Alvaro Gonzalez afirma que foi forçado a se esconder em meio a ameaças de morte por causa da disputa de corrida de Neymar

O astro do Marselha, Álvaro Gonzalez, afirma que não sai de casa há um mês devido à reação de sua briga por racismo com Neymar.

A dupla se enfrentou durante a partida mal-humorada do Marselha contra o PSG no mês passado, que culminou em uma briga louca de 22 jogadores e cinco cartões vermelhos.

Neymar foi um dos jogadores a receber cartão vermlho após atacar Gonzelez em meio à confusão, mas imediatamente acusou seu oponente de abusar racialmente dele antes de sua expulsão.

Jogador afirma que não praticou racismo

Gonzalez refutou as acusações e protestou sua inocência, mas revelou que sua vida se transformou em um pesadelo, apesar de o caso contra ele ter sido arquivado.

Ele disse ao El Transistor: “as alegações foram uma grande mentira. Todos os árbitros saíram em minha defesa.”

“Alguém como ele não merece o meu respeito e nem mesmo o meu olhar. Teria sido mais fácil nós dois termos conversado e resolvido o assunto. Ele não entrou em contato.”

Eu moro em uma cidade onde alguém que seria racista não poderia viver. Todo mundo sabe que o problema caiu sobre mim enquanto ele estava feliz sentado em sua casa e vendo tudo acontecer.”

Foto: (reprodução/internet)

O zagueiro espanhol Gonzalez fez suas próprias denúncias contra o adversário brasileiro, alegando que Neymar usou um calúnia homofóbico contra ele.

Ambos os jogadores não foram sancionados pela Federação Francesa de Futebol (FFF) por falta de provas suficientes, mas os problemas de Gonzalez não acabaram aí.

Leia também: Neymar responde depois que Lionel Messi detona a diretoria do Barcelona

Ameaças de morte

Eu não sei quem vazou meu telefone, mas eu tinha dois milhões de mensagens no WhatsApp quando aterrissei em Marselha de Paris“, disse ele. “Todas as noites vou para a cama e quando acordo na manhã seguinte, tenho 20.000 mensagens de WhatsApp.

“Meu telefone está nas mãos da polícia. Como está agora, não posso usá-lo porque está cheio. A polícia conseguiu bloquear alguns grupos. Recebi ameaças de morte e meus pais também. Minha mãe é dona de um loja e ela recebeu mensagens também.”

Ver as fotos do meu carro postadas nas redes sociais me assustou. Não saio de casa há um mês.”

Traduzido e adaptado por equipe Minilua

Fonte: Mirror