Carregando...      
Categorias »  Curiosidades · Humor · Animes, Games e Filmes · Música · Assustador · Nostalgia · Religião · Adulto +18
Sobre o Minilua Parcerias Contato
Aguarde alguns segundos...

174 Monte a sua matéria: Fatal Frame - o tormento

* Esta matéria faz parte de uma série com 146 matérias na mesma temática. Clique aqui para ver todas.

Fatal Frame, como se sabe, é um dos jogos mais populares do mercado. Envolto em mistérios, é também um dos que mais agrega expectadores. Sabendo de sua importância, decidimos homenageá-lo nesta edição. Quem comenta sobre ele, aliás, é uma das leitoras mais participativas do site. Uma boa leitura!

Fatal Frame - O Tormento

Parte 1

Por: Anônima envergonhada

Meu nome é Alice, e após muito hesitar decidi compartilhar minha história…

Segunda-feira 5 de março de 2012

O dia começou como outro qualquer, eu com minha velha rotina, levantar, usar o PC, limpar a casa, almoçar e jogar vídeo game. Decidi jogar Fatal Frame, um jogo de terror japonês que eu gostava muito, instalei meu Ps2 e coloquei o jogo pra rodar, pensei que o jogo não fosse funcionar, pois meu videogame está com defeito e praticamente nenhum jogo pegava, mas para a minha surpresa ele funcionou na primeira tentativa, o jogo se iniciou e senti como se fosse a primeira vez, um frio na barriga,e um susto cada vez que um fantasma aparecia,joguei apenas por uma hora e voltei aos meus afazeres.

Anoiteceu e decidi dormir mais cedo, mais do que de costume, comecei a adormecer e tive um pesadelo…

Eu estava no meu quarto, ele tinha uma aparência envelhecida, havia várias rachaduras e teias na parede, eu estava no chão, coberta por um lençol branco com umas manchas amareladas, havia 4 garotas ao meu redor, elas tinham a pele pálida, cabelos negros e seguravam um martelo de madeira, na qual elas haviam usado para me pregar ao chão com estacas de madeira q prendiam minhas mãos e meus pés, enquanto as garotas cantavam uma porta se abriu e então acordei.

6 de março de 2012, 3:21 da manhã

Acordei assustada com o pesadelo, acendi a luz, olhei para as minhas mãos, eu não podia ter ficado mais aliviada, fui para a cozinha tomar água e em seguida voltei para o meu quarto, notei que meu cachorro uivava muito, abri a janela do meu quarto e vi que ele estava muito assustado, tentei acalma-lo, mas foi em vão, fechei a janela, apaguei a luz e antes que pudesse me deitar senti um arrepio que percorreu todo o meu corpo, algo havia passado por mim…

Depois daquele misterioso pesadelo eu tive que sair de casa, aquilo estava perturbando minha mente, foi tudo tão real, eu podia sentir a dor quando as garotas fincavam as estacas em minhas mãos e meus pés, mas tudo não passava de um pesadelo,eu pensei, provavelmente tinha me impressionado com o jogo, pois ha uma cena muito parecida com essa, ri aliviada.

Parte II

9 de março de 2012

Três dias se passaram após o pesadelo, continuei o jogo e parecia que tudo tinha voltado ao normal, até à tarde de hoje quando senti um cheiro de mofo pela casa, aquele cheiro era muito forte, parecia que um baú que havia sido guardado á séculos e finalmente tinha sido aberto, procurei pela casa a origem daquele cheiro, e não encontrava perguntei aos meus pais e ao meu irmão  se eles sentiam o cheiro, mas não, só eu podia senti-lo, havia só mais um lugar para procurar…o porão.

Desci até lá e o cheiro foi ficando mais forte, não tinha nada que pudesse exalar tal odor, somente uma cama e uma televisão, mas ai reparei que havia uma porta lá, perguntei a minha mãe o que tinha atrás dela e ela disse que a porta levava a outro cômodo da casa,mas os donos não deram a chave daquela porta, fiquei me perguntando, será que eles sabem de algo? O que esconde aquela porta? já atordoada com aquele cheiro, decidi dormir.

10 de março de 2012-3:05 da manhã

Sempre acordo de madrugada para ir ao banheiro ou beber água, mas desta vez foi diferente, o jogo me chamava, eu podia sentir. Decidida liguei o videogame, o jogo estava normal até que a tela ficou preta e branca e me levou a outro momento do jogo, fiquei sem entender, mesmo assim continuei, desci uma escada, e não pude acreditar no que eu estava vendo, não podia ser real… 

Parte III

Eu estava jogando, não dentro da mansão como deveria ser, mas eu estava em minha casa, as escadas que eu tinha descido é a que dá no meu porão, meu coração gelou, comecei a suar frio, mas eu precisava continuar, algo me dizia que eu precisava abrir aquela porta, levei a personagem até lá e quando fui abrir a porta o videogame simplesmente desligou, tentei liga-lo novamente mas sem sucesso… Ainda não tinha chegado a hora.

11 de março de 2012

Tive outro pesadelo, obviamente, era uma rotina após o jogo ter pesadelos…

Desta vez eu estava no porão, havia vários senhores, todos tinham uma expressão fria,usavam uma roupa branca com capuz e seguravam algo que me pareceu um cajado com sinos nas pontas, enquanto andavam em direção da porta, batiam o cajado no chão, fazendo com que os pequenos sinos badalassem…

A última pessoa a atravessar a porta foi uma mulher. 

Sua pele era tão branca que chegava a reluzir um brilho azulado, usava um tipo de vestido, e tinha cabelos longos que lhe cobriam a face, tinha algo de errado, pois de longe eu pude sentir algo muito tenebroso sair dela, ela virou seu rosto, e vi um sorriso sádico nascer em seu rosto, foi quando acordei.

Parte IV

12 de março de 2012

O jogo e os pesadelos estavam mexendo comigo, comecei a ver vultos pela casa, manchas estranhas na parede, além de barulhos estranhos que só eu ouvia, me recusei a acreditar que aquilo fosse real, decidi destruir o jogo, quebrei o DVD e apaguei-o da memória, não se passou nem 1 minuto para que algo acontecesse, as lâmpadas de casa simplesmente estouraram, nesse momento percebi a “cagada” que eu tinha feito, mas já era tarde…

Já estava quase de noite, fui ao porão pegar umas lâmpadas extras, foi quando os vi pela primeira vez, sem estar no pesadelo, havia dois sacerdotes parados em frente e porta, pareciam soldados guardando algo, me aproximei e a porta se abriu, pensei comigo mesma:” Não entra,isso vai dar merda”, mesmo assim prossegui e ouvi um grito pedindo ajuda, mas foi um grito tão aterrorizante que qualquer pessoa que estivesse por perto estremeceria por mais corajoso que fosse, dei três passos em direção de onde os gritos vinham e desmaiei.

Começou tudo de novo, eu estava no “sonho”, mas ela estava lá me esperando,fui atrás, estávamos atravessando um bosque escuro, lá haviam vários bilhetes pregados nas árvores, mas eu não podia decifrar o que estava escrito neles, continuei seguindo, até que chegamos numa espécie de câmara, dentro havia uma boneca, iluminada por um pequeno, mas intenso feixe de luz…

Aproximei-me e a toquei… Tive uma espécie de flash back, pude ver aquela mulher, ver o que tinha acontecido com ela, o porquê de sua fúria. Ela fez parte de um sacrifício pela sua aldeia, o sacrifício constituía numa jovem que tivesse perdido o seu amor e ela teria que sentir dor pelos outros, mas não foi bem o que aconteceu, a fúria dela era intensa e se tornou a dor da própria aldeia, sua alma precisava se libertar daquela dor, mas como eu faria isso? Após ver todo o ritual acordei…

Agora eu sabia o porquê dela ter me escolhido…

Parte V

13 de março de 2012

Recentemente perdi alguém realmente muito próximo a mim… Tenho certeza que não preciso dizer mais… O jogo percebeu a minha dor estancada, e estava me usando, mas eu não podia desistir, já tinha chegado tão longe, qualquer enlouqueceria se estivessem passando pelo que passei as séries de pesadelos, os vultos, às vozes, não me deixei cair, eu sabia que só tinha um jeito de continuar, dormindo, consegui um calmante com uma amiga, este me faria dormir por um longo tempo, tomei o remédio e cai em sono profundo.

Eu tinha que ser rápida, já conhecia o jogo, não devia ser tão difícil sair daquilo… Mas me enganei, fui perseguida por vários sacerdotes,a cada golpe que recebia,eu pude sentir minha vida indo embora, cheguei a novamente a câmara, já debilitada, mas eu devia continuar, ela surgiu de novo, a mulher de pele azulada, mantinha um olhar fixo pra mim, sua fúria era intensa, nada conseguia conte-la.

Ela me perseguiu por varias vezes,tanto em sonho, como em realidade, tive que dar um basta naquilo, corri o Maximo que pude, a distrai e encontrei o seu corpo, jogado num canto da câmara ao seu lado,estava o homem,pelo qual suas lágrimas tinham sido derramadas…

Antes que eu pudesse fazer algo, a sua alma furiosa surgiu, seu olhar de ódio me deixou paralisada, havia algo atrás dela, eu não sabia o que era, mas tinha uma aparência terrível, era a própria morte, vindo me buscar, uma caveira enorme, com dentes afiados, e um olhar profundo e amedrontador, parecia ser o meu fim,até que uma luz surgiu, era ele, ele veio me salvar, aproveitei a distração, estava correndo contra o tempo, levei os corpos para um rio que tinha por perto, haviam várias canoas por lá, os coloquei em uma, e deixei que a água os levassem.

14 de março de 2012

Acordei do pesadelo, aquilo finalmente tinha acabado.

20 de março de 2012

Voltei a ter uma vida normal, mudei de casa, e finalmente estava feliz de novo, passei a ter uma nova visão da vida, mas hoje,algo muito estranho aconteceu, enquanto passeava na rua, vi uma pequena garota,pele branca,cabelos negros e longos com uma pequena boneca nos braços, eu podia acreditar que já a conhecia, ela sorriu pra mim, de um jeito estranho e foi embora…

Será o fim?…

Não esqueça de avaliar SEMPRE. O que você achou desta matéria?
Não gostei Sim, gostei
Outras partes da série »

Publicado em 4 de maio de 2012 (2 anos atrás)

Próxima matéria » + CuriosidadesNota: 10

Publicado em 4 de maio de 2012 (2 anos atrás) por Jeff Dantas em "Curiosidades". Encontrou um erro? Clique aqui. Editar
 
deviam colocar isso no assustador nao aqui
Forester Fore · Responder · Curtir
Reaja! Comente!  




 



Iniciando...