As mulheres mais desejáveis possuíam os menores pés

ANÚNCIO

Segundo o folclore, o Imperador Li Yu construiu um palco dourado na forma de uma flor de lótus para sua concubina favorita dançar.

Dançando na ponta dos pés, os pés estavam amarrados em forma de casco e adornados com pedras preciosas e fitas. Como essa jovem era a favorita do imperador, as mulheres tentaram imitá-la para ganhar seu favor, tornando a prática na moda.

ANÚNCIO

Da corte real, os pés se espalharam por toda a China, começando no sul do país e logo chegando ao norte.

As mulheres mais desejáveis possuíam os menores pés

No século XII, a prática havia se tornado muito mais difundida e, em meados do século XVII, todas as meninas que desejavam se casar – casar com ricos – tinham os pés atados. O mais desejável das noivas possuiria um pé de 3 polegadas.

ANÚNCIO

O processo de amarrar os pés começou já aos três anos de idade e era normalmente realizado por uma mulher mais velha – não pela mãe da menina, pois ela seria muito simpática com a dor do filho.

Primeiro, os pés seriam mergulhados em água quente ou em uma mistura de sangue e ervas de animais, seguidos de unhas muito curtas.

As mulheres mais desejáveis possuíam os menores pés

Os dedos dos pés seriam quebrados, pressionados contra a sola e presos com embalagens de seda. Com o peso da caminhada, os ossos se partiam e o arco do pé se elevava, permitindo que o calcanhar quase tocasse os metatarsos, dobrando quase ao meio como uma lua crescente.

Com o tempo, as embalagens ficaram mais apertadas e os sapatos menores, à medida que o calcanhar e a sola foram lentamente esmagados. Durante todo esse processo, que levou dois anos para ser concluído, as meninas foram incentivadas a caminhar longas distâncias para acelerar a quebra de seus arcos.

As mulheres mais desejáveis possuíam os menores pés

Seja a marcha vacilante ou a noção de que essas mulheres nunca tiveram que levantar um dedo, os pés atados tornaram-se tão atraentes e atraentes que eram quase necessários para encontrar um marido adequado. Devido a isso, gerações sucessivas de mulheres chinesas suportaram a prática dolorosa por quase dez séculos.

Pressionada para parar em 1874 por razões óbvias, a prática de atar os pés não foi proibida até 1901. Não foi até a revolução de Mao em 1949 que essa torturante tradição chegou ao fim.

 

ANÚNCIO