Ao apresentar qualquer sintoma, procure tratamento

21

Depois de toda essa palhaçada de “Cura Gay”, o que resta mesmo é fazer piada com o assunto.

Esta semana, o Minilua apresentou aos leitores alguns passos para o tratamento do que andam dizendo por aí que é doença. Mas quem realmente precisa disso?

Hoje você ficará sabendo os sinais e sintomas de quem precisa receber o tratamento proposto pelo “superultramacho”, Marcos Feliciano.




Você está precisando do tratamento se:

Costuma investir na produção: cabelinho alisado, terno de veludo molhado vermelho e posando para foto com a mãozinha no queixo:

22




Na sua playlist só dá:

23




Tem uma tatoo em algum desses lugares:

27




28




Curte descolorir os pelos:

29




30




Chama sua mãe por “mamy” ou seu pai de “daddy”:

31




Costuma usar superlativo sintético:

Macho que é macho não fala “isso é lindíssimo”, “uau! chiquérrimo”, “nossa, você está gatééésima”.




Ficar separando as sílabas para falar:

Se você gosta de utilizar isso para dar ênfase ao que estão falando, como por exemplo: “a-do-ro”, “lou-cu-ra”, “ri-dí-cu-lo”, pode ser um sinal de que você precise do tratamento.

Sem querer, se pegou assistindo pornô, porém, um tanto quanto diferente:

32




Vai à praia vestido assim:

25




33

Ao assistir “O Segredo de Brokeback Mountain, você chorou inconsolavelmente:

34

E por último, mas não menos importante, se você tenta imitar a coreografia do Bonde das Bonecas:

Caso apresentar algum desses sintomas, procure imediatamente um Centro de Cura Gay, que será oferecido pelo SUS.

Receba mais em seu e-mail
Topo