12 DESCOBERTAS E DADOS CURIOSOS SOBRE OS LIMITES DO SISTEMA SOLAR 20 SET 2017

Os corpos celestes encontrados além do planeta Netuno – que se tornou o último depois do rebaixamento de Plutão –, são chamados de objetos transnetunianos.

 

O mais conhecido corpo além de Netuno é Plutão (imagem acima). Até 2 006, quando foi rebaixado para a categoria de planeta-anão, ele era considerado o nono planeta do sistema solar.

 

Plutão possui cinco luas: Caronte, Styx, Hidra, Nix e Cérbero. O detalhe é que Caronte possui mais da metade do diâmetro de Plutão, formando com ele o que muitos astrônomos consideram um sistema binário.

 

Um dos motivos para o rebaixamento de Plutão foi a descoberta de Éris, em 2 005. Como eles possuem quase o mesmo tamanho, decidiu-se classificar Plutão numa nova categoria de planetas do sistema solar: a de planetas-anões. Éris foi assim batizado em referência à deusa da discórdia.

 

Acredite se quiser, mas um ano em Éris em torno de 560 anos terrestre.

 

Outro planeta-anão recém-descoberto é Haumea. Ele recebeu esse nome em referência à deusa havaiana do nascimento e fertilidade. Possui duas pequenas luas, Hi’iaka e Namaka, que acredita-se, sejam destroços resultantes de uma antiga colisão em Haumea.

 

Terceiro maior planeta anão do sistema solar, Makemake recebeu seu nome do deus rapa nui Makemake. Sua descoberta é recente. Makemake possui uma lua chamada pelos cientistas de MK 2.

 

Os astrônomos – um pelo menos boa parte deles – acreditam na existência de um nono planeta no sistema solar. Ele teria cerca de 10 vezes a massa e em torno de 2 a 4 vezes o diâmetro da Terra. Levaria de 10 a 20 mil anos para dar uma volta em torno do sol.

 

O hipotético Planeta Nove está tão distante que, se fosse para lá, a sonda New Horizons teria que fazer uma viagem de 54 anos. Detalhe: New Horizons é a sonda que, após uma viagem de nove anos, fotografou Plutão.

 

Existem ainda outros objetos esperando serem classificados como planetas-anões: Qaoar, Orco, Branca de Neve (ou objeto 2 007 OR10) e 2 002 AW17.

 

Os objetos transnetunianos encontram-se numa área conhecida como Cinturão de Kuiper. Sua existência foi sugerida pelo astrônomo Gerard Kuiper, em 1 951. Além de

planetas-anões com aproximadamente 1 000 quilômetros de diâmetro, existem ainda milhares de pequenos corpos semelhantes aos cometas. Detalhe: os objetos do Cinturão de Kuiper são chamado de KBO (Kuiper Belt Objects).

 

Os limites do sistema solar são definidos por muitos astrônomos na área da chamada Nuvem de Oort. Trata-se de uma esfera formada por milhões de cometas e asteroides. Eles estão mais distante do que o Cinturão de Kuiper – mais ou menos ¼ da distância da estrela mais próxima do sol. Ela recebeu esse nome em homenagem ao astrônomo holandês Jan Oort.