As 7 técnicas de tortura mais brutais da história

Infelizmente, se tem uma coisa que o ser humano sabe fazer muito bem é fazer mal aos outros, tanto que, no decorrer da história, foram criados muitos métodos de tortura para fazer com que alguém “confessasse” - na maioria das vezes, a tortura só acabava após a confissão, restando ao torturado uma morte mais rápida.

Claro, hoje não temos mais tantas práticas como na Idade Média, mas ainda existem alguns lugares que praticam diversas torturas.

A seguir, você confere 10 métodos utilizados no decorrer da história.




Enforcado, deformado e esquartejado

Uma punição para quem cometesse alta traição contra a Inglaterra, foi banida em 1814, mas ainda assim matou milhares de pessoas, consistia em enforcar o traidor, sem matá-lo, depois, suas vísceras eram retiradas e queimadas diante da vítima, junto de suas genitálias, e, depois, ela era esquartejada.




Tortura da serra

O indivíduo era pendurado de cabeça para baixo para que ficasse mais tempo consciente, depois, era serrado ao meio, alguns, completamente, outros, apenas até o abdome, para prolongar o sofrimento.




Burro espanhol

Foi muito utilizado durante a Inquisição espanhola, a vítima era colocada nua sobre o aparato e, lentamente, o carrasco colocava pesos em seus pés, até que a vítima era partida ao meio.




A tortura do rato

Basicamente, um rato era enclausurado em uma espécie de jaula, sendo que uma de suas paredes era a barriga de alguma vítima, depois, bastava colocar algumas brasas na parte de cima, o rato tentará escapar pelo lado mais frágil…




O Rack

Este aparato foi desenvolvido para deslocar o maior número de articulações possíveis, sendo que, para “confirmar” que haviam atingido seu objetivo, os carrascos não paravam de estender os membros até que eles se separassem do corpo. Era um dos métodos mais dolorosos.




A roda de Catherine

A vítima era amarrada a uma roda, depois, tinha seus membros martelados e torcidos, a partir daí, a vítima era deixada à mercê do destino para morrer por desidratação - o que poderia demorar alguns dias - ou então ser comida por pássaros. Algumas vezes, era dado um golpe de misericórdia.




O touro em brasas

Uma estátua de touro feita de bronze e oco por dentro, com uma porta para colocar as vítimas e ainda uma fogueira que aquecia a estátua, que chegava a ficar literalmente em brasas, amarela de tão quente, enquanto a vítima agonizava e seus gritos ecoavam dentro do touro, amplificando os gritos.

Receba mais em seu e-mail
Topo