‘Assinaturas tecnológicas’ podem ajudar na busca por vida alienígena

ANÚNCIO

Os cientistas finalmente encontraram a chave para descobrir se estamos sozinhos no universo?

Essas 27 antenas móveis, conhecidas como Very Large Array (VLA), captam sinais de rádio, alguns extremamente fracos, de todo o cosmos, 1999, perto de Socorro, Novo México.

ANÚNCIO

These twenty-seven moveable antennas, known as the Very large Array (VLA), take in radio signals, some extremely faint, from throughout the cosmos, 1999 near Socorro, New MexicoUma assinatura tecnológica é uma prova para a existência de uma civilização extraterrestre tecnologicamente avançada, de acordo com cientistas do Instituto de Inteligência Extraterrestre (SETI), na Califórnia.

Isso inclui coisas como a composição química da atmosfera de um planeta, emissões de laser ou estruturas que orbitam estrelas.

Bill Diamond, presidente e executivo-chefe do Instituto SETI, disse: “Ter acesso ao radiotelescópio mais sensível do hemisfério norte para observações do SETI é talvez a oportunidade mais transformadora da história dos programas do SETI”.

ANÚNCIO

Tony Beasley, diretor da NRAO, com sede no estado americano da Virgínia, disse: “Determinar se estamos sozinhos no universo como uma vida tecnologicamente capaz está entre as questões mais convincentes da ciência”.

Ele acrescentou: “Como o VLA conduz suas observações científicas usuais, este novo sistema permitirá um uso adicional e importante para os dados que já estamos coletando.

“Como as descobertas contínuas nos mostram que os planetas são componentes muito comuns do universo, e somos capazes de estudar as características desses planetas, é emocionante que, ao mesmo tempo, os avanços tecnológicos estejam nos dando as ferramentas para expandir bastante nossa busca por sinais. da vida.

“Também esperamos a próxima década, quando esperamos construir uma Very Large Array de próxima geração, capaz de pesquisar um volume do universo mil vezes maior que o acessível aos telescópios atuais – tornando-o o mais poderoso máquina de busca por radioassinatura que a humanidade já construiu “.

Os cientistas também estão criando modelos de computador para simular ambientes extraterrestres, ajudando a busca por vida além do sistema solar e planetas que possam apoiar pesquisas futuras de planetas habitáveis ​​e vida além do sistema solar.

Victoria Meadows, pesquisadora principal do laboratório planetário virtual da Nasa na Universidade de Washington, disse: “Os próximos telescópios no espaço e no solo terão a capacidade de observar a atmosfera de planetas do tamanho da Terra que orbitam estrelas frias próximas, por isso é importante entender qual a melhor forma de reconhecer sinais de habitabilidade e vida nesses planetas.

“Esses modelos de computador nos ajudarão a determinar se um planeta observado tem mais ou menos probabilidade de suportar a vida”.

Os novos desenvolvimentos vêm depois que astrônomos do Canadá detectaram sinais de rádio do espaço sideral que se repetem em intervalos regulares.

A série de explosões rápidas de rádio (FRBs) – pulsos de ondas de rádio de curta duração que vêm de todo o universo – foi detectada uma vez por hora durante quatro dias e depois parou, apenas para reiniciar 12 dias depois.

Os FRBs não são, por si só, incomuns, mas observações anteriores mostraram que eles são emitidos principalmente ao acaso.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: Sky

ANÚNCIO