A Vida na China durante a ascensão, disseminação e queda do coronavírus

ANÚNCIO

Em poucos meses, o COVID-19 evoluiu de um vírus obscuro para uma pandemia global que agora se espalhou por todos os continentes, com exceção da Antártica.

Cidadãos de todo o mundo estão entrando em pânico quando os governos emitem alarmes para impedir a propagação do coronavírus.

ANÚNCIO

Enquanto isso, na China, a epidemia está chegando ao fim, com a taxa de novos casos caindo constantemente.

No território chinês as máscaras permanecem no rosto de todos, mas o medo associado ao vírus diminuiu significativamente.

Agora é sabido que as autoridades chinesas em Wuhan tentaram encobrir informações relacionadas ao COVID-19 nos primeiros dias de sua disseminação, deixando a maioria dos cidadãos inconscientes da gravidade da doença e totalmente despreparados para o seu impacto.

ANÚNCIO

Assim que a infecção começou, as máscaras faciais desapareceram rapidamente das prateleiras das farmácias no dia seguinte, com os suprimentos chegando em um ritmo muito mais lento.

Covid-19 e o Ano Novo Lunar

Mesmo assim, foi difícil superar o espírito do festival, já que o maior evento de festas e reuniões familiares do ano na China, o Ano Novo Lunar, estava chegando.

A Vida na China durante a ascensão, disseminação e queda do coronavírus
Os supermercados da cidade estavam lotados de pessoas que estocavam alimentos para as festividades, e muitos ainda estavam dispostos a enfrentar o risco de viajar de trem e avião para seguir seus planos de férias.

Repetidamente, tive que me lembrar que, por trás desses números, havia indivíduos e famílias cujas vidas foram alteradas permanentemente por essa doença.

Na verdade, a xenofobia relacionada ao coronavírus se espalhou pela China antes de se espalhar pelo mundo.

O medo de infecção levou à discriminação contra os moradores de Wuhan e os da província de Hubei.

Muitos moradores de Hubei, que estavam do outro lado do isolamento realizado, se viram incapazes de voltar para casa e, igualmente, incapazes de encontrar um lugar para ficar, pois muitos hotéis na China não estavam dispostos a aceitá-los.

Quanto aos detidos que trabalhavam ou estudavam fora de Hubei, eles não tinham escolha a não ser adiar a vida e se acomodar durante a longa espera.

Na véspera do Ano Novo Lunar, a atmosfera era sombria. Não houve fogos de artifício, festividades e risadas.

Em pouco tempo, o vírus se espalhou por todos os cantos da China, incluindo o interior.

Os números que rastreiam a propagação do vírus aumentaram tão rapidamente que começaram a perder o sentido. Repetidamente, tive que me lembrar que, por trás desses números, havia indivíduos e famílias cujas vidas foram alteradas permanentemente por essa doença.

O que é pior, muitas pessoas em Wuhan questionam a abrangência dos dados informados oficialmente, suspeitando que havia muito mais casos reais do que o número relatado na época. Esse desconforto com a precisão agora é um fenômeno que ocorre em todo o mundo à medida que o vírus se espalha.

Aos poucos, a vida na China está voltando ao normal.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: medium.com

ANÚNCIO