5 Fatos sobre o Coronavírus para quem não quer cumprir a quarentena

Estudantes universitários nas férias de primavera (Spring Break) em Miami…seus pais aposentados insistindo que ainda podem sair para almoçar…Millennials dando festas de quarentena…

Apesar das projeções assustadoras do Covid-19, das ordens de quarentena e de toda a conversa sobre achatar a curva, algumas pessoas ainda não estão entendendo a seriedade do novo coronavírus – e que elas desempenham um papel importante em manter a si mesmas e os resto da população a salvo.

5 Fatos sobre o Coronavírus para quem não quer cumprir a quarentena

Aqui estão cinco fatos a serem enviados ao seu amigo ou membro da família mais teimoso ou avesso à ciência, para que eles finalmente – finalmente entendam:

1. As pessoas são contagiosas desde o início da infecção, potencialmente antes mesmo de serem sintomáticas.

Um estudo realizado por pesquisadores na Alemanha descobriu que nove pessoas infectadas com o novo coronavírus estavam liberando grandes quantidades do vírus – milhares a milhões de cópias – logo no primeiro dia de sua infecção, quando apresentavam apenas sintomas leves e semelhantes ao frio.

De fato, os níveis de vírus no nariz e na garganta foram mais altos no primeiro dia e caíram nos dias seguintes. Isso sugere que as pessoas infectadas estão eliminando o vírus antes mesmo de serem sintomáticas.

2. Pode levar até 11 dias para que os sintomas apareçam após a infecção.

A pesquisa mostrou que o período médio de incubação é de cinco dias. Isso significa que algumas pessoas desenvolverão sintomas mais cedo e outras mais tarde.

O estudo também relatou que apenas 2,5% das pessoas apresentaram sintomas dois dias após a exposição e 97,5% das pessoas eram sintomáticas após 11 dias.  Isso significa que, se você entrou em contato com alguém que tem o vírus, é necessário colocar em quarentena por 14 dias para estar seguro.

Esse período de tempo é especialmente importante porque você pode ser altamente contagioso durante esse período e nem saber (veja o ponto acima).

3. O vírus vive em superfícies por até três dias.

Em um experimento, os cientistas criaram um aerossol que continha o novo coronavírus para imitar como seria espalhado por um espirro, tosse ou expiração.

Depois, pulverizaram o aerossol em diferentes superfícies para ver quanto tempo o vírus poderia sobreviver.

No cobre, o vírus foi detectado por até quatro horas, no papelão por até 24 horas e nos plásticos e aço inoxidável por dois a três dias.

Isso significa que os objetos podem permanecer contaminados por muito mais tempo e as pessoas podem ser infectadas pelo vírus se tocarem no objeto e depois tocarem em seu rosto.

Você também pode ser infectado se inalar o espirro, a tosse ou a expiração de uma pessoa doente.

4. A taxa da infecção está crescendo exponencialmente.

A OMS estima que a taxa de infecção pelo novo coronavírus esteja entre 2 e 2,5, o que significa que toda pessoa que ficar doente infectará outras duas ou três pessoas.

Nesse ritmo, o número de pessoas com o vírus dobrará a cada seis dias. Essa taxa levou os epidemiologistas a prever que 40% a 70% da população poderia contrair o vírus se não fossem tomadas medidas extremas de distanciamento social.

5. Não são apenas os idosos que estão ficando gravemente doentes.

Muitos jovens diminuíram o risco de Covid-19 porque a maioria das mortes foi relatada em pessoas com mais de 60 anos.

No entanto, um novo relatório do CDC descobriu que, nos EUA, 38% das pessoas que estavam hospitalizados por Covid-19 tinham entre 20 e 54 anos e 12% dos leitos de UTI foram ocupados por pessoas de 20 a 44 anos.

Mesmo que o vírus não o mate quando jovem, você ainda pode ficar muito doente.

Essa informação não significa que você deve entrar em pânico, mas precisa levar a pandemia a sério.

Todo mundo tem uma responsabilidade – não apenas para se proteger, mas também para proteger seus amigos, familiares, vizinhos e comunidade.

Você não quer ser um vetor para o vírus, e a melhor maneira de conter o surto é praticar estritamente o distanciamento social.

Traduzido e adaptado por equipe Minilua
Fonte: medium