Descubra tudo sobre o aporte de previdência privada [4 tipos]

ANÚNCIO

Está cada vez mais claro para muitos brasileiros que buscar uma aposentadoria particular é algo bastante viável e inteligente. Afinal, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) não vem passando por um bom momento. Hoje, falaremos do aporte de previdência privada.

Ah, sim, antes que você pergunte, saiba que a previdência privada é um tipo de aposentadoria particular que a gente pode pagar para ter um patrimônio a mais durante esse período da vida. Logo, é um complemento da previdência social do INSS.

ANÚNCIO

Uma das vantagens desse tipo de investimento é que o contratante tem liberdade para optar pelo plano que combine mais com o perfil dele. Então, se você já tomou essa consciência que é uma boa ideia procurar por novos meios para conseguir uma boa aposentaria, continue lendo.

Mas, saiba que aqui, nessa matéria, nosso foco será para falar sobre o aporte de previdência privada. Se você não sabe o que é isso, considere que é simples entender. Veja.

O que é o aporte da previdência privada

Sabe aquele dinheiro que você precisa colocar em um plano de investimento? Isso se se chama aporte. Como assim? Bom, pense em qualquer investimento financeiro. Primeiro, você faz um aporte inicial, que é o primeiro investimento. Depois, pode fazer mais aportes.

ANÚNCIO

Ou seja, é como se fosse uma adição de capital sobre um investimento que você tem. No caso da previdência, será que é a mesma coisa? É parecido, sim.

No entanto, o que pode mudar é que você poderá escolher o valor que pretende aplicar a mais, tendo um plano exclusivo de acordo com o recurso investido.

Assim, esse dinheiro aportado será somado no total enquanto o seu contrato estiver valendo. Depois, no final do contrato, ele será devolvido, do mesmo modo que seria como se você tivesse feito uma única aplicação nessa previdência.

Ah, vale lembrar que em previdências privadas, geralmente, dá para optar por receber parcelas mensais ou receber tudo de uma só vez, em um saque integral. Isso você escolhe durante a assinatura do contrato.

Os 4 tipos de aportes das previdências

Durante todo o período de vigência do contrato previdenciário, saiba que você poderá fazer vários aportes. Porém, nem sempre precisam ser todos iguais. Para ser mais preciso, saiba que existem 4 tipos diferentes.

1 – Aporte inicial

No momento que for fazer a sua primeira entrada no plano, você deverá fazer um investimento primário. E ele recebe o nome de aporte inicial. De modo geral, ele tem o papel oficializar o início da sua previdência.

Além do mais, saiba que não tem um valor certo ou errado para começar a sua previdência. Mas, tem empresas que permitem que o aporte inicial seja de R$ 25.

O mais importante é ser capaz de acompanhar o crescimento do seu recurso com o passar dos meses, por conta dos juros que serão acionados em cima do seu patrimônio.

2 – Aporte periódico

Essa modalidade é outro aporte de previdência privada. Ela é aquela que você poderá fazer de tempos em tempos, de mês em mês. Sendo que isso varia de acordo com o tempo estabelecido no contrato da sua previdência privada.

No geral, você que escolhe o melhor para você. Assim, dá para optar por fazer no mesmo esquema do governo federal, através do INSS, que faz depósitos mensais. Mas, você pode preferir ainda por aportes uma vez por trimestre ou até anualmente.

O ideal é planejar aquela que deve ser a melhor estratégia de acordo com as suas condições financeiras. Tem que faça aportes menores todos os meses. E tem que prefira usar recursos como do 13º salário para fazer um aporte maior uma vez ao ano. Ambas são boas ideias.

3 – Aporte extra

Vamos supor que você conseguiu uma renda a mais em algum mês e quer aportar aquela renda antes que gaste tudo. Para esses casos, você poderá fazer um aporte extra e aplicar o dinheiro, sempre que quiser. Aqui também entra o caso do 13º salário ou das horas extras.

Isso é muito bom para aumentar os seus rendimentos. Porque o lucro vem através do que você tem somado na previdência. Logo, quanto maior o patrimônio, também será maior o rendimento. No entanto, só faça isso se tiver certeza que aquele dinheiro não lhe fará falta.

4 – Aporte para deduzir IR

O último aporte de previdência privada é bem mais especifico. Ele só aconselhável, além do mais, para quem pretende reduzir o valor cobrado pelo Imposto de Renda. Os previdenciários do Programa Gerador de Benefício Livre (PGBL) utilizam bastante esse aporte.

Como isso, conseguem deduzir em até 12% daquele recurso que seria tributado.

O melhor valor para aportar

Da mesma forma como cada pessoa tem um salário diferente, os aportes também poderão ser feitos em valores diferentes e tempos diferentes. Assim, a regra geral diz que o ideal é seguir a sua atual situação financeira.

Isso quer dizer que deverá separar um valor especifico para isso, mas que não comprometa as suas contas mensais. Pagar previdência e se endividar não é uma boa ideia, obviamente.

Por exemplo, se os seus rendimentos são de R$ 2.500, uma boa parcela seria R$ 125 ou até R$ 250 para começar a aportar é legal. Conforme for melhorando suas condições, poderá investir mais. Mas, esse é só um exemplo, ok?

Quando começar a fazer aportes

A previdência privada é um investimento a longo prazo, isso quer dizer que vai demorar um bom tempo para conseguir acumular a quantia desejada. Sendo assim, quanto antes começar com uma previdência privada melhor será.

Saiba como fazer uma previdência privada para a família inteira

Quanto maior for seu tempo de acumulação de capital, mais conseguirá lucrar com juros em cima do seu investimento, também. Por outro lado, se você já não é tão jovem e pensa em aposentadoria, a previdência privada ainda pode ser uma alternativa interessante.

aporte de previdência privada

Pois, mesmo que tenha menos tempo para juntar recursos, guardar dinheiro é sempre um bom negócio para ficarmos mais seguros quando o momento de sairmos do emprego chegar, por exemplo. Na pior das hipóteses, será possível ganhar um bom complemento de renda.

ANÚNCIO