Ameba comedora de cérebro é encontrada em água que abastece cidades do Texas

[nextpage]

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Sabe aquela coisa que acontece em quase todo filme de zumbi? Sim, eles comem cérebros humanos, correto? Talvez, isso tudo não passe de ficção. Mas, saiba que no nosso Planeta Terra existe sim uma ameba comedora de cérebro. E isso está mais do que provado. Só nesse ano foram 2 casos que aconteceram nos Estados Unidos. Se você quer saber mais sobre esse protozoário, inclusive, sobre os sintomas, clique em “próximo” e continue lendo.

[/nextpage][nextpage]

A ameba Naegleria fowleri

Ameba “comedora de cérebro” Amoeba (Naegleria fowleri) showing the feeding structures or pseudopods that form a face-like appearance. This freshwater protozoan parasite causes a type of amebiasis infection that is usually fatal called primary amebic meningoencephalitis.

Essa imagem acima é um tanto quanto assustadora e foi usada pela Nationational Geographic para falar do assunto. No texto, a página diz que desde 1962 ocorreram mais de 120 casos sendo que apenas um sobreviveu.

O texto diz que “o paciente sobreviveu após ser tratado com antibióticos”. Mas, completa ao falar que essa já não é a melhor forma de tratamento. “O mesmo regime foi tentado em outros pacientes, mas sem sucesso algum”.

Logo, a recomendação geral é que “as pessoas reduzam os riscos de infecção”. E como fazer isso? Uma boa ideia é nadar com o “nariz fechado” ou “usando prendedores”. Além, claro, de nadar apenas em águas tratadas e mornas/quentes.

[/nextpage][nextpage]

Ameba encontrada em 2014

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

No ano de 2014, nas águas de Louisiana, também nos Estados Unidos, a ameba Naegleria fowleri também foi encontrada. Inclusive, durante uma publicação que saiu na época, ela é muito “rara, mas mortal”.

Os pesquisadores chegaram a comentar que entre 1962 e 2014, 132 pessoas foram infectadas pela ameba “destruidora de cérebros”. As autoridades partiram para o uso de cloro para o tratamento da água, a fim de contar o animal unicelular.

Como sabemos, a ameba se alimenta do tecido cerebral e se reproduz em água morna. Assim, a indicação, na época, era para que os moradores locais tomassem banho gelado.

[/nextpage][nextpage]

Caso encontrado na Flórida em 2020

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Em julho deste ano, o assunto da ameba “comedora de cérebro” também surgiu nos Estados Unidos, mais especificamente na Flórida. As autoridades locais confirmaram o caso raro de infecção da mesma espécie citada na página anterior.

A contaminação aconteceu em um morador de Hillsborough. As autoridades desse caso deram mais informações. Por exemplo, disseram que o protozoário vive em ambientes úmidos e encharcados, como rios e lagoas. Mas, também podem ser encontradas em piscinas sem cloro.

Também foi anunciado que a principal forma de penetração no corpo humano é através do nariz, de onde ele chega até a cabeça.

[/nextpage][nextpage]

O mais recente caso, no Texas

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Nesse ano, em setembro, um novo caso da doença foi comunicado no Texas, mais exatamente na comunidade de Brazosport. O incidente começou a aparecer no dia 8 do mês, quando um menino de 6 anos foi hospitalizado com a ameba. Ele morreu alguns dias depois.

O caso levou os pesquisadores e responsáveis a afirmarem que ele poderia ter contraído a ameba de uma das duas fontes possíveis, sendo: um lago que ficava em frente a casa dele ou a água de uma mangueira de casa mesmo.

[/nextpage][nextpage]

Os sintomas

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Com base nos casos apresentados e com informações do departamento de saúde dos Estados Unidos, considere que a doença causada pelo animal é a meningoencefalite amebiana primária.

E, a partir disso, saiu um estudo na Scientific American que fala sobre os sintomas. Nesse caso, os principais sintomas apresentados são: dores de cabeça, náusea, vômito, alteração de comportamento, convulsão e até mesmo a rigidez da nuca.

Além disso, saiba que a fowleri vai comendo mais tecidos até chegar ao fundo do cérebro. A partir disso, novos sintomas começam a aparecer, como delírio, alucinações, confusão mental e as convulsões se tornam mais frequentes.

O diagnóstico tem que ser dado depois de um exame de líquor. Vale lembrar que até agora não há casos como esses, de mortes em humanos, registrados no Brasil.

[/nextpage][nextpage]

Mas, a ameba pode estar no Brasil

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Ao menos, a Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas informou isso em 2018. A divulgação da informação aconteceu logo após um garoto de 8 anos morrer na Argentina. O motivo teria sido um mergulho no lago de Mar Chiquita, em Junín.

Sendo assim, no Brasil o que se sabe é que existem várias formas de ameba de vida libre. E, de fato, os estudiosos concordam em dizer que a fowleri também está por aqui. Tanto é que há registro de 5 casos de infeção por ela.

Leia também – Pioneira em cirurgia cerebral cura doença de Parkinson imediatamente após operação

Por outro lado, o que eles afirmam com certeza, mesmo em opiniões controvérsias, é que em 2009 realmente houve uma morte confirmada de um bezerro por meningoencefalite, que é causada por essa ameba comedora de cérebro. O caso foi na Paraíba.

[/nextpage][nextpage]

A causa da morte

Ameba “comedora de cérebro” Foto: (reprodução/internet)

Após analisarmos os sintomas na página anterior não fica complicado entender porque a causa da morte pela ameba comedora de cérebro acaba se dando por “pressão extrema no crânio”. Logo, essa é uma resposta para o inchaço que ela causa nessa parte do corpo.

Além de optar pelas águas geladas, saiba que geralmente quando casos assim acontecem as autoridades também recomendam evitar a ida em piscinas sem o tratamento adequado (com cloro) e evitar consumir água encanada por algum período.

[/nextpage]