Site “Cultura Coletiva” foi acusado de roubar e expor dados de 540 milhões de usuários do Facebook

A sensibilidade na proteção de dados na Internet aumentou muito nos últimos anos, não muito tempo atrás, o tribunal dos Estados Unidos e a União Europeia exigiram de Mark Zuckerberg para explicar como as informações eram usadas pelos usuários da Internet.

A empresa norte-americana de segurança Upguard fez um estudo detalhado em sites da Internet que usaram e salvaram dados de milhões de usuários, destacando o Cultura Colectiva, um portal mexicano que, de acordo com este estudo, salvou e expôs um banco de dados de milhões de usuários.

usuários de dados de cultura coletiva

Este banco de dados continha cerca de 540 milhões de dados e pesava 146 gigabytes de texto puro; entre outras coisas, nomes de informação, e-mails, fotos, gostos, comentários, número de usuários, entre outras coisas, que foram usados ​​pelo site para gerar algoritmos que lhes permitem adivinhar o conteúdo favorito do usuário para gerar mais tráfego no futuro.

Essas informações foram armazenadas em um repositório da Amazon Web Series (Amazon S3) e o download público das informações permitiu, portanto, o risco de que os dados dos usuários de Cultura Coletiva caíssem nas mãos de marcas comerciais.

Este banco representa, segundo Upguard, a filtragem de dados dos maiores usuários no México, já que existem 22 milhões de seguidores que esta página tem no Facebook, sendo uma das mídias digitais mais populares no México.

Clique em “Próximo” para ler o restante do conteúdo da postagem.