4 invenções revolucionárias que sumiram por motivos banais

Tudo bem que a tecnologia evolui a uma velocidade incrível, entretanto, mesmo um produto sendo muito bom e revolucionário, algumas vezes eles saem do mercado não por ficarem obsoletos, mas por motivos bem mais banais, como você confere a seguir:




Televisão inteligente de 1979

Isso mesmo, em 1979 existiu realmente uma “Smart TV”, ela tinha 1456 bytes de RAM, um processador de 2 MH e um gráfico de 16 bits que permitiaa rodar uma espécie de videogame.

O problema é que tinha várias falhas, sendo uma das principais o formato do controle, além disso, não era capaz de acompanhar a concorrência, mas esse não foi o que fez ela sumir do mercado, as pessoas simplesmente não a compravam por preferirem os computadores pessoais.




Laser Disc

Seu primeiro modelo foi lançado em 1978 e tinha uma resolução melhor e tinha um preço de fabricação mais barato que as fitas VHS, sem falar que era mais rápido nos comandos.

O seu problema foi que seu preço aumentou rapidamente e que ele teve de rivalizar com o DVD em meados dos anos 80, além disso, havia a “podridão laser”, que causava saltos e defasagens.




Fitas de áudio digital

Um compacto alternativo feito no início da década de 70 que iria rivalizar com os CDs, por terem maior tempo de gravação, qualidade maior e ainda a capacidade de serem regraváveis.

O motivo pelo qual não foram para a frente é que Associação da Indústria de Gravação da América achou que teriam problemas com pirataria, por isso não levaram adiante a produção dessas fitas.




Carro elétrico da General Motors

Este foi o primeiro carro elétrico viável e era capaz de andar 160 km com uma única carga, tinha a parte traseira muito pesada, mas grande potencial. Foi produzido em 2003.

Na época, a GM alegou falta de mecânicos treinadas para reparar as baterias, além da falta de produção.

Receba mais em seu e-mail
Carregar mais
Topo