A fuga milagrosa de Romain Grosjean de uma colisão e incêndio posterior destaca como medidas de segurança da F1

Seu carro foi dividido em dois e a barreira de segurança foi reduzida a pedaços. E, então, de alguma forma, de uma bola de fogo apareceu a figura de Romain Grosjean, para deixar ele mesmo e toda a F1 fazendo uma pergunta: como ele sobreviveu a isso?

O dramático e arrepiante início do Grande Prêmio do Bahrein no domingo tornou-se um testemunho do regulamento de segurança moderno da Fórmula 1, quando o piloto da Haas se afastou de um dos acidentes mais assustadores que o esporte já viu.

O resultado deste colisão poderia ter sido muito pior.

Avanços na segurança da F1

Ainda assim, mostrou os enormes avanços que a F1 fez em segurança desde a trágica morte de Jules Bianchi, cinco anos atrás.

Bianchi sofreu graves ferimentos na cabeça em um acidente no Grande Prêmio do Japão em outubro de 2014, sucumbindo a eles em julho do ano seguinte.

A tragédia do ano passado se abateu novamente quando o esporte lamentou a morte do piloto de Fórmula 2 Anthoine Hubert no Grande Prêmio da Bélgica.

Hubert foi a primeira fatalidade em um fim de semana de corrida de F1 desde que Ayrton Senna e Roland Ratzenberger morreram no GP de San Marino de 1994.

E, por um preocupante meio minuto no Circuito Internacional do Bahrain, houve preocupações com a saúde de Grosjean.

Francês saiu de dentro de uma bola de fogo

O carro do francês, pesado com combustível, se partiu em dois quando perfurou a barreira e imediatamente explodiu em chamas.

Mas, para o alívio de milhões de pessoas que assistem, Grosjean finalmente saltou do fogo, com a ajuda do médico da Fórmula 1, Ian Roberts.

Descobriu-se que Grosjean saiu de sua máquina em chamas sem a bota de corrida no pé esquerdo.

Foto: (reprodução/internet)

O inglês Roberts e Alan van der Merwe, o motorista do carro médico da FIA, foram duas das primeiras pessoas no local para ajudar o francês ferido.

Van der Merwe disse: “Foi uma grande surpresa. Nunca vi tanto fogo em 12 anos.”

“O próprio Romain saiu do carro, o que é incrível depois de um acidente como esse.”

“Todos os sistemas que trabalhamos para desenvolver, tudo funcionou de mãos dadas: o halo, as barreiras, o cinto de segurança. Tudo funcionou.”

“Sem apenas uma dessas coisas funcionando, poderia ter sido um resultado muito diferente.”

Foto: (reprodução/internet)

Resto da corrida sem incidentes

Na verdade, foi o dispositivo de segurança da cabine de comando da F1, que dividiu opiniões quando foi apresentado em 2018, que se mostrou eficaz e ajudou Grosjean a evitar um ferimento fatal.

O impacto foi medido em mais de 50G, de acordo com um porta-voz da FIA.

É um milagre que ele esteja vivo”, disse o campeão mundial de 1996 da Grã-Bretanha, Damon Hill, que também expressou seu “choque e horror absolutos” com as imagens do acidente.

Foto: (reprodução/internet)

A corrida foi atrasada por uma hora e 20 minutos quando os trabalhadores da pista removeram a barreira destruída e a recolocaram.

O resto da corrida decorreu sem incidentes enquanto Lewis Hamilton se segurava para garantir a vitória na primeira corrida desde que foi coroado sete vezes campeão mundial há duas semanas.

Veja também: Michael Schumacher “veria seu igual” no ex-rival da F1, Lewis Hamilton

Mas esta corrida será lembrada por muito tempo por um homem… e o dia em que o esporte ficou prendendo a respiração.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua

Fonte: Mirror