreet Boys: Eles vem ao Brasil para show em 2020!

Criado em 1993, o grupo conquistou seu maior nos anos 90, com músicas como Quit Playing Games (With My Heart)”, “Everybody (Backstreet’s Back)”, “As Long As You Love Me” e “I Want It That Way”. Desse período em diante a banda passou por problemas com o ex-empresário, mas nunca deixou de cantar, acumulando 9 álbuns na carreia.

Em 4 de fevereiro de 2019, o novo álbum dos Backstreet Boys, DNA , ficou no topo das paradas da Billboard.  Embora seja tentador declarar que o sucesso do DNA significa “Backstreet’s Back”, o fato é que, para citar uma de suas canções de sucesso, eles usaram “Never Gone”. Eles dizem que DNA não é um álbum de retorno, mas uma prova de que os Backstreet Boys finalmente encontraram seu lugar como bandas adultas.

Os Backstreet Boys – Nick Carter, 39; Howie Dorough, 45; Brian Littrell, 44; AJ McLean, 41 anos; e Kevin Richardson, 47 anos – não têm delírios sobre suas idades ou o fato de que seu sucesso como banda depende em parte de uma saudável dose de nostalgia. “Nós abraçamos quem somos. Nós abraçamos o que representamos. Nós abraçamos a certa quantidade de nostalgia que vem com a gente”, diz Carter. “E com isso, somos capazes de usar esse poder de nos conhecer e usá-lo de maneira a evoluir e crescer, adicionando música nova ao mesmo tempo.”

Backstreet Boys: Eles vem ao Brasil para show em 2020!

É um equilíbrio, e o grupo está pronto para pegar na estrada. Está fadado a ser bem diferente de suas turnês do passado; afinal de contas, o álbum está muito longe das músicas que os tornaram pop stars na virada do milênio. Combinando vários gêneros diferentes, do país ao EDM, o DNA “representa nossas influências”, diz Richardson. Mas, como McLean ressalta, o álbum também parece familiar, “voltando àquelas harmonias” que os fãs tanto amam. A terceira faixa, “Breathe”, é até mesmo inteiramente uma capella, um estilo utilizado pela banda no final dos anos 90.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.

[/nextpage]

Ainda assim, apesar desses retrocessos, não há como negar que o BSB mudou ao longo das décadas. Pegue seu single mais recente, “No Place”. Embora a balada soe como seu hit de 1997, “As Long As You Love Me”, Littrell diz que eles não poderiam ter gravado a música nos anos 90. Na pista, os garotos cantam: “Eu estive em todo o mundo, fiz tudo o que há para fazer / Mas você sempre será o lar que eu quero voltar para casa”. É um sentimento romântico apenas adequado para pessoas com famílias e longas carreiras; os caras’

Até mesmo o fato de que a banda escolheu apresentar suas famílias em um videoclipe mostra o quanto eles mudaram em quase três décadas. Nos anos 90 e início dos anos 2000, no auge de sua fama, os caras eram frequentemente aconselhados a esconder relacionamentos pessoais românticos para aparecer à disposição dos fãs. “Nossos empresários nos diziam: ‘Sim, você não tem uma namorada'”, lembra Dorough, com McLean acrescentando que eles teriam que sair de dos ônibus de turismo separadamente de seus parceiros, para não serem vistos juntos. Littrell resume: “É uma droga, para ser honesto com você.”

Backstreet Boys: Eles vem ao Brasil para show em 2020!

Agora que os homens cresceram e se estabeleceram, a pressão para esconder suas vidas pessoais desapareceu. Na verdade, hoje em dia, eles compartilham mais de suas vidas do que nunca. No entanto, todos os meninos têm diferentes abordagens para o quanto eles escolhem compartilhar. “Hoje em dia, as pessoas podem ser pegas fazendo qualquer coisa. E isso pode realmente prejudicar suas carreiras”, diz Dorough.

Olhando para trás quase 20 anos depois, Richardson diz que entende as conseqüências de incomodar as pessoas, mesmo que não intencionalmente, em uma escala tão maciça. “Havia estações de rádio dizendo que pessoas gravariam um álbum do Backstreet Boys e gravariam CDs”, lembra ele. “Me perguntaram como isso fazia eu me sentir, e eu expressei como isso me fez sentir. E muitas pessoas não gostaram… então, você só tem que estar preparado para as consequências, porque as pessoas nem sempre gostam do que você diz.”

McLean concorda, mas acrescenta que ele vê as plataformas da banda como uma oportunidade. “Você é colocado no pedestal”, diz ele. “Então, você pode usar isso para o bem … ou para o mal! Acho que sempre tentamos usá-lo para algo bom.” Uma das maneiras pelas quais o grupo usa a mídia social para o bem é manter forte o relacionamento com os fãs. Ao longo dos anos, os Garotos passaram por altos e baixos – Carter identifica os seis anos depois que Richardson deixou o grupo em 2006 e antes de voltar em 2012, cheio de pontos baixos.

Backstreet Boys: Eles vem ao Brasil para show em 2020!

Os dias de pessoas tomando a Times Square para celebrar o lançamento de um álbum e uma chance de ver os Boys  podem ter sumido há muito tempo, mas isso não significa que os fãs não retornarão junto com o grupo. O DNA se tornando o primeiro álbum número um da banda em quase 20 anos comprova isso, assim como o fato de que os caras estão embarcando em sua maior turnê mundial em anos. Como se vê, a vida de uma boy band adulta pode realmente ser muito boa.

  • Próximo >>