Astrônomos encontram a primeira evidência direta de um planeta nascer

ANÚNCIO

Uma foto publicada pelo European Southern Observatory (ESO) mostrando o disco ao redor do planeta jovem estrela do AB Aurigae com uma ‘torção’, que marca o local onde um novo planeta está sendo formado.

Os astrônomos acreditam que podem ter encontrado a primeira evidência direta de um novo planeta nascendo. Um denso disco de poeira e gás foi localizado ao redor de uma jovem estrela chamada AB Aurigae, a cerca de 520 anos-luz da Terra.

ANÚNCIO

EMBARGOED TO 1300 WEDNESDAY MAY 20 Undated handout photo issued by the European Southern Observatory (ESO) showing the disc around the young AB Aurigae star featuring a 'twist', which marks the spot where a new planet is being formed. Astronomers believe they may have found the first direct evidence of a new planet being born. PA Photo. Issue date: Wednesday May 20, 2020. A dense disc of dust and gas has been spotted surrounding a young star called AB Aurigae, around 520 light years away from Earth. See PA story SCIENCE Planet. Photo credit should read: ESO/PA Wire NOTE TO EDITORS: This handout photo may only be used in for editorial reporting purposes for the contemporaneous illustration of events, things or the people in the image or facts mentioned in the caption. Reuse of the picture may require further permission from the copyright holder.

Usando o Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu do Sul, localizado no Chile, os pesquisadores observaram uma estrutura em espiral com uma ‘torção’ perto do centro, o que sugere que um novo mundo pode estar em processo de formação.

O disco rodopiante é um dos sinais reveladores do nascimento do sistema estelar na constelação de Auriga, disseram os cientistas. O Dr. Anthony Boccaletti, que liderou o estudo no Observatório de Paris, Universidade PSL, França, disse: ‘Milhares de exoplanetas foram identificados até agora, mas pouco se sabe sobre como eles se formam’.

ANÚNCIO

Ele acrescentou: ‘Precisamos observar muito sistemas jovens para realmente capturar o momento em que os planetas se formam. ”Até agora, os astrônomos eram incapazes de tirar imagens claras de discos jovens para ver essas reviravoltas.

A imagem à direita mostra a região interna do disco, incluindo o toque amarelo brilhante, circulado em branco. A torção está aproximadamente na mesma distância da estrela que Netuno do Sol e o círculo azul representa o tamanho da órbita.

O Dr. Boccaletti e sua equipe de astrônomos usaram o instrumento Sphere do VLT para tirar fotos do AB Aurigae, que mostram ‘uma impressionante espiral de poeira’ causada pelo planeta bebê tentando “chutar” o gás.

EMBARGOED TO 1300 WEDNESDAY MAY 20 Undated handout photo issued by the European Southern Observatory (ESO) showing the AB Aurigae system. The image on the right shows the inner region of the disc, including the bright yellow twist, circled in white. The twist lies at about the same distance from the star as Neptune from the Sun and blue circle represents the size of the orbit . Astronomers believe they may have found the first direct evidence of a new planet being born. PA Photo. Issue date: Wednesday May 20, 2020. A dense disc of dust and gas has been spotted surrounding a young star called AB Aurigae, around 520 light years away from Earth. See PA story SCIENCE Planet. Photo credit should read: ESO/PA Wire NOTE TO EDITORS: This handout photo may only be used in for editorial reporting purposes for the contemporaneous illustration of events, things or the people in the image or facts mentioned in the caption. Reuse of the picture may require further permission from the copyright holder.

O mesmo instrumento foi usado em 2018 para tirar fotos de outro planeta infantil, com apenas 5,4 milhões de anos. Segundo Emmanuel Di Folco, do Laboratório de Astrofísica (LAB) de Bordeaux, na França, e um dos autores do estudo, esse chamado fenômeno de chute causa distúrbios no disco na forma de uma onda, um pouco como a esteira de um barco no mar. um lago’.

À medida que o novo planeta gira em torno do AB Aurigae, faz com que o gás e a poeira ao redor sejam moldados em um braço espiral. A região amarela muito brilhante perto do centro da espiral é a torção, que fica aproximadamente à mesma distância da estrela que Netuno do sol.

Anne Dutrey, também da LAB e coautora do estudo, disse: ‘A torção é esperada de alguns modelos teóricos da formação do planeta. ‘Corresponde à conexão de duas espirais – uma girando para dentro da órbita do planeta, a outra se expandindo para fora – que se juntam na localização do planeta.

“Eles permitem que o gás e a poeira do disco se acumulem no planeta em formação e o fazem crescer”. As observações são relatadas na revista Astronomy & Astrophysics.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Metro

ANÚNCIO