hotmart Vida cotidianaVocê já teve...Você repórterUma linda liçãoVocê sofre de...Você é um...VenenososVocê sabe o...Você sabe como...Você sabia que...Você tem medo...Uma questão de...Você conhece os...Você conhece o...Você sabe qual...Você acredita em...Vantagens e desvantagens...Vídeos impressionantes de...
Aguarde alguns segundos...

Incríveis dragões dos quais você nunca ouviu falar

 

 

O Naga – República da índia

 

Naga é um tipo de dragão sem asas indiano, hindu, da cultura budista. A palavra Naga refere-se as características de ambas as serpentes e seres humanos. No hinduísmo, os Nagas são retratadas de maneira semelhante à família de dragões chineses, sendo natural que os espíritos se associem a fontes de água, mas também podem ser responsáveis em estilo europeu, por um tesouro imenso.

 

 

O Bakunawa – A República das Filipinas

O Bakunawa é realmente uma divindade que era representada como um dragão serpentino, segundo a mitologia filipina. Ele tem dois conjuntos de asas, bigodes, uma língua vermelha, e uma boca "do tamanho de um lago". Os filipinos acreditavam que os Bakunawas viviam no mar no momento em que o mundo tinha sete luas e que os dragões, sendo fascinados pela sua luz, passaram a consumir as luas. Assim, os dragões foram a causa dos eclipses. Para evitar que o mundo tornar-se escuro o povo iria sair de suas casas, levando os seus tachos e panelas, para fazer mais barulho que podiam, a fim de assustar os Bakunawas para que eles parassem de comer as luas. Curiosamente, o nome do dragão, Bakunawa, pode ser traduzido como "comedor de lua 'ou' comedor de homem ', sendo este último o típica dos dragões asiáticos.

 

O Yilbegan – Sibéria
 

 

 

O Yilbegän é mais estreitamente relacionado com os dragões turcos e eslavos da Europa do que aos do Leste da Ásia e, consequentemente, é retratado como o canibal e ogro ao invés de gentil e amável. Este dragão réptil está representado na mitologia dos dois grupos étnicos que vivem na Sibéria – os povos turcos e os tártaros da Sibéria – como um monstro polycephalous. Em algumas lendas o Yilbegän assume a forma de um dragão alado ou criatura serpentina, mas em outras ele é um leviatã que monta um boi com 99 chifres.

 

 

 

 

O Níðhöggr – Escandinávia

 

 

O Níðhöggr é uma espécie de dragão que existe na lenda nórdica. Ele vive sob uma árvore gigante de cinzas, o Yggdrasil ou Árvore do Mundo, que liga os nove mundos da mitologia nórdica juntos. Níðhöggr é geralmente traduzido como Malice Striker (às vezes como atacante no Escuro) e faz jus ao seu nome, como ele violentamente rói a raiz da Árvore do Mundo que o mantém preso acima de um caldeirão fervente, em Hel (Hel nórdicos é equivalente ao inferno em Inglês). Níðhöggr mastiga o seu caminho através da raiz da Árvore do Mundo que anuncia a chegada do Ragnarök e a posterior destruição do mundo.

 

 

 

O Zmaj – República da Eslovênia

 

O Zmaj vem da Eslovénia e tem muito em comum com os outros dragões eslavos – três cabeças que podem voltar a crescer se decapitado, pele escamosa verde e habilidades cuspindo fogo. Seu nome, Zmaj, é uma versão masculina da palavra serpente, que é geralmente feminina. Os dragões eslavos são geralmente semelhantes à outros dragões europeus e são apresentados em histórias cristãs de São Jorge, bem como histórias pré-cristãs em que são aliciadas para comer presentes contendo enxofre e, portanto, derrotados.

 

 

 

Os dragões Chuvash – Chuvashia

 

Os dragões Chuvash, de Chuvashia, no centro da parte européia da Rússia. Estes dragões são classificados como cuspidores de fogo, mas com a capacidade de se metamorfosear de dragão ao ser humano (e vice-versa). O povo ancestral da Chuvashians, que moram lá até hoje, eram búlgaros e contam a história de quando a cidade de Bilar foi fundada em cima de uma grande serpente. A serpente, que os búlgaros decidiram matar, pediu paz e foi-lhe dada asas por Deus – e o dragão veio a voar. O dragão mais famoso Chuvash, porém, é um chamado Veri Celen (literalmente, "cobra de fogo" em Chuvash), que foi capaz de assumir a forma humana a fim de visitar os homens e mulheres na noite e dormir com eles.

 

 

 

O Cuélebre – Asturias/Cantabria

O Cuélebre é a variedade espanhola de dragão, especificamente, das regiões das Astúrias e Cantábria. Serpente alada e com escamas coloridas, os Cuélebres são imortais e obcecados por objetos bonitos e brilhantes. Eles acumulam tesouros e fadas e ninfas loiras de contos de fadas. Confira a lenda relatando como o Cuélebre originou:

"Uma mulher bonita, jovem descrê advertências de sua família contra a pentear seu cabelo enquanto ela admira seu reflexo em uma poça de água. Infelizmente, a poderosa ninfa da água na piscina observa que ela negligencia suas tarefas em prol desta atividade. Uma vez que a menina penteia os cabelos na superfície da água, como um fio de seus cabelos cai, a ninfa aproveita a oportunidade para lhe ensinar uma lição. A ninfa amaldiçoa a garota, ela cresce mais ainda, o cabelo dela é substituído por cristas e sua pele coberta de escamas, e ela cria asas. Na forma de conto de fadas a moça só pode ser devolvida a seu estado original por um cavaleiro", que é tão bravo que ele não tem medo de dela e tem um coração tão puro que ele acha que ela linda." O Cuélebre se esconde em uma caverna à espera… "

 

Adaptado de listverse

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você recomendaria esta matéria? Não Sim ou Deixar comentário

Publicado em 18 de novembro de 2010 por Gerusa Luiz em "Curiosidades". Encontrou um erro? Clique aqui. Editar
Reaja! Comente!  




 



Iniciando...